Catarse

Toda a alma é imortal, porque aquilo que se move a si mesmo é imortal.


Deixe o seu comentário

Ministros europeus ameaçam Portugal

Exigem programa de ajustamento “mais duro” e “mais abrangente” que o PEC 4, um “programa completo” de reformas. E os juros da dívida soberana portuguesa continuam em alta.
 

Passando por cima do facto de o Parlamento português ter rejeitado o PEC 4, o ministro finlandês disse que o que estava na mesa “já não chega, agora é preciso ir mais longe”.

O ministro de finanças da Finlândia, Jyrki Katainen, disse esta sexta-feira à entrada do Eurogrupo que o programa de ajustamento português terá de ser “mais duro” e “mais abrangente” que aquele que foi rejeitado pelo Parlamento português – o PEC 4.

“A Finlândia não gosta de uma situação em que um país não cuida das suas finanças públicas”, afirmou o ministro, que defendeu um “pacote de medidas muito estrito” para Portugal. Este dirigente do conservador-liberal Partido da Coligação Nacional permitiu-se ditar condições a Portugal. Passando por cima do facto de o Parlamento português ter rejeitado o PEC 4, o ministro finlandês disse que o que estava na mesa “já não chega, agora é preciso ir mais longe”.

Por seu lado, Olli Rehn, o comissário europeu da economia, avisou que o empréstimo será concedido mediante “condicionalidade estrita” e um “programa completo” de reformas

No coro entrou o ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schaeuble, que frisou que o mecanismo de socorro só é accionado com um “programa de ajustamento” de reformas no país.

Juros continuam a subir

O pedido de ajuda do governo português não alterou a especulação conta a dívida soberana do país.

Esta sexta, às 08h30, os juros exigidos para deterem títulos de dívida soberana portuguesa a cinco anos negociavam, em média, nos 9,904%, acima dos 9,837% da sessão anterior.

No prazo a 10 anos, a taxa negociava, em média, nos 8,635%, um valor superior aos 8,599% da sessão anterior.


Deixe o seu comentário

Fernando Sobral -Sons of a Fitch

Somos todos filhos da Fitch. E seremos todos netos da dívida. Não é preciso uma bola de cristal para adivinhar o presente ou o futuro: as agências de “rating” são os nossos videntes. São elas que viram a carta do nosso futuro e viram a cara ao sofrimento dos povos. São zombies que, como num filme de George Romero, cirandam pelo mundo, sem utilizar demasiado os neurónios, com uma única função: diminuir a saúde financeira dos seres humanos. A estes resta uma solução: barricarem-se à espera de uma salvação. Somos filhos da Fitch e dos seus acertos e desacertos. Somos filhos quando eles, com as suas notas, promovem o tumulto das bolsas e do euro. Somos enteados, quando eles, depois de se terem enganado com a Islândia ou o Lehman Brothers, continuam por aí a fabricar o medo. A Fitch e as suas irmãs inspiraram as suas notas no mundo da última fronteira: os westerns onde se multiplicavam os ranchos Triple A e Triple J. Por isso acham que os países e os povos são penitentes sujeitos à sua lei das notações. Ao menos, no oeste americano, no mundo do mais forte, dava-se um tiro no desprotegido e este não sofria mais. Não percebemos, no entanto, porque é que no mundo dos filhos da Fitch são mais iguais do que os outros. E porque é que é sempre o filho americano que é protegido. Como filhos da Fitch também não percebemos porque é que sendo eles xerifes por conta própria, não têm um “marshall” que os analise. E lhes dê notas segundo o seu comportamento. Compreende-se que o Governo português seja um bom filho da Fitch. Não se percebe porque a UE ainda o é.


Deixe o seu comentário

Tempos difíceis para os portugueses mais pobres

Por Isabel Resende e João Paulo Madeira
Classe média tem carga fiscal agravada e população carenciada é forçada a sacrifícios. Congelamento de prestações sociais eleva número de pobres para cima dos dois milhões

tempos modernos

Embora caiba à classe média a maior parte do esforço de correcção das contas públicas nos próximos anos, o sacrifício vai estender-se à camada mais carenciada da população. Nos próximos quatro anos, a população mais dependente de ajudas do Estado perderá 7% do poder de compra, graças ao congelamento das prestações sociais que o Governo anunciou na versão preliminar do Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC), segundo cálculos do SOL. Os especialistas admitem que a pobreza aumente, atingindo mais de dois milhões de pessoas.

O PEC prevê o congelamento de todas as prestações não contributivas até 2013. Esta medida abrange o Complemento Solidário para Idosos (CSI), que tem 243 mil beneficiários, o Rendimento Social de Inserção (RSI), pago a 385 mil pessoas, e a pensão social, atribuída a cerca de 80 mil reformados.

Em conjunto, estes três grupos constituem a franja da população mais carenciada. A pensão é atribuída a quem não fez descontos suficientes para ter direito à reforma do regime geral, tendo um valor médio de 189 euros. O RSI e o CSI são complementos mensais para a população com rendimentos mais baixos – em média são de 89 euros.

O Governo prevê que a inflação suba de forma progressiva até 2% em 2013, impondo uma perda de 7% ao poder de compra desses beneficiários. Se as prestações fossem actualizadas à inflação, um beneficiário chegaria a 2013 com mais 84 euros de rendimento anual.

O presidente da União das Misericórdias Portuguesas, Manuel Lemos, considera que «num momento difícil, tudo o que implique congelar prestações de idosos é preocupante». Embora reconheça a situação «gravíssima» da economia e a necessidade de controlar a despesa pública, Manuel Lemos antecipa que o congelamento das prestações sociais terá «necessariamente» consequências no nível de pobreza. «Como a taxa de pobreza é calculada com base no rendimento, é óbvio que vai aumentar. Com facilidade, poderá passar para 20%». Actualmente, a taxa de pobreza em Portugal é de 18% (1,9 milhões de portugueses vivem com menos de 60% do rendimento médio nacional – 414 euros por mês). Se estas previsões se confirmarem, poderá haver mais de dois milhões de pobres.

O economista Abel Mateus antevê que o congelamento das prestações sociais acarrete «graves consequências para as classes mais pobres». Carlos Pereira da Silva, docente universitário especializado em Segurança Social, acredita que dentro de três a quarto anos teremos «uma sociedade mais pobre». Muitos desempregados actuais não conseguirão regressar ao mercado de trabalho e ficarão sem rendimentos. «Aceitarão reformas antecipadas com penalizações altíssimas e, em muitos casos, com pensões inferiores ao salário mínimo», antecipa.

Classe média paga mais

A versão preliminar do PEC contém medidas que, além das classes mais carenciadas, vão sobrecarregar a classe média. O Governo quer antecipar a entrada em vigor da reforma aos 65 anos para a Função Pública, contra os actuais 62,5. A medida estava prevista para 2015, mas pode ser antecipada para 2012 ou 2013. No regime geral, o Executivo pretende reduzir as deduções nas pensões superiores a 22.500 euros por ano (ver caixa).

O PEC propõe ainda o aumento do esforço fiscal para rendimentos superiores a 500 euros por mês, com a introdução de tectos aos benefícios fiscais – despesas de saúde, educação, PPR, habitação, etc. Para Samuel Almeida, advogado da Miranda Correia Amendoeira – que efectuou as simulações fiscais para o SOL –, «a classe média será a mais penalizada». Esta medida implicará um agravamento fiscal de 100 a 700 euros.

Está também a ser pensada uma alteração às regras do subsídio de desemprego, para promover um regresso mais rápido à vida activa.

Nas classes mais altas, os rendimentos superiores a 150 mil euros serão tributados a uma taxa extraordinária de 45%, em vigor apenas até 2013 (hoje é de 42%). Samuel Almeida estima que sejam afectados 30 mil agregados familiares com esta medida.

Simulações

Prestações sociais: Beneficiários mais pobres terão rendimentos congelados. A inflação prevista para este ano é de 0,8% e sobe para 2% até 2013. Poder de compra cai 7% em quatro anos

Novo escalão 45%: Um solteiro com um filho que ganhe 175 mil euros por ano vai pagar mais 5.133 euros de IRS

Pensionistas: Um reformado com uma pensão de 25 mil euros e um dependente pagará mais 718 euros de impostos

Tecto benefícios: Contribuintes com rendimentos superiores a 7.250 euros terão aumento da carga fiscal entre 100 e 700 euros

joao.madeira@sol.pt e isabel.resende@sol.pt


Deixe o seu comentário

EUA e UE negoceiam secretamente corte de Internet a piratas

Pirataria-1.jpg image by techpolls

Os EUA e a União Europeia reuniram-se secretamente para discutir medidas de combate à pirataria. No encontro, os EUA lançaram um duplo alerta às empresas que fornecem os acessos à Internet (os ISP): ou colaboram com as autoridades e impedem que os piratas acedam à Net ou podem vir a ser co-responsabilizados pelas acções de pirataria, avança o site «Numerama», que revela uma negociação secreta entre EUA e a União Europeia.

Que acordo será este? Chama-se «Anti-Counterfeiting Trade Agreement» (ACTA) e nele os EUA propõem que o corte de acesso à Net seja efectuado depois de as autoridades judiciais serem consultadas.

Embora tivessem um carácter secreto, as negociações entre os mais de 40 países que participaram no encontro, realizado no México, foram alvo de uma fuga de informação na Internet.

A preocupação com a pirataria digital tem motivado a procura de um consenso e de uma uniformização de práticas de luta contra a pirataria, na Internet.

Para já, ainda não há certezas quanto a uma lei de definitiva aplicação geral, mas as negociações do ACTA deverão recomeçar dentro de dois meses.


Deixe o seu comentário

A história surpreendente atrás do embuste do aquecimento global


Um texto publicado em Janeiro de 2009 no site OSMOOTHIE alertava para a manipulação climatérica, para o embuste do CO2 como principal poluente da atmosfera e causado do efeito de estufa:
Publicado janeiro em 29, 2009

KUSI, “a história surpreendente atrás do embuste do aquecimento global
por John Coleman

Todos os actores importantes estão agora no lugar em Washington e nos governos estatais através de América para etiquetar oficialmente o dióxido de carbono como um poluente e para decretar as leis que nos taxam cidadãos para nossas pegadas do carbono. Somente dois detalhes estão na maneira, nos tempos económicos esmorecidos e em uma volta dramática para um clima mais frio. Os últimos dois Invernos amargos têm conduzir a uma ascensão na consciência pública que o CO2 não é um poluente e não é um gás de estufa significativo que esteja provocando o aquecimento global do fugitivo.

Como nós chegamos a este ponto onde a ciência má está conduzindo o governo ?

A história começa com um Oceanographer nomeado Roger Revelle. Seriu com a marinha na segunda guerra mundial. Depois que a guerra ele assentou bem no director do instituto Oceanographic de Scripps em La Jolla em San Diego, Califórnia. Revelle viu a oportunidade de obter o financiamento principal da marinha para fazer medidas e pesquisa sobre o oceano em torno dos Atolls pacíficos onde as forças armadas dos E.U. conduziam testes da bomba atómica. Expandiu extremamente as áreas do instituto de interesse e entre outro empregou Hans Suess, um químico notável da Universidade de Chicago, que estava muito interessada nos traços de carbono no ambiente do burning de combustíveis fósseis. Revelle etiquetou sobre aos estudos de Suess e co-autorizou um estudo em 1957. O papel levanta a possibilidade que o dióxido de carbono pôde criar um efeito de estufa e causar o aquecimento atmosférico. Parece ser um argumento para financiar para mais estudos. Financiar, sincera, é onde a mente de Revelle estava na maioria das vezes.

Revelle seguinte empregou um Geochemist nomeado David Keeling para planear uma maneira de medir o índice atmosférico do dióxido de carbono. Em Keeling 1960 publicado seu primeiro papel que mostra o aumento no dióxido de carbono na atmosfera e que liga o aumento à queima de combustíveis fósseis.

Estes dois artigos de investigação transformaram-se a terra firme da ciência do aquecimento global, mesmo que não oferecessem nenhuma prova que o dióxido de carbono era de facto um gás de estufa. Além não explicaram como este gás de traço, simplesmente uma fração minúscula da atmosfera, poderia ter todo o impacto significativo em temperaturas.

Deixe-me agora tomá-lo de volta aos anos 50 em que isto estava indo sobre. Nossas cidades entrapped em um nuvem da poluição motor a combustão interna crus que carros pstos e caminhões para trás então e das emissões descontroladas das centrais energéticas e das fábricas. Os carros e as fábricas e as centrais energéticas enchiam o ar com todas as sortes dos poluentes. Havia um válido e a preocupação séria sobre as consequências da saúde desta poluição e de um movimento ambiental forte estava tornando-se para exigir a ação. O governo aceitou este desafio e os padrões ambientais novos foram ajustados. Os cientistas e os coordenadores vieram ao salvamento. Os novos combustíveis reformulados  foram desenvolvidos para carros, como eram os motores altas tecnologia, controlados por computador novos e os conversores catalíticos. Em o meio dos anos 70 os carros eram já não poluidores do máximo, emitindo-se somente alguns dióxido de carbono e vapor de água de suas tubulações de cauda. Do mesmo modo, o processamento novo do combustível e os purificadores da pilha de fumo foram adicionados a industrial e as centrais energéticas e suas emissões foram reduzidas extremamente, também.

Mas um movimento ambiental tinha sido estabelecido e seu financiamento e muito existência dependeu de ter uma edição de continuação da crise. Assim os artigos de investigação de Scripps vieram apenas no momento direito. E, com eles veio o nascimento de uma edição; aquecimento global sintético do dióxido de carbono da queima de combustíveis fósseis.

Revelle e Keeling usaram esta alarmismo nova para manter seu crescimento do financiamento. Outros investigadores com motivações ambientais e uma fome para o financiamento viram este tornar-se e escalaram-no a bordo também. As concessões de pesquisa começaram a fluir e a hipótese alarmista começou a aparecer em toda parte.

A curva de Keeling mostrou uma ascensão constante no CO2 na atmosfera durante o período desde que o óleo e o carvão foram descobertos e usados pelo homem. Até à data de hoje, o dióxido de carbono aumentou de 215 a 385 porções por milhão. Mas, apesar dos aumentos, é ainda somente um gás de traço na atmosfera. Quando o aumento for real, a percentagem da atmosfera que é CO2 permanece minúscula, aproximadamente .41 centésimo de um por cento.

Diverso a hipótese emergiu nos anos 70 e no 80s sobre como este componente atmosférico minúsculo do CO2 pôde causar um aquecimento significativo. Mas permaneceram não demonstrados. Os anos passaram e os cientistas mantiveram-se alcangar para fora para a evidência do aquecimento e da prova de suas teorias. E, o dinheiro e as reivindicações ambientais manteve-se na acumulação.

Para trás nos anos 60, esta pesquisa do aquecimento global veio à atenção de um Maurício nomeado de nação unida carregada burocrata canadense forte. Procurava edições que poderia se usar para cumprir seu sonho do governo do um-mundo. Forte organizou um evento do dia de terra do mundo em Estocolmo, Sweden em 1970. Disto desenvolveu um comité dos cientistas, dos ecólogos e de eficiente políticos do UN para continuar uma série de reunião.

Forte desenvolveu o conceito que o UN poderia exigir pagamentos das nações avançadas para o dano climático de seu burning de combustíveis fósseis beneficiar as nações subdesenvolvidas, uma sorte do imposto do CO2 que fosse o financiamento para seu governo do um-mundo. Mas, ele necessário mais prova científica suportar sua tese preliminar. Tão forte patrocinou o estabelecimento do painel intergovernamental de nação unida na mudança de clima. Esta não era uma organização científica do estudo puro do clima, como nós fomos conduzimos para acreditar. Era uma organização dos burocratas do UN do governo do um-mundo, dos activistas ambientais e dos cientistas da ecologia que imploraram o financiamento do UN assim que poderiam produzir a ciência eles necessários para parar a queima de combustíveis fósseis. Durante os últimos 25 anos foram muito eficazes. As centenas de papéis científicos, de quatro reuniões internacionais principais e de resmas de notícias sobre o Armageddon climático mais tarde, o UN IPCC fizeram seus pontos à satisfação da maioria e compartilharam mesmo de um prémio de paz de Nobel com Al Gore.

Ao mesmo tempo, esse Maurício Strong era ocupado no UN, coisas começ um bocado fora da mão para o homem que é chamado agora o avô do aquecimento global, Roger Revelle. Tinha sido muito polìtica active nos anos 50 atrasados porque trabalhou para mandar a Universidade do Califórnia encontrar um terreno de San Diego junto ao instituto de Scripps em La Jolla. Ganhou essa guerra principal, mas perdeu uma batalha da mais alta importância mais tarde quando foi passado sobre na selecção do primeiro chanceler do terreno novo.

Deixou Scripps finalmente em 1963 e transportou-se à Universidade de Harvard para estabelecer um centro para estudos de população. Era lá que Revelle inspirou um de seus estudantes assentar bem em um activista principal do aquecimento global. Este estudante diria mais tarde, “ele feltro como tal privilégio poder ouvir-se sobre os readouts de algumas daquelas medidas em um grupo de não mais do que os undergraduates uma dúzia. Estava aqui este professor que apresenta a algo não os anos velhos mas frescos fora do laboratório, com implicações profundas para nosso futuro!” O estudante descreveu-o como “um professor maravilhoso, visionário” quem fosse “um dos primeiros povos na comunidade académico para soar o alarme no aquecimento global,” esse estudante era Al Gore.

gore_firegloablawarminghoax1

Pensou do Dr. Revelle como seu mentor e referiu-lhe frequentemente, retransmitindo suas experiências como um estudante em sua terra do livro no contrapeso, publicou em 1992.

Então, Roger Revelle era certamente o avô do aquecimento global. Seu trabalho tinha colocado a fundação para o UN IPCC, desde que a munição do combustível do anti-fóssil ao movimento ambiental e a Al Gore emitido em sua estrada a seus livros, sua movimento, seu prémio de paz de Nobel e uns cem milhão dólares do negócio de créditos do carbono.

O que aconteceu em seguida é surpreendente. A agitação do aquecimento global estava transformando-se a celebridade da causa dos meios. Depois que todos os meios são na maior parte liberais, ama Al Gore, amores advertir que nós de desastres iminentes e para nos dizer “o céu estão caindo, o céu estão caindo”. Os políticos e o ecólogo amaram-no, demasiado.

Mas a maré estava girando com o Roger Revelle. Foi forçado para fora em Harvard em 65 e retornou a Califórnia e semi a uma posição da aposentadoria no UCSD. Lá teve o tempo para repensar o dióxido de carbono e o efeito de estufa. O homem que tinha inspirado Al Gore e tinha dado ao UN a investigação básica ele necessário para lanç seu painel intergovernamental na mudança de clima tinha dúvidas. Em 1988 escreveu duas letras preventivas aos membros de congresso. Escreveu, “minha própria opinião pessoal é que nós devemos esperar outros 10 ou 20 anos a ser convencidos realmente que o efeito de estufa está indo ser importante para seres humanos, em maneiras positivas e negativas.” Adicionou, “… nós devemos ser cuidadosos não despertar demasiado alarme até a taxa e uma quantidade de aquecimento torna-se mais desobstruída.”

E em 1991 Revelle aliou-se com Chauncey Starr, fundando o directivo do instituto de investigação da energia eléctrica e do cantor de Fred, o primeiro diretor do serviço satélite de tempo dos E.U., para escrever um artigo para o compartimento do cosmos. Incitaram mais pesquisa e imploraram cientistas e governos não mover demasiado rápido para emissões de CO2 da estufa do freio porque era de modo nenhum certo que o impacto verdadeiro do dióxido de carbono e limitar o uso de combustíveis fósseis poderia ter um impacto negativo enorme na economia e os trabalhos e nosso standard de vida. Eu discuti esta colaboração com o Dr. Cantor. Assegura-me que era consideravelmente mais certo que Revelle do que era naquele tempo que o dióxido de carbono não era um problema.

Roger Revelle atendeu à enclave do verão no bosque boémio em Califórnia do norte no verão de 1990 ao trabalhar nesse artigo? Entregou um discurso da beira do lago lá aos motores e aos abanadores montados de Washington e de Wall Street em que se desculpou emitindo o UN IPCC e Al Gore neste ganso selvagem – persiga sobre o aquecimento global? Disse que a conjectura científica chave de sua vida tinha despejado erradamente? A resposta 2 aquelas perguntas é, “eu penso assim, mas eu não a sei  certo”. Eu não consegui confirmar até à data deste momento. É um pequeno como Las Vegas; o que é dito nas estadas boémias do bosque no bosque boémio. Não há nenhum transcrito ou as gravações e os povos que atendem são incentivados não falar. Contudo, o tópico é tão importante, que alguns povos compartilharam comigo em uma base informal.

Roger Revelle morreu de um ataque cardiaco três meses depois que a história do cosmos foi imprimida. Oh, como eu o desejo estavam ainda vivo hoje. Pôde poder parar este disparate científico e terminar o embuste do aquecimento global.

Al Gore não admitiu a culpa do Mea de Roger Revelle como as acções do homem idoso senil. E, o próximo ano, ao funcionar para o vice-presidente, disse que a ciência atrás do aquecimento global está estabelecida e não haverá não mais debate, de 1992 até que hoje, e suas cortes recusem debater o aquecimento global e em que nos pergunte aproximadamente cépticos insultam-nos simplesmente e chamam-nos nomes.

Tão hoje nós temos a aceitação do dióxido de carbono como o culpado do aquecimento global. Conclui-se que quando nós queimamos combustíveis fósseis nós estamos deixando uma pegada inexorável do carbono que nós devamos pagar a Al Gore ou aos ecólogos para deslocar. Nossos governos em todos os níveis estão considerando taxar o uso de combustíveis fósseis. A Agência de Protecção Ambiental federal está na orla de nomear o CO2 como um poluente e estritamente de regular seu uso proteger nosso clima. O presidente novo e o congresso dos E.U. são a bordo. Muitos governos estatais estão movendo sobre o mesmo curso.

Nós já estamos sofrendo deste disparate do CO2 de várias maneiras. Nossa política energética hobbled estritamente por nenhuma perfuração e por nenhumas refinarias novas por décadas. Nós pagamos pela falta que esta criou cada vez que nós compramos o gás. Sobre isso que o tudo isto sobre o milho baseou o álcool etílico custa-nos milhões dos dinheiros provenientes dos impostos nos subsídios. Isso igualmente conduziu acima dos preços dos alimentos. E, toda a esta é longe de sobre.

E, eu sou convencido totalmente que não há nenhuma base científica para algum dela.

Aquecimento global. É o embuste. É ciência má. É um levantamento com macaco elevado da política de interesse público. Não é nenhum gracejo. É o grande embuste na história.

John Coleman é o fundador da canaleta de tempo e é um apresentador do tempo para o KUSI em San Diego, CA.

Neste momento, este artigo continua a ter importência pelo facto de ter rebentado o caso “Climategate”. Mais um vídeo acerca do assunto:



Deixe o seu comentário

Sweet Misery: A Poisoned World – Parte 07/08 – Aspartame

O aspartamo ou aspartame é uma neurotoxina utilizada para substituir o açúcar comum. Ele tem maior poder de adoçar (cerca de 200 vezes mais doce que a sacarose) e é menos denso. O aspartamo geralmente é vendido junto com outros produtos. É o adoçante mais utilizado em bebidas.

O aspartamo é consumido por mais de 200 milhões de pessoas, em todo o mundo e está presente em mais de 6000 produtos.
Este veneno esta sendo consumido inocentemente pelas pessoas, com aprovação da Organização Mundial de Saúde.

Faça uma pesquisa por “Codex Alimentarius” e você ficará surpreso com as proporções que isso vem tomando.

Obs: Não fui eu quem legendou o video, apenas mesclei as legendas a ele. Mesmo que em alguns momentos tenham dificuldade de acompanhar a legenda por conta da cor, vale a pena assistir ao documentário

Publicado por libertas000


1 Comentário

Sweet Misery: A Poisoned World – Parte 05/06 – Aspartame

O aspartamo ou aspartame é uma neurotoxina utilizada para substituir o açúcar comum. Ele tem maior poder de adoçar (cerca de 200 vezes mais doce que a sacarose) e é menos denso. O aspartamo geralmente é vendido junto com outros produtos. É o adoçante mais utilizado em bebidas.

O aspartamo é consumido por mais de 200 milhões de pessoas, em todo o mundo e está presente em mais de 6000 produtos.
Este veneno esta sendo consumido inocentemente pelas pessoas, com aprovação da Organização Mundial de Saúde.

Faça uma pesquisa por “Codex Alimentarius” e você ficará surpreso com as proporções que isso vem tomando.

Obs: Não fui eu quem legendou o video, apenas mesclei as legendas a ele. Mesmo que em alguns momentos tenham dificuldade de acompanhar a legenda por conta da cor, vale a pena assistir ao documentário

Publicado por libertas000


Deixe o seu comentário

Alex Jones: A Mentira de Obama (The Obama Deception) 11

NO INFRINGEMENT OF COPYRIGHT IS INTENDED

obama-brainThe Obama Deception – A Mentira de Obama é o mais novo documentário do produtor Alex Jones onde destrói por completo o mito de que Barack Obama esteja trabalhando no melhor dos interesses do povo americano.

O fenómeno de Obama é uma mentira maquinada cuidadosamente para liderar a NOva Ordem Mundial. Obama foi apresentado como o salvador em uma tentativa de enganar o povo americano com o fim de aceitar a escravidão mundial.

Já não se trata de esquerda ou direita, de comunismo ou sistema de liberdades, do que realmente se trata até agora de forma encoberta é de um Governo Mundial.

Este documentário cobre: Para quem Obama trabalha, as mentiras que disse e sua verdadeira agenda. Se você quer saber dos factos e passar por cima de toda essa ladainha messiânica, este filme é para você.

http://www.prisionplanet.com
http://www.infowars.com

Publicado por deusmihifortis


5 Comentários

Alex Jones: A Mentira de Obama (The Obama Deception) 10

NO INFRINGEMENT OF COPYRIGHT IS INTENDED

obama-brainThe Obama Deception – A Mentira de Obama é o mais novo documentário do produtor Alex Jones onde destrói por completo o mito de que Barack Obama esteja trabalhando no melhor dos interesses do povo americano.

O fenómeno de Obama é uma mentira maquinada cuidadosamente para liderar a NOva Ordem Mundial. Obama foi apresentado como o salvador em uma tentativa de enganar o povo americano com o fim de aceitar a escravidão mundial.

Já não se trata de esquerda ou direita, de comunismo ou sistema de liberdades, do que realmente se trata até agora de forma encoberta é de um Governo Mundial.

Este documentário cobre: Para quem Obama trabalha, as mentiras que disse e sua verdadeira agenda. Se você quer saber dos factos e passar por cima de toda essa ladainha messiânica, este filme é para você.

http://www.prisionplanet.com
http://www.infowars.com

Publicado por deusmihifortis


1 Comentário

Alex Jones: A Mentira de Obama (The Obama Deception) 9

NO INFRINGEMENT OF COPYRIGHT IS INTENDED

The Obama Deception – A Mentira de Obama é o mais novo documentário do produtor Alex Jones onde destrói por completo o mito de que Barack Obama esteja trabalhando no melhor dos interesses do povo americano.

O fenómeno de Obama é uma mentira maquinada cuidadosamente para liderar a NOva Ordem Mundial. Obama foi apresentado como o salvador em uma tentativa de enganar o povo americano com o fim de aceitar a escravidão mundial.

Já não se trata de esquerda ou direita, de comunismo ou sistema de liberdades, do que realmente se trata até agora de forma encoberta é de um Governo Mundial.

Este documentário cobre: Para quem Obama trabalha, as mentiras que disse e sua verdadeira agenda. Se você quer saber dos factos e passar por cima de toda essa ladainha messiânica, este filme é para você.

http://www.prisionplanet.com
http://www.infowars.com

Publicado por deusmihifortis


Deixe o seu comentário

Alex Jones: A Mentira de Obama (The Obama Deception) 7

Alex Jones: A Mentira de Obama (The Obama Deception) 8

NO INFRINGEMENT OF COPYRIGHT IS INTENDED

The Obama Deception – A Mentira de Obama é o mais novo documentário do produtor Alex Jones onde destrói por completo o mito de que Barack Obama esteja trabalhando no melhor dos interesses do povo americano.

O fenómeno de Obama é uma mentira maquinada cuidadosamente para liderar a NOva Ordem Mundial. Obama foi apresentado como o salvador em uma tentativa de enganar o povo americano com o fim de aceitar a escravidão mundial.

Já não se trata de esquerda ou direita, de comunismo ou sistema de liberdades, do que realmente se trata até agora de forma encoberta é de um Governo Mundial.

Este documentário cobre: Para quem Obama trabalha, as mentiras que disse e sua verdadeira agenda. Se você quer saber dos factos e passar por cima de toda essa ladainha messiânica, este filme é para você.

http://www.prisionplanet.com
http://www.infowars.com

Publicado por deusmihifortis


Deixe o seu comentário

A ILUSÃO DO “MILAGRE IRLANDÊS”

Durante os últimos anos, o chamado “milagre irlandês” era apontado por vários analistas da nossa praça como exemplo a seguir pelos portugueses.
Distinguia-se nesse aconselhamento o famigerado COMPROMISSO PORTUGAL (em cujo site, http://www.compromissoportugal.pt/, se podem recordar as loas a que era votado esse modelo).

Mas veio a crise e e o “milagre” deixou de existir. Os bancos irlandeses entraram em pré-falência e o estado irlandês teve de os socorrer.
Agora até há quem lhe chame:

O desmilagre irlandês

Francisco Sarsfield Cabral, um conservador sensato e moderado, no seu último artigo no Publico, analisava de maneira curiosa o que ja se chamou o milagre irlandês – que tanto o fascinara a ele e à generalidade dos liberais. Depois de reconhecer que «o milagre acabou e que a Irlanda está hoje a braços com um aperto financeiro e económico de proporções dramáticas», conclui uma coisa que já outros tinham antes denunciado: que «o crescimento económico pouco contribuiu para debelar a pobrea na Irlanda».

Há muito que se denunciava o facto de a Irlanda enriquecer à custa da maior pobreza dos irlandeses (apenas uma minoria beneficiava do sistema liberal de desevolvimento do País).

Mas Cabral reconhce ainda isto: «Os agricultores irlandeses beneficiaram muito com o proteccionismo da política agrícola europeia».

Conclusões: afinal, o proteccionismo nem sempre é mau,  mas o enriquecimento de um País sem ter em conta o bem estar da população é sempre péssimo. Ou seja: não é verdade que, enriquecendo os empresários, se enriqueça a população. A distribuição da riqueza não é um mecanismo normal do mercado liberalizado, e o Estado faz cada vez mais sentido. É pena é terem desaparecido os partidos – os de esquerda ou os democrata-cristãos – que defendem a redistribuição as riqueza.

http://sol.sapo.pt/blogs/pedrodanunciacao/archive/2009/02/13/O-desmilagre-irland_EA00_s.aspx

Mas na própria Irlanda havia quem não acreditasse no “milagre”, como o conhecido e influente jornalista irlandês Fintan O’Toole (que escreve regularmente para o jornal inglês The Guardian).  Já em 2005 isso era denunciado entre nós.

Vejamos o que foi publicado na edição portuguesa n.º 15 do Courrier International:

“Um modelo, a Irlanda? Deixem-me rir!

A ideia de que os europeus deviam seguir o exemplo irlandês assenta numa ilusão. Embora a economia esteja a prosperar, as coisas não correm melhor do que em qualquer outro país no que se refere à saúde, ao ambiente e à educação.

O debate irlandês sobre a crise na União Europeia (UE) baseia-se numa convicção presunçosa: a velha Europa teria muito a aprender connosco. Encontramos soluções para todos os problemas, quando eles estão prisioneiros do passado e do modelo obsoleto do Estado-providência. Mas detenhamo-nos na realidade irlandesa, para a colocar em perspectiva com as outras realidades europeias.

Vejamos primeiro a saúde. A Irlanda apresenta uma das piores taxas de mortalidade masculina da União e a mais curta esperança de vida dos homens. A mortalidade perinatal é a mais elevada entre os 15 membros originais e a mortalidade devido a doenças respiratórias, tanto nos homens como nas mulheres. Só o Quirguistão, o Cazaquistão e o Turquemenistão registam mais óbitos por cancro do pulmão, asma, pneumonia e doenças pulmonares obstrutivas crónicas do que a Irlanda e o Reino Unido.

A protecção do ambiente não está na melhor situação. Ganhamos regularmente a medalha do maior infractor da União, com duas vezes mais advertências, no ano passado, do que a França, que tem dez vezes mais habitantes do que a Irlanda. Com apenas um por cento da população europeia, somos objecto de 10 por cento das queixas da Comissão de Bruxelas em questões ligadas ao ambiente e também somos o pior aluno europeu em matéria de controlo das emissões pelas alterações climáticas.

Vamos agora à educação. Na Irlanda, uma turma do ensino básico tem, em média, 24,5 alunos, o que é muito superior à maioria dos nossos parceiros: 19 alunos por turma na Dinamarca, 20 na Bélgica, 18 na Itália e 15 no Luxemburgo. Em matéria de línguas estrangeiras, os irlandeses posicionam-se em terceiro lugar na classificação dos menos dotados, à frente dos britânicos e dos húngaros. Por fim, a nossa taxa de iliteracia nos adultos é uma das mais elevadas, não apenas da Europa, mas no conjunto dos países desenvolvidos.

Quanto aos critérios sociais, a Itália é o único país europeu a rivalizar com os nossos resultados16 por cento dos miúdos irlandeses vivem na miséria. A percentagem de irlandeses que vivem na pobreza após receberem os subsídios do Estado é a mais elevada da UE, a par dos gregos e dos eslovacos. O nosso país também se classifica em quarto lugar na desigualdade dos rendimentos. E, de acordo com o programa da ONU para o Desenvolvimento, ocupa a segunda posição entre os países mais afectados pela pobreza e as desigualdades no seio da OCDE, a seguir aos Estados Unidos e, portanto, à cabeça da UE. em matéria de pobreza das crianças:

Aviso aos preguiçosos franceses e aos apáticos alemães, perfeitamente incapazes de criarem nos seus países um verdadeiro ímpeto dinâmico: estão à procura de um modelo de sucesso, alicerçado numa estratégia nacional forte com base na incompetência dos poderes públicos? Não procurem mais, têm a Irlanda…”


Por: Fintan O’Toole, The Irish Times, Dublin, in: n.º 15 do Courrier internacional – Pág. 12


A Irlanda com uma das mais altas taxas de mortalidade masculina da União Europeia e a mais curta esperança de vida dos homens
? Mas isso não é um milagre, é um autêntico pesadelo!! Desigualdade de rendimentos?! Pobreza?! 16% das crianças irlandesas na miséria?! E a propaganda do “milagre” continuava!

Pois é!! Os próprios irlandeses não estavam convencidos do seu “milagre” mas o COMPROMISSO PORTUGAL teimava em impingi-lo aos coitados dos portugueses.  Neste momento o  COMPROMISSO  PORTUGAL está em eclipse e desde o Verão de 2008 que não se manifesta.


http://obliquo-era.blogspot.com/2005/07/o-milagre-ou-ser-o-pesadelo-irlands.html

Fintan O’Toole is considered Ireland’s foremost theater critic

Fintan O’Toole (born 1958) books: The Politics of Magic: The Work and Times of Tom Murphy (Dublin, Raven Arts Press, 1987); A Mass for Jesse James: A Journey Through 1980s Ireland (Raven Arts Press, 1990); Black Hole, Green Card: The Disappearance of Ireland (Dublin, New Island Books, 1994); Meanwhile Back at the Ranch: The Politics of Irish Beef (New Island Books, 1994); Macbeth & Hamlet (New Island Books, 1995); A Traitor’s Kiss: The Life of Richard Brinsley Sheridan (London, Granta Books/New York, Farrar Straus and Giroux, 1997); The Ex-Isle of Erin: Images of a Global Ireland (New Island Books, 1997); The Lie of the Land (Dublin, New Island Books/London, Verso Books/New York, W W Norton, 1998); The Irish Times Book of the Century (Dublin, Gill & MacMillan, 1999); Shakespeare is Hard, But So is Life: A Radical Guide to Shakespearean Tragedy (London, Granta Books, 2002); After The Ball ([TASC] New Island Books, 2003); Post Washington: Why America Can’t Rule the World ([with Tony Kinsella] New Island Books, 2005); White Savage: William Johnson and the Invention of America (London, Faber and Faber/New York, Farrar, Straus and Giroux, 2005); The Irish Times Book of The 1916 Rising, 2006 ([with Shane Hegarty] Gill & Macmillan, 2006).
A journalist with The Irish Times, he has worked in the US and China. He lives in Dublin.


1 Comentário

Protests on Wall Street – what the news media isn’t showing you. A Censura dos Meios de Comunicação! Protestos Censurados…

Protestos em Wall Street – o que os meios de comunicação não mostram

Hubpages
Segunda-feira, 29 de Setembro, 2008

Ocorreram manifestações em Wall St para protestar contra o plano de fiança – e os principais meios de comunicação social nem sequer mencionam.

Centenas de manifestantes protestaram contra a proposta de $ 700 bilhões de fiança no plano para o sector financeiro e bancário, no entanto, os meios de comunicação nacional na América nem sequer o relataram! Por que não?

Parece estranho que  gerou um mal  estar por parte das grande cadeias noticiosas  como ABC, CNN, CBS, NBC etc. todas têm uma grande presença em New York City. Apesar de ter sido um evento tão grande e do protesto ocorrer num pátio traseiro, os principais meios noticiosos escolheram não dizer ao povo americano. Tive de procurar na  Internet para encontrar notícias sobre o assunto. Isso é realmente indicativo da situação patética nos meios dos E.U. de hoje. Em todo o caso, e caso  você não os tenha visto, eu colectei um grupo de vídeos dos protestos em Wall Street (Sept. 25) e afixei-os. Tenha em consideração  que os meios de comunicação não lhe mostraram nada!

Aviso: alguns dos vídeos do protesto contêm obscenidades.

In prision Planet

The most frightening part of Rep. Burgess’ one-minute floor speech is when he says, “Mr. Speaker I understand we are under Martial Law as declared by the speaker last night.”

Nós juramos constitucionalmente para proteger e defender esta república de encontro a todos os inimigos estrangeiros e domésticos. E meus amigos há inimigos,” Kaptur disse . “Os que empurram este negócio são os responsáveis pela implosão em Wall Street. Eram fraudulentos então e são fraudulentos agora.” “Minha mensagem ao povo americano é não deixar o congresso selar este negócio. Foram cometidos importantes crimes financeiros,” acrescentou a  Democrata de Ohio.


5 Comentários

Caiu a máscara da “UE”?UM GENERAL ALEMÃO PÕEM EM CAUSA TODA A EXISTÊNCIA DA UNIÃO EUROPEIA!

REVELAÇÕES SENSACIONAIS DE UM GENERAL ALEMÃO PÕEM EM CAUSA TODA A EXISTÊNCIA DA UNIÃO EUROPEIA!

A “CEE” (berço da actual “UE”), classificada pelo Embaixador Franco Nogueira (de saudosa memória) como “Comboio Europeu liderado pela Alemanha porque é ela que dá força, que decide para onde vai, quem entra, como e quando”, está agora ser posta em causa pela revelação de um segredo há muito suspeitado mas muito bem guardado.

A máquina do “Comboio Europeu” foi tomada por “cowboys”, seus mentores sionistas e obedientes vassalos!

A UNIÃO EUROPEIA não se encontra em mãos de defensores de interesses europeus mas nas de “pontas de flechas” de interesses globalistas, contrárias aos interesses europeus!

Com uma força esmagadora, foram os factos agora colocados sobre a mesa, como se um punho de aço a partisse para acordar mesmo os que não querem ouvir!

Um General alemão, Gerd-Helmut Komossa, comandante da 12ª Divisão-Panzer e antigo chefe do “MAD” (Militärischer Abschirmdienst = Serviço Militar de Contra-Espionagem da RFA), publicou o que há muito se desconfiava mas que ninguém ousava exprimir.

Na sua obra: “DIE DEUTSCHE KARTE – DAS VERDECKTE SPIEL DER GEHEIMEN DIENSTE – (A CARTA ALEMÃ – O JOGO ESCONDIDO DOS SERVIÇOS SECRETOS), ISBN 978-3-902475-34-3, página 21 e seguintes, diz, textualmente:

«O BUNDESNACHRICHTENDIENST (SERVIÇO DE INFORMAÇÃO DA RFA) classificou o Tratado-Estatal-Secreto de 21 de Maio de 1949 de “STRENGSTE VERTRAULICHKEIT” (SEVERÍSSIMO SECRETISMO).

Neste (Tratado-ESTATAL-SECRETO), estipularam-se as CONDIÇÕES PRÉVIAS impostas pelos vencedores sobre o reconhecimento da Soberania da República Federal Alemã (criada nesta data) e que estas CONDIÇÕES são para ser mantidas até ao ano de 2099 (ano dois mil e noventa e nove). Quase ninguém tem hoje consciência deste facto. Em consequência disso, fixaram-se CONDIÇÕES PRÉVIAS sobre as media (jornais, rádios etc) alemãs até ao ano de 2099. Por outro lado regulamentou-se, que, em cumprimento das ordens dos Aliados, cada Chanceler Alemão tem de assinar uma “Kanzlerakte” (documento secreto de aceitação de condicionalismos nos quais o Chanceler da RFA se verga a Washington e Tel-Aviv), antes de prestar juramento (perante o Parlamento Alemão). Fora disso ficam as reservas de ouro da RFA hipotecadas a favor dos aliados.»

O jornal “UN” Nº 12/2007, página 2 (UNABHÄNGIGE NACHRICHTEN, Postfach 10 17 06; D-46017 OBERHAUSEN), publica esta citação da obra do General e acrescenta:

«Todos os media, até toda a RFA, deveria estar “desvairada”. O Presidente deveria fazer um discurso à Nação, a Chanceler deveria prestar declarações sob juramento e o General na Reserva, Komossa, deveria ser obrigado a prestar juramento sobre os seus conhecimentos ou então retratar-se e retirar o que disse. Porque caso seja verdade o que publicou tira o fundamento ao Estado. A ordem básica da liberdade democrática é então apenas uma máscara duma governação alheia – impensável!

Os alemães lembram-se de que cada vez que se escolhia um novo Chanceler o mesmo fazia uma viagem a Washington antes de assumir as suas funções. Também se lembram de quando o deputado Martin Hohmann perguntou ao Governo por que razão as reservas de ouro da RFA (nas quais se baseou o valor do Marco Alemão) ainda estavam armazenadas em Nova York (nas caves de uma das Torres Gêmeas) e em Fort Knox».

O deputado não obteve resposta e acabou por ser expulso pouco depois.

O jornal “UN” publica ainda as moradas das entidades alemãs que pelas funções que ocupem deviam prestar esclarecimento sobre este assunto da maior gravidade:

“BUNDESPRÄSIDENT HORST KÖHLER; Bundespräsidialamt, D-11010 BERLIN;

BUNDESKANZLERIN ANGELA MERKEL; Bundeskanzleramt; Willy-Brandt-Strasse Nº 1, D-10557 BERLIN”.

O que é que isso tem a ver connosco?

ALERTA VERMELHO!!!: A “UE” ENCONTRA-SE EM MÃOS ALHEIAS!

Ficamos assim a saber que quem manda no “comboio europeu” são WASHINGTON e TEL-AVIV!

Todo o trabalho e sacrifício feito até agora a favor de uma Europa Unida, acabará por ser em vão, caso se verifique que de facto se estava inconscientemente a trabalhar ao lado de “pontas de flechas de interesses extra-europeus”!

O AVISO deste General Alemão explica muito do inexplicável acerca do que se passa na Alemanha. Tanto a ausência de patriotismo imposto pelos media como o ensino e a constante autoflagelação com lamúrias que não acordam respeito a ninguém, têm de ser vistos sob o prisma da constante lavagem cerebral. A Alemanha está doente! Os alemães sabem-no e o mundo também o sabe!

Mas quem obriga os seus parceiros na Europa a seguir as mesmas pisadas quanto se descobre para onde estas os levam?

Elas conduzem à submissão, escravidão, loucura e morte!

Será isso que pretendemos para nossos filhos?

por Rainer Daehnhardt em Projecto Grifo

Mais Informação AQUI


Deixe o seu comentário

Sarkozy: A Rússia tem direito a defender os seus interesses.

Presidente francês, Nicolas Sarkozy - Foto Lusa/EPA

Presidente francês, Nicolas Sarkozy – Foto Lusa/EPA

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, considerou que a Rússia tem o direito de «defender os interesses dos russófonos» fora das suas fronteiras. Estas declarações do chefe de estado gaulês foram proferidas durante a sua visita a Moscovo, onde frisou, contudo, que o integridade territorial da Geórgia deve ser respeitada.

«É perfeitamente normal que a Rússia pretenda defender os seus interesses e os dos russófonos na Rússia e dos russófonos fora da Rússia», apontou Sarkozy, em Moscovo, onde se encontrou com o presidente russo Dmitri Medvedev.

In Público

Comentário:

Como já afirmei, a U.E. acabou por apoiar a Rússia pelo seu direito de defender a sua população. Mais uma vez, Mikhail ficou sózinho. O Bushinho nada fez do que ORDENAR, e a Rússia atingiu os seus objectivos. Aqui quem manda sou eu e não a U.E. ou o Bush.


2 Comentários

A União com a Rússia provocada rápidamente por Bush, Mikhail e U.E.

Mapa Rússia/Geórgia/Ossétia do Sul

Mapa Rússia/Geórgia/Ossétia do Sul

O presidente da Ossétia do Sul reclamou novamente a reunificação desta província separatista da Geórgia com a Ossétia do Norte, que faz parte da Federação Russa.

Estas declarações de Eduard Koikoty foram avançadas pela agência noticiosa russa RIA-Novosti. «Nós já o dissemos mais de uma vez, e vou confirmar isto mais uma vez: nós somos poucos, um povo dividido. Este é um problema, e é claro que vamos procurar a união com a Ossétia do Norte», disse o Koikoty, cuja região se separatista está fora do controlo de Tbilissi desde a década passada e tem motivado fricções entre a Geórgia e a Rússia.

Cronologia do conflito

No final da semana passada, as forças georgianas iniciaram uma ofensiva militar na região, que teve como resposta a intervenção russa, cujas forças ocuparam por completo o território, e esta segunda-feira chegaram mesmo a entrar em território georgiano.

A Ossétia do Sul é uma região separatista da Geórgia com 3.900 km2 e 70 mil habitantes que quer ser russa e que, assim como a Abkházia, se proclamou independente com o fim da União Soviética, no início dos anos 90.

In Portugal Diário

Comentário:

A Ossétia do Sul e a Abkhazia, as duas regiões independentistas da Geórgia, advertiram desde o dia 17 de Fevereiro, dia da proclamação da independência do Kosovo, que iriam pedir à Rússia, ao Conselho de Segurança da ONU e à UE que também passassem a reconhecer as suas independências. Depois de terem alertado contra o risco de um “efeito dominó” com o Kosovo, as autoridades russas excluiram o reconhecimento da Ossétia do Sul e da Abkhazia, após a declaração de independência kosovar. O “presidente” da Abkhazia, Serguei Bagapch, anunciou por seu lado à agência russa Interfax que o seu “Parlamento” tomará a mesma atitude – pedir o reconhecimento da independência – até ao final desta semana.Quer a Ossétia do Sul quer a Abkhazia proclamaram as suas independências logo após o final da URSS (em 1990 e 1992, respectivamente), o que tem causado, ao longo dos anos, o confronto com as forças da Geórgia.

Neste momento a Ossétia do Sul pede a sua integração na Rússia, e a Abecássia seguirá o exemplo. Com este golpe de mestre da Senhora da Morte – Condoleezza Rice , do Bushinho , da NATO e da U.E. ao apoiarem um peão Mikhail, de modo a cercarem a Rússia com bases da Nato e incluindo-os na U.E.,  de terem treinados as tropas Georgianas com conselhieros militares da NATO, e Israelitas,viram sair o tiro pela culatra.

O Bushinho terá sorte se o seu PIPELINE petrolífero não fôr ainda bombardeado…

LEYA NO PÙBLICO


1 Comentário

Rússia estabelece segunda frente de combate…

Cáucaso
Tropas russas entram em território georgiano e estabelecem nova frente de combate 
11.08.2008 – 17h27 Agências

Tropas russas entraram hoje em território georgiano, na região oeste, ocupando a cidade de Senaki, já para lá das linhas de segurança definidas, em território da Abcásia. Esta é a segunda frente de tropas russas, depois de Kodori, desde o início do conflito.Segundo o Ministro da Defesa russo, o avanço para Senaki prende-se com a tentativa de evitar novos ataques na região separatista da Ossétia do Sul por parte da artilharia da Geórgia.Senaki fica a cerca de 40 quilómetros da fronteira da Abcásia onde as forças russas se estabeleceram, na chamada linha de segurança estabelecida desde a década de 1990.Ao todo são cerca de nove mil efectivos e mais de 350 peças de artilharia instaladas na nesta região separatista.

Este novo desenvolvimento no conflito que opõe a Rússia e a Geórgia vem agravar as preocupações internacionais sobre a estabilidade na região, depois dos intensos ataques dos últimos dias entre forças russas e georgianas na Ossétia, o outro território separatista.

A Geórgia invoca que já cessou fogo na Ossétia, depois dos ataques na capital Tskhinvali. Mas a Rússia desmente e segundo a agência russa Interfax as forças de paz russas estabelecidas na Abcásia terão lançado um ultimato às forças georgianas para que desarmem ou se preparem para o combate. Mas a Geórgia recusa-se a entregar armas à Rússia.

In Público

Comentário:

O erro foi totalmente idealizado e protagonizado pelo Mikhail ao pensar que a Europa, a NATO e os USA os apoiariam em caso de retaliação por parte da Rússia.

Erro crasso, pois quem vai ter de ajoelhar será o Mikhail, e será uma sorte a Georgia continuar independente, isto porque nem a UE nema Nato e muito menos o Bushinho e a senhora da morte (Condoleza Rice) estão em condições de o ajudar.  Ouviremos discussões na ONU, pedidos da União Europeia, mas nenhuma intervenção.

O Mikhail está sózinho nesta luta, assim como os conselheiros militares Israelitas.


Deixe o seu comentário

Imagens de interrogatório em Guantanamo a Omar Khadr, um cidadão canadiano de 16 anos

Divulgadas primeiras imagens de interrogatório em Guantanamo

Advogados canadianos divulgaram o primeiro vídeo de um interrogatório de um detido na prisão da base militar dos Estados Unidos em Guantanamo, em Cuba

Os verdadeiros terroristas em acção,

In SOL


Deixe o seu comentário

Zeitgeist III – Por trás dos panos [Parte 3]

Esta série explica o poder do Clube Bilderberg. Vale a pena ver. O Caminho para a Nova Escravidão


Deixe o seu comentário

Tratado de Bilderberg – técnicas de usurpação do poder

Irish people

Pergunta: É o Tratado Reformador Europeu apenas a falhada Constituição Europeia com um nome diferente?

Resposta: Inicialmente, o Tratado reformador foi descrito como “estando desprovido de características constitucionais”, porém os investigadores e analistas internacionais realçaram que há apenas duas das 440 disposições do Tratado Reformador que diferem da (proposta rejeitada) de Constituição original. A Constituição mencionava a bandeira e o hino, que não foram vistos com bons olhos pelos eleitores e foram descartados. Porém, o actual bandeira, o actual hino e a divisa europeia — “Unidos na Diversidade” – persistem.

O papel do Ministro das Relações Externas, que estava previsto no texto constituicional, foi também substituido pelo do “Alto Representante da União para as Relações Externas e Política de Segurança” e o uso do termo “Lei europeia” foi substituido por “Regulamento europeu”.

in The European Union’s Lisbon Treaty: Frequently Asked Questions
publicado por Deutsche Weller em 16 de Junho de 2008


Ou seja, os eleitores franceses e holandes reprovam a Constituição e os respectivos governos simplesmente aprovaram com um nome diferente a mesma coisa. Que o Tratado Reformador Europeu, eufemisticamente designado Tratado de Lisboa, é a Constituição reprovada fica também claro pela necessidade de qualquer alteração à constituição irlandesa ter que ser sujeita a referendo. Se não houvesse implicações constitucionais, se fosse apenas assim uma coisita qualquer simplificada (José Sócrates), o referendo irlandês nem teria acontecido. (AF)


No mundo orweliano da União Europeia, um “não” não significa realmente um “não“, um tratado declarado morto pelo voto popular está ainda vivo e os parlamentos do bloco rejeitam o voto popular como anti-democrático.

Andrew Bounds in What Ireland’s ‘no’ vote means for the EU treaty
publicado por Financial Times em 16 de Junho de 2008

In “Ferrão.org


Deixe o seu comentário

Quantos mais europeus vão ter que dizer NÃO para eles perceberem ?

Após a contagem oficial de 864.000 boletins de voto, o “não” vencia com 53,85% contra 46,15%, cai assim o Tratado de Lisboa.
A abstenção esteve acima dos 50%, com maior participação nas cidades do que nas zonas rurais.
O tratado reformador tem de ser ratificado por todos os 27 Estados membros. A Irlanda foi o único país que optou pelo referendo. Resta saber o que vão preparar os senhores da Europa a seguir. Será que conseguem perceber que os NÃOS se irão repetir até as decisões serem verdadeiramente democráticas !


Deixe o seu comentário

O Jogo dos Batoteiros

Batoteiros

 Cheiro a Batota

O Tratado de Lisboa tinha como obrigatoriedade para a sua aplicação a necessidade de ser ratificado pelos 27 países que constituem a União Europeia. Sem isso não pode ser aplicado. Para o conseguirem esta gente não se coibiu de fazer batota e de ser desonesta. Mentiram, faltaram com a palavra, conspiraram, fizeram um texto que ninguém entendesse, impuseram a sua vontade recusando saber a nossa por referendo, Cedo cantaram vitória num “Porreiro pá”. Lá foi o tratado sendo ratificado de parlamento em parlamento até que chegou o dia da única dificuldade que tinham no caminho; a obrigatoriedade da Constituição Irlandesa que obrigava à realização de um referendo. Aí não havia volta a dar para poderem evitar a vontade popular. Os Irlandeses disseram não e o Tratado de Lisboa devia simplesmente ser atirado para o lixo, como disse o Cherne, não havia plano B. Isso era o que devia ter acontecido ontem, mas como a desonestidade desta gente é por demais conhecida, já todos, desde o Engenheiro ao Cherne, passando pelos Sarkozy’s, Merkel’s, e outros Bilderberg que por aí andam, já vieram dizer que as rectificações parlamentares que ainda não e realizaram devem ser feitos. Porquê? Não era obrigatório 27 Sim’s para o Tratado poder existir? Que aldrabices já andam a tramar? Que mentiras se preparam para nos dizer? Não duvido que vão fazer batota, que vão aldrabar o “jogo” e impor-nos a vontade dos seus “Donos”. Sabem que descer mais baixo do que aquilo que já fizeram é difícil, mas para seres como eles tudo é possível.

In “Wehavethekaosinthegarden


Deixe o seu comentário

O tratado de Lisboa é uma confusão.

The Lisbon treaty leaves Europe with a plethora of presidents

Illustration by Peter Schrank

KING SOLOMON, relates the Bible, acted wisely and decisively when faced with two women claiming the same baby: his threat to cut it in half swiftly revealed the real mother. The European Union is different. Faced with two rival plans, its approach is to say yes to both, delay a reckoning for years and then throw money at the compromise. If EU leaders were running Solomon’s court they would award both women custody, build parallel nurseries with public funds and review progress in 2014.

As a strategy, this has a big flaw: it does not work. Just ask EU diplomats and politicians as they ponder dozens of questions left unanswered by the Lisbon treaty that their bosses signed last year and pledged to ratify by the end of 2008. Some potential clashes have been obvious for a long time. Thus, two new figures created by the treaty have been promised overlapping jobs speaking for Europe: a new foreign minister (called the “high representative” for foreign and security policy, to avoid scaring the British); and a full-time president of the European Council, to be chosen by the 27 national leaders to chair their summits and speak for them inside the EU machine.

More recently, governments have woken up to another fudge, described by several officials as “the real problem” with Lisbon, “the really delicate question” or simply “a mess”. It too concerns the two new posts, but this time how exactly they relate to the rotating six-month presidency. This is the system under which each EU country takes its turn in charge: its transport minister chairs EU transport councils for half a year, its environment minister chairs environment councils and so on (Slovenia has the job at the moment).

In “economist.com