“Número 2” do Vaticano tentou abafar escândalo de abuso a 200 crianças surdas


Documentos divulgados hoje pelo semanário alemão Die Zeit indicam que foi o atual “número dois” do Vaticano, o cardeal Tarcisio Bertone, que tentou abafar o escândalo de um padre acusado de abusar de mais de 200 crianças surdas.

O jornal alemão, que reproduz documentos do Vaticano, identifica o atual secretário de Estado da Santa Sé e amigo pessoal do Papa Bento XVI como a pessoa que desempenhou o papel chave na travagem do esclarecimento daquele escândalo, o que diverge dos documentos divulgados pelo jornal norte-americano The New York Times.

Por ocasião de uma reunião de crise convocada em 1998 no Vaticano, devido ao caso do padre Murphy, acusado de ter abusado de mais de 200 crianças surdas numa escola do estado do Wisconsin, no Norte dos Estados Unidos da América, Bertone levantou numerosos obstáculos à “eventualidade de um processo” no seio da Igreja, segundo a ata da sessão.

Em particular, destacou a “dificuldade imanente do processo no caso de tal crime, que deve ser tratado no segredo mais absoluto”, ainda segundo este documento.

Para o cardeal, também seria difícil arranjar testemunhos e obter provas “sem alargar o escândalo”.

Acrescentou ainda que “os direitos extensos da defesa” em vigor nos EUA e “as dificuldades que poderiam resultar do processo” seriam problemáticos.

Pretendeu, assim, “evitar um escândalo ao seu chefe”, o cardeal Ratzinger, que dirigia então a Congregação para a Doutrina da Fé, o que fez entre 1981 e 2005, adianta o Die Zeit.

Os documentos obtidos pelo The New York Times indicam outra versão: a de que o atual Papa Bento XVI cobriu as ações do padre Lawrence C. Murphy, acusado de ter abusado de 200 crianças surdas de uma escola de Milwaukee, onde trabalhou de 1950 a 1974.

Estes textos, mantidos secretos durante muito tempo, mencionam uma correspondência em 1996 entre o padre Murphy e o cardeal Joseph Ratzinger, com este ainda a ser alertado para o caso pelo arcebispo do Wisconsin, que lhe teria escrito duas cartas a esse respeito.

Um processo contra o padre Murphy à porta fechada, em tribunal eclesiástico, foi evitado depois de uma carta deste ao cardeal Ratzinger a pedir-lhe que não o fizesse, segundo o diário nova-iorquino.

O Vaticano defendeu a ação do atual Papa Bento XVI, sublinhando que só fora informado muito tarde, quando o padre Murphy estava velho e doente.

SIC NOTÍCIAS

One thought on ““Número 2” do Vaticano tentou abafar escândalo de abuso a 200 crianças surdas

  1. Maria do Socorro

    acredito que esses padres pedófilos se infiltram na igreja com o único intuito de manchá-la.
    Afinal, porque nçao se envolvem com muheres? Isso seria perdoável, não?
    Mas pedofilia… cria uma repulsa natural do povo pela igreja. Logo a Maior igreja, a única Igreja fundada em Pedro, e a mais perseguida.
    Pensem nisso…………….

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s