Presidente do Sindicato dos Jornalistas diz que liberdade de expressão está ameaçada


O presidente do Sindicato de Jornalistas disse hoje no Parlamento que a liberdade de expressão sofre “um conjunto significativo de ameaças” como a precariedade dos vínculos de trabalho dos jornalistas ou a concentração dos media.

“A liberdade de expressão é uma espécie de doente com a respiração contida”, disse Alfredo Maia, que está a ser ouvido na comissão parlamentar de Ética, Sociedade e Cultura sobre liberdade de expressão e um alegado plano do Governo para controlar a comunicação social.

“Há um conjunto significativo de ameaças, que não são de hoje, como o desemprego – no ano passado houve um aumento muito significativo no setor e só no grupo Controlinveste foram cerca de 6 dezenas – ou a composição de salários (no ano passado os jornalistas do Público viram os seus salários reduzidos)”, referiu o presidente do Sindicato de Jornalistas.

“No fundo somos todos precários”, adiantou, sublinhando que isto “gera mecanismos de censura económica e de censura no seio das próprias redações, como a participação nos conselhos de redação, e envolve muitas vezes a renúncia a direitos fundamentais das pessoas”.

Por outro lado, existe um problema da concentração da propriedade dos meios de comunicação social, afirmou Alfredo Maia.

“Hoje, se um jornalista se der mal [num órgão de informação] tem as possibilidades anuladas [de trabalhar] em pelo menos um quinto dos meios, tal é a concentração da propriedade”, concluiu.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s