Ativista angolano Luaty Beirão termina greve de fome ao fim de 36 dias


advogado de luaty beirao sob detencao e em greve de fome haO ‘rapper’ angolano Luaty Beirão terminou a sua greve de fome ao fim de 36 dias, de acordo com uma carta enviada ao jornal Rede Angola pela sua família. O protesto contra o excesso de prisão preventiva começou a 21 de setembro e o ativista encontra-se internado sob detenção numa clínica de Luanda.

“Estou inocente do que nos acusam e assumo o fim da minha greve de fome. Sem resposta quanto ao meu pedido para aguardarmos o julgamento em liberdade, só posso esperar que os responsáveis do nosso País também parem a sua greve humanitária e de justiça. De todos os modos, a máscara já caiu. A vitória já aconteceu”, diz o artista luso-angolano na carta que dirigiu aos companheiros de prisão (em anexo).

Luaty Beirão exigia aguardar o seu julgamento em liberdade, depois de acusado pela justiça angolana de atos preparatórios para uma rebelião e para um atentado contra o Presidente angolano. A justiça angolana mantém 15 pessoas detidas em prisão preventiva e mais duas jovens em liberdade provisória, todos acusados do mesmo crime. O julgamento está agendado para 16 de novembro, num tribunal de Luanda.

A “Carta aos meus companheiros de prisão” assinada pelo ativista, e citada pelo Rede Angola, é destinada aos que acompanham Beirão nesta acusação e que estão detidos há três meses em diferentes prisões (atualmente estão todos no hospital prisão São Paulo), acusados de “actos preparatórios para prática de rebelião e atentado contra o Presidente da República”.

Apesar de parar a greve de fome, Luaty Beirão garante que não vai desistir de lutar ou abandonar os companheiros e todos os que expressaram solidariedade pela sua causa.

O apoio ao artista de 33 anos, também de nacionalidade portuguesa, foi mal recebido pelo Governo angolano, em especial depois da visita do embaixador português e da eurodeputada Ana Gomes.

A primeira reação foi o já tradicional editorial do Jornal de Angola, que acusava o Governo português de abrir um precedente grave com a visita do embaixador e Portugal de “ataques diários e injustos” contra Angola, usando Luaty Beirão como justificação. O diretor do jornal acusava mesmo Portugal de uma “guerra feroz” diária contra o Estado angolano.

Os ataques a Portugal com insinuações de tentativa de ingerência e a justificar a quebra do desenvolvimento de uma parceira estratégica entre os dois países são um tema frequente do editorial do Jornal de Angola, mas a contestação ganhou novos contornos com as mesmas acusações a partirem diretamente da boca do sobrinho de José Eduardo dos Santos, o general e dirigente do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) Bento dos Santos ‘Kangamba’.

Bento dos Santos ‘Kangamba’ acusou Portugal de ingerência nos assuntos angolanos, avisando que Lisboa não tem “consciência jurídica e política”.

“Se eu fosse português pensava 20 ou 30 vezes antes de falar sobre um estrangeiro. Primeiro tenho que arrumar a minha casa e depois falar sobre os outros. Portugal é um grande país, tem grandes políticos, mas neste momento está em debandada, não tem consciência jurídica e política para se defender nem defender os angolanos. Há necessidade de haver calma que a Justiça será feita”, disse esta segunda-feira o dirigente do MPLA, aludindo à crise económica e indefinição governativa em Lisboa, citado pela Agência Lusa.

“As pessoas são as mesmas, tirando duas figurinhas bonitinhas que estão a aparecer aí no Bloco de Esquerda. Mas as pessoas que foram contra Angola são as mesmas [agora]. Eles acham que Angola até hoje é escravo, que nós somos escravos de Portugal (…) não podemos ser ouvidos e que Portugal é que manda, que Portugal é que diz e que Portugal é que faz. Os portugueses têm que saber que Angola é um Estado soberano”, acrescentou.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s