Catarse

Toda a alma é imortal, porque aquilo que se move a si mesmo é imortal.


Deixe o seu comentário

Grandes manifestações de rua em todo o país levam o Governo sul-coreano a demitir-se

Vote NO to Bilderberg’s Politics in Europe

Grandes manifestações de rua em todo o país levam o Governo sul-coreano a demitir-se

Acordo de importação de carne dos Estados Unidos foi a gota de água que fez transbordar o descontentamento popular.

Uma enorme tempestade política bloqueou os planos governamentais de reduzir os impostos, privatizar as grandes empresas estatais e abrir mais o país ao investimento estrangeiro…

O executivo chegou a pedir a Washington que não lhe enviasse carne de animais mais velhos, considerados com maior risco de estarem doentes; mas rejeitou os apelos à renegociação total do acordo, por não querer entrar num choque diplomático com a Administração Bush.

In Público publicado por “Crítica da Música


Deixe o seu comentário

Os famosos lucros das petrolíferas…em tempos de crise!

As Petrolíferas vêm anunciando espantosos resultados em tempo de penúria

A GALP obteve em 2004, 650 milhões de euros, em 2005, 863 milhões de euros, em 2006, 968 milhões de euros e, em 2007, numa progressão imparável de lucros, 1011 milhões de euros de lucros. Progressão que continuou no 1º Trimestre do ano com um crescimento de 32,8% face ao 1º Trimestre de 2007. Por seu turno, a REPSOL e a BP obtiveram, em termos de resultados líquidos, aumentos de 36,5%, e a BP de 63,4% face ao mesmo trimestre de 2007.

Ver neste blog: AQUI, AQUI e AQUI


Ver notícias AQUI, AQUI, AQUI, AQUI, AQUI e AQUI

Adenda às 13h44m: Ler AQUI a posição do PCP

publicado por António Vilarigues emr “O Castendo”


Deixe o seu comentário

O cadáver adiado

A paralisação dos camionistas portugueses, que dura desde as 0:00 de segunda-feira, 9-6-2008, é apenas mais uma revolta corporativa de uma sequência que não abrandará até ao fundo do vale da depressão económica que o mundo não produtor de petróleo e de salários altos conhece e com consequências bastante mais graves em Portugal, por causa da política absolutamente errada de José Sócrates que afundou a economia nacional no absurdo contraciclo da sua política financeira autista. De que serve a alguém ter a “casa arrumada” (Sócrates, em 29-3-2008 em Mortágua) se estiver desempregado e a família passar fome?…

A paralisação é desagradável, mas quando o “desespero campeia“, como refere José Maria Martins, a “desobediência civil” parece a única saída para os camionistas das micro e pequenas empresas que constituem o grosso do sector dos transportes de mercadorias. Estes mantém os protestos, apesar da falta de solidariedade dos donos das grandes frotas que controlam a ANTRAM (só a TAS do presidente da ANTRAM António Mousinho tem “uma frota própria superior a 200 veículos”) e arrasam o sector no dumping dos preços dos fretes – ainda hoje, 11-6-2008, ouvia no programa Opinião Pública da SIC-Notícias uma gestora de frota dizer que uma grande transportadora, a Álvaro Figueiredo, cobrava apenas 450 euros para um frete Lisboa-Madrid. Devido à atomização e independência tradicional do sector, é muito mais difícil conseguir um acordo com as suas corporações – a associação empresarial ANTRAM e o sindicato FESTRU (ligado à CGTP) -, que não têm tropa de choque obediente com penetração e dimensões suficientes, como a CGTP-PC teve no protesto dos professores, para abafar os protestos independentes e vender os trabalhadores num acordo manhoso com o Governo. Isto é, a desmobilização dos trabalhadores só parece possível com concessões tangíveis e igualitárias, sem a troca suja de compensações políticas externas aos interesses dos próprios.

Como outras revoltas anti-sistémicas, esta nasce da base e despreza os compromissos dos sindicatos e associações oficiais que vivem na habitual cumplicidade com o poder. O poder embrulha os representantes das classes profissionais no maço da folha de apoios e os trabalhadores e elementos de base são vendidos em acordos que os prejudicam. Os compromissos dos representantes, que na verdade passaram para o lado do poder, impedem-nos de afrontar o governo e cedem, mediante a oferta de cerejas que encimam os seus bolos.

  1. O governo de Sócrates já tem a morte marcada: o seu governo é apenas um “cadáver adiado” que nem procria.

Paradoxalmente, a economia está a ser o carrasco da sua política ultra-capitalista e de promiscuidade com os grandes grupos económicos:

Mas como dizia, o meu professor Jorge Vasconcellos e Sá, “estas são as boas notícias”!… As más notícias é que no Outono de 2009 estará muito pior. José Sócrates arrisca-se a levar o Partido Socialista a um resultado pior do que o dr. Almeida Santos em 1985 (20,77 %), com o Bloco de Esquerda de Louçã na posição do PRD.

A partir de agora, importa preparar o futuro do País após a desgraça socratina que nos aconteceu.

In ” Do Portugal Profundo


Deixe o seu comentário

65 horas!!!

Em poucos minutos 27 ministros do Trabalho (ou do Capital?) da União Europeia aprovaram a proposta da presidência eslovena que permitirá a cada Estado membro modificar a legislação para elevar a semana laboral vigente de 48 horas até às 60 horas em casos normais e a 65 horas para certos casos especiais como sejam os médicos. Regrediu-se 91 anos!!!




publicado por António Vilarigues em “O Castendo


Deixe o seu comentário

Paremos o Tratado de Lisboa


A dois dias do referendo ao Tratado de Lisboa, o “não” continua subir em todas as sondagens e pode mesmo ganhar a consulta popular na Irlanda. Como já tinha acontecido com a rejeição do Tratado Constitucional em França e na Holanda, o “não” cresce sempre à medida que o debate sobre o futuro da construção europeia vai crescendo de intensidade.

Não deve haver hoje matéria política, como o futuro da Europa, que evidencie uma maior ruptura entre as posições dos representantes políticos com a dos eleitores que os elegeram. Na Irlanda, apenas o Sinn Fein (um partido com 8%) apela ao voto “Não”. O mesmo tinha acontecido em França e na Holanda, onde a esmagadora maioria dos deputados defendia o “Sim” que acabou chumbado nas urnas.

Notícias como esta, sobre um comboio exclusivo para os deputados europeus fazerem a ligação entre Bruxelas e Estrasburgo, também devem ajudar a explicar alguma coisa (via Origem das Espécies).

Blog Zero de Conduta


Deixe o seu comentário

Força Portugal!



“Eu não sou camionista sou designer gráfica, cidadã portuguesa que paga os seus impostos no final de cada mês, este mês não consegui pagar a prestação da minha casa, pois a maior fatia do orçamento familiar vai para os combustíveis, e cá em casa já se anda a passar fomeca. Por tudo isso que não é pouco, estou solidária convosco. Dou ideia para colocarem uma bandeira de Portugal em cada camião, porque este é que é o verdadeiro jogo que temos que ganhar, quem se reúne para jogos da selecção deve agora gritar bem alto as faltas que nos sufocam, e nos vão tornando cada vez mais pobres.

Força camionistas, Força Portugal!

Lutemos por um futuro digno, até ao fim das consequências, nem que tenhamos que parar todos! Faça-mos um novo 25 de Abril, que o outro já são só memórias!” (E. G., 11 de Junho de 2008 10:03)


Deixe o seu comentário

Do Buzinão, de Cavaco, ao buzininho da Menina e Moça do Héron-Castilho


Imagem do KAOS
Pena o KAOS estar de baixa fraudulenta, porque vou ficar sem Realidade para comentar.
Já me avisaram que, para que estivesse a passar na “SIC-Monhé” o que tem estado a passar, é sinal de que a coisa é mesmo muito complicada, e nem o Patrão de Bilderberg, controlador-mor da informação em Portugal (a tal do Futebol, Fátima e ganidos da Marisa), a consegue deter.
As últimas boas-novas, vindas de Aveiras, é que, a continuar esta cena, o Aeroporto de Lisboa ficará inoperacional já na quarta-feira, coisa insustentável, para quem precisa de traficar armas, trazer os rapazes de Cuba e a “branca” nos porões. Sinceramente, é-me mais fácil acreditar nas visões da Jacintinha do que num país de Economia Paralela paralisado. Algures, alguém irá ter de improvisar umas lanchas de alta velocidade, para abastecer os mercados da Noite, senão a Noite, a “Night”, apaga-se, e é um horror, as putas no desespero, os árbitros comprados sem travecas para pagar, o tráfico das armas interrompido… não, tudo isso me dá calafrios, porque era o fim da nossa Bandeira de Conveniência, aquilo que tanto nos gemina com a Libéria, o Liechstenstein e o Panamá… não, façam isso, mas, por favor, nunca, nunca, no dia 10 de Junho!…
10 de Junho, ficámos hoje a saber, pelo Saloio de Boliqueime, é o dia em que se devem louvar os empresários que triunfaram… lá fora. É um magnífico exemplo, no momento exacto de depressão em que o país está. Triunfe, mas não aqui. Para ser coerente, o Bimbo da Bomba devia ter ido discursar isso em Miami… e não voltar. A Maria até fazia lá um sucesso, nas praias, com uma carrinha de duas rodas, e um megafone, a vender picolés, como no Morro de São Paulo, Bahia…
Voltando ao momento político nacional, e ao desânimo que com o KAOS partilho, só me lembro de uma certa carta que escrevi ao nosso vizinho, António Balbino Caldeira, ainda não tinha estalado o escândalo do processo da Desvairada contra ele (processo que teve hoje sessão, como poderão ler aqui, com Paulo Pedroso, o das operações aos sinais, e o mesmo do bancocorrido.blogspot.com, a arrolar como testemunhas os seguintes figurões:

o primeiro-ministro José Sócrates
o presidente da Assembleia da República Jaime Gama
o ministro José António Vieira da Silva
o presidente da Câmara Municipal de Lisboa e ex-ministro António Costa
o ex-presidente da República Mário Soares
o ex-presidente da República Jorge Sampaio
o candidato a Presidente da República Manuel Alegre
o ex-primeiro-ministro António Guterres (Alto Comissário do UNHCR)
o ex-presidente da Assembleia da República António de Almeida Santos
o deputado e ex-ministro José Vera Jardim
o ex-ministro e ex-secretário-geral do PS Eduardo Ferro Rodrigues
o ex-secretário de Estado José Manuel Simões de Almeida
o ex-bastonário da Ordem dos Advogados José Miguel Júdice)
Suponho que uma pessoa destas seja como os McCann: com um tal plantel, a inocência salta logo à vista,
mas,
voltando à vaca fria, talvez não fosse má altura de reler a carta que lhe enderecei, e podem fazê-lo, se gostarem de documentos premonitórios.
Vem tudo isto a propósito do que está a acontecer em Portugal: Sócrates é fruto e equívoco da nossa acção nas urnas. Para as pessoas com um mínimo de decência e sensibilidade, isso não se repetirá. Sócrates saiu das urnas, é pelas urnas que deverá sair, ou, caso o queiram, fazer cair na rua. O papel dos Blogues não é fazê-lo cair… nos blogues. Isso soa a “plof”. Nós meramente lançamos as pistas, e a Sociedade Civil e as Instituções é que devem reagir. Aparentemente — porque NADA do que passa nas televisões me parece credível — o Boneco de Plástico está debaixo de bombardeamento intenso.
Só acredito se o vir desmantelar-se, debaixo dos meus olhos.
Bilderberg, a horrível máquina infernal, já tem os olhos postos na sucessão, algures entre Rui Rio e António Costa, o único com estatura intelectual para fazer frente ao flagelo, um “operacional”, com contactos, como o provou neste célebre vídeo de tentativa de “abafamento” do “Casa Pia”.
Quanto à nossa Viciosa de Vilar de Maçada, a banhos em Argel, continua a dizer que nada a afecta, sobretudo números. Tem razão, quando o cozinhado já está mesmo cozinhado e tudo são simples sobressaltos de aparência, é natural que os números a não preocupem. Foi numa dessas tardes que Maria Antonieta veio à janela, acordada com os gritos de gentes — e não sei se seriam 200 000 — a pedir pão. A célebre resposta efabulada do “então que comam brioches…” poderia cair mal na boca da Menina do Herón-Castilho, não fossem os Portugueses confundir brioches com outros pratos da dieta da fragilizada “moça”…
Por mim, custar-me-ia imenso ver a “Engenheira”, levada em braços, do seu Trianon do Héron-Castilho para um enclausuramento, na residência oficial de São Bento… Coitada, parece-me já ver vir a Câncio atrás, a berrar que lhe não levassem o marido, qual marido, m’lher, o marido ficas com ele escondido debaixo da cama, e quemete levam é a “esposa”, a tua “esposa”, unida, de facto, mas em Cristo.
Meu Deus , 90 000 camionistas, e todos cheios de gasóleo, iam-lhe deixar o fato Boss todo manchado, e a “garagem” arrombada para sempre…
Pena não ir ser assim: os 90 000 irão fazer companhia aos 100 000 professores e aos 200 000 da Precariedade, Bilderberg rules, e isto tudo não irá passar de mais uma das minhas fábulas nocturnas.


1 Comentário

EM DESTAQUE – PARALIZAÇÃO DOS CAMIONISTAS


«Abastecimento a aviões suspenso na Portela

A ANA – Aeroportos de Portugal suspendeu o abastecimento de combustíveis aos aviões no aeroporto da Portela, mas a medida não levou ao cancelamento de qualquer ligação aérea até ao momento. «Não estamos a ter capacidade para reabastecer qualquer avião à excepção dos de emergência, militares e de Estado», disse o porta-voz da ANA, sublinhando não haver até ao momento registo do cancelamento de qualquer voo.

Veja também:

Referência: copy&paste do site Diário Digital


Deixe o seu comentário

Agricultores admitem associar-se ao protesto dos camionistas

A Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) admitiu hoje que o sector “possa vir a manifestar-se publicamente”, em protesto conjunto com os camionistas, disse hoje à agência Lusa o seu presidente, João Machado.

Os agricultores “reivindicam exactamente o mesmo que os camionistas, gasóleo profissional ao preço de Espanha”, e custos “mais baixos para os factores de produção”, explicou João Machado.

A decisão de protesto dos agricultores ainda não está tomada, depende das resoluções saídas hoje do encontro entre o Governo e os representantes dos transportadores pesados de mercadorias, disse o presidente da CAP.

A decisão de protesto será tomada dentro de poucos dias, conforme as soluções apontadas pelo Governo para resolver o problema dos elevados custos de produção, nomeadamente o preço do gasóleo, afirmou o representante da CAP.

Neste momento, é ainda prematuro tomar qualquer decisão, mas “os agricultores estão solidários com os camionistas”, revelou João Machado.

Os agricultores estão com problemas reais em relação ao transporte e colocação dos produtos nos mercados e superfícies comerciais, estando vários profissionais do sector com problemas graves nas explorações ao nível da logística, concluiu o responsável .

In “Público


Deixe o seu comentário

Brevíssima nota sobre o “Dia da Raça”

Depois de um esplendoroso 10 de Junho, como tivémos no “The Braganza Mothers“, pouco mais há a acrescentar. Vou ficar por duas migalhas, pequenas, mas mortais:
1) Cavaco enganou-me durante algum tempo. Várias vezes pensei que o seu modelo fosse Salazar. Eu, que nunca me engano, e raramente tenho dúvidas, caí, que nem um patinho, na conversa palonça dele. Cavaco não se julga Salazar: o modelo de Cavaco é Américo Thomaz, que era — aprendi na SIC — quem presidia sempre às Comemorações do Dia da Raça… Suponho, por corolário, que a figura de neo-Salazar fique, então, numa justa repartição de papéis, para o maneirinho vaidoso de Vilar de Maçada.
2) Hoje, depois de Sol, Água e Areia, vou para a cama com um pequeno desejo, uma cousa pouca, como a última vontade de um condenado à morte: que, amanhã, os camionistas se levantem com a mesma sanha de lhes “fazerem a folha”, com que eu, nos dias normais, me costumo deitar…
Ai, que bom que era…


1 Comentário

SOCIEDADE PERTURBADA

Baptista-Bastos
escritor e jornalista
b.bastos@netcabo.pt

Há dias, Joaquim Aguiar disse, na SIC, que José Sócrates não está preparado para a governação do País. Afirmação contundente, vinda de um conselheiro de Presidentes e de primeiros-ministros. O dr. Cavaco também o não estava, e dirigiu a nação durante uma longa e penosa década. Sabe-se que teve nas mãos rios de dinheiro, que trocou prioridades e atribuiu ao betão uma importância superlativa. A maioria absoluta de que dispôs colocou o português comum em estado de crispação. E a soberba dos seus áulicos recriou o espírito de obediência servil, marca d’água do salazarismo. Estamos, actualmente, na mesma situação. Quem não está de acordo, fora da carroça.

Cavaco, como Sócrates, entendia, difusamente, os princípios fundamentais da democracia, que se não limitam a questões de estatística. A democracia exige uma cultura democrática, e a identidade dessa cultura baseia-se na conciliação do respeito mútuo com a dimensão colectiva. Ambos, homens tensos, hirtos, de temperamento autoritário, desprezam a manifestação, a rua, o ardor do protesto que associam duas injunções aparentemente contraditórias: a igualdade de tratamento e diferencia- ção. [É curioso que o dr. Cavaco tenha designado o 10 de Junho por Dia da Raça, terminologia oficial do salazarismo. Raça? Que raça?].

Até hoje, não tivemos dirigentes à altura das expectativas dos portugueses. As crises, acumuladas umas nas outras, atingiram um estádio insuportável. A agitação social dos últimos meses não culmina com a questão dos combustíveis e a revolta dos camionistas. E estabelece uma relação de continuidade, cujas origens estão no desfasamento de quem dirige com a realidade circundante, e na recusa obstinada em selar um novo pacto social, que não coloque no limbo o mundo do trabalho. Pescadores parados, milhares de camiões estacionados, duzentas mil pessoas em desfile protestatário, a Igreja a dar inequívocos sinais de incomodidade, através de declarações veementes de D. Manuel Clemente e de D. Manuel Martins, pronunciamentos políticos de diversos sectores – eis a representação de uma sociedade perturbada.

Sócrates não conseguiu dar resposta aos problemas mais rudimentares. Um homem novo, incapaz de proceder à evicção do que é antigo, cediço, bafiento, praticante da cartilha de Milton Friedman, experimentada no Chile de Pinochet e um pouco por todo o mundo – com sangrentos rastos de miséria, morte e desespero. Não tenhamos receio das analogias. A História é uma comparação permanente. E aqueles que a não conhecem estão condenados a repeti-la.

Aparece, agora, como “novidade”, a candidata do PSD, cujo catecismo político pertence às regras e aos mandamentos dos Chicago Boys. Com perdão da palavra, assistimos à reincarnação do irracional.

In “DN


Deixe o seu comentário

CAVACO UM HOMEM ÀS DIREITAS: A Raça!


Image and video hosting by TinyPic

“Só quero comemorar o Dia da Raça”

O Sr. Cavaco, homem das direitas, conservador, endinheirado, amigo dos pobrezinhos, que também gosta de nos passar a mão pelo pêlo, proferiu ontem a mais selvática e racista frase inventada por Salazar.

Finalmente!!!! o homem tirou a máscara, e não nos venha com argumentos tacanhos e analfabetos, o Sr. Cavaco é inculto, para além de não saber o que diz, quer à viva força fazer dos portugueses, à imagem de antanho, atrasados mentais.

Não Sr. Cavaco, não somos os atrasadinhos que pensa, por muito que o queira esconder o Sr. é um homem de estrema direita, dessa mesmo, daquela que pensava eu já estar morta e enterrada à muito.