No Porto não há túneis , há bolas de golfe e uma PSP que não cumpre funções. Funcionário portista provocou Jorge Jesus – LIGA SAGRES – Jornal Record – O melhor do desporto

SEGUNDOS DEPOIS DA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA NO DRAGÃO

Vodpod videos no longer available.

Espiando os cidadãos, novas tecnologias via DARPA

Espiando os cidadãos, novas tecnologias via DARPA

Posted on Março 15, 2009 by ovigia

O Pentágono acaba de anunciar que se prepara através da DARPA, para lançar uma esquadra de cerca de 450 dirigíveis «ISIS» capazes de voar a 65000 pés de altitude «19812 metros» durante 10 anos e alimentados por células de hidrogénio e painéis solares.
Serão gastos 400Milhões de dólares apenas no protótipo.

A ideia não é nova, mas parece que será desta vez ainda mais abrangente e poderosa.
As deculpas para a sua implementação também não deverão ser novas, terrorismo, ataques exteriores com misseis, etc etc.
Quando se quer enganar o povo, as desculpas arranjam-se, e que as vende já está à muito controlado e no bolso, os media mainstream acríticos.

Estes equipamentos permitirão aos seus operadores em estações no terreno, o controlo e monitorização de várias centenas de kms de diâmetro através de equipamentos de vigilância, tais como câmaras de alta resolução bem como antenas de radar.

Podendo através dessa vigilância monitorizar e controlar, veículos, aviões e pessoas.

Já não chegando todos os ataques às Liberdades, Direitos e Garantias dos cidadãos dos EUA, com o constante ataque e destruição da sua constituição, como são provas o fim do Habeas Corpus, Posse Comitatus, a implementação do Patriot Act e da FISA, do projecto REX 84 que permite a espionagem/vigilância de todas as comunicações internas e externas sem necessidade de recorrer a um Juíz, chega agora mais uma arma para as mãos da cleptocracia oligarca dos EUA.

Não deve tardar a chegar à UE, especialmente através do Reino Unido.

Afinal de contas A Oligarquia está a ficar com medo – A Lei Marcial está a chegar

DARPA courted defense contractors Raytheon, Lockheed Martin and Northrop Grumman to develop the airships

Infowars.com
sept 6, 2004

The skies were filled with surveillance helicopters as well as the Fuji Blimp, that was being rented by the NYPD. We could always tell where the protests and arrests were taking place because as many as 4 helicopters and a blimp would be circling overhead.

A look at the future. Homeland Security plans to tether megablimps 32xs the size of the goodyear blimp over every major US city mounted with ground-penetrating radar looking right through your walls. This is only conditioning.

(Photo by Ted O’Brien)

[Via mediamonarchy, LA Times, Guardian, Infowars]

Powered by ScribeFire. in O Vigia

A Queda da República (Fall of the Rep*blic) 9-15

UK plano do governo para criar leis”Pirate Finder Geral”, com poder de nomear milícias

Divulgação


Uma fonte próxima ao Governo trabalhista britânico acaba de dar-me informações confiáveis sobre a proposta mais radical de autor que eu já vi.

Secretário de Estado Peter Mandelson está a planear introduzir alterações à Economia Digital Bill hoje em debate no Parlamento.  Estas mudanças vão dar ao Secretário de Estado (Mandelson – ou o seu sucessor no próximo governo) o poder de fazer “direito derivado” (legislação que é aprovada sem debate) para alterar as disposições do Copyright, Designs and Patents Act (1988) .

O que isto significa é que um funcionário não eleito teria o poder de fazer nada, sem debate parlamentar de supervisão ou, desde que foi feito em nome da proteção de direitos autorais. : Mandelson elabora sobre isso, dando três razões para que a sua proposta:

1. 1.  O Secretário de Estado iria tirar o poder de criar soluções novas para as infracções em linha (por exemplo, ele poderia criar penas de prisão para compartilhamento de arquivos, ou criar um “três strikes” O plano que os custos de famílias inteiras do seu acesso de Internet, se qualquer membro acusado de infracção)

2. 2. O Secretário de Estado iria tirar o poder de criar procedimentos para “conferir” direitos para efeitos de protecção dos titulares de direitos de violação online.  (por exemplo, gravadoras e estúdios de cinema pode ser dado poderes de investigação e de aplicação que lhes permitem compelir ISPs, bibliotecas, empresas e escolas para dar informações pessoais sobre usuários de Internet, e para ordenar as empresas de desconectar os usuários, remover sites, bloqueio URLs, etc)

3. 3.  O Secretário de Estado receberia o poder de “impor tais direitos, poderes ou funções a qualquer pessoa que pode ser especificado em conexão com facilitando violação on-line” (por exemplo, os ISPs podem ser forçado a espionar seus usuários, ou de ter advogados de direitos autorais analisar cada parte do conteúdo gerado pelo usuário antes que ele vai viver, também, direitos de autor “milícias” pode ser formada com o poder de polícia de direitos autorais na web)

Mandelson também vigiar sites como o YouSendIt e outros serviços que permitem a fácil transferência de arquivos grandes e para trás privada (eu uso YouSendIt para enviar podcasts para trás e para o meu editor de som durante a produção).  Como a Viacom, ele está esperando para forçá-los a desligar qualquer recurso que permite que os usuários para manter seus uploads privado, já que bandeiras de privacidade pode ser usado para manter violar arquivos fora da vista de aplicação da lei de direitos autorais.

É uma declaração de guerra por parte da indústria de entretenimento e seus reguladores capturados contra os princípios da liberdade de expressão, privacidade, liberdade de reunião, a presunção de inocência, e da concorrência.

Esta proposta cria o cargo de Pirate-Finder Geral, com poderes ilimitados para nomear as milícias que estão acima da lei, que pode intrometer-se em cada canto de sua vida, que pode desconectar-se da sua família, trabalho, educação e governo, que pode multar você ou colocá-lo na cadeia.

Mais a seguir, tenho certeza, uma vez Open Rights Group e outras organizações ativistas começar a trabalhar nisso. Entretanto, a dizer a cada britânico que você conhece. Se não podemos parar isso, é início do fim para a rede na Grã-Bretanha.

Bill would give president emergency control of Internet

Internet companies and civil liberties groups were alarmed this spring when a U.S. Senate bill proposed handing the White House the power to disconnect private-sector computers from the Internet.

They’re not much happier about a revised version that aides to Sen. Jay Rockefeller, a West Virginia Democrat, have spent months drafting behind closed doors. CNET News has obtained a copy of the 55-page draft (excerpt), which still appears to permit the president to seize temporary control of private-sector networks during a so-called cybersecurity emergency.

The new version would allow the president to “declare a cybersecurity emergency” relating to “non-governmental” computer networks and do what’s necessary to respond to the threat. Other sections of the proposal include a federal certification program for “cybersecurity professionals,” and a requirement that certain computer systems and networks in the private sector be managed by people who have been awarded that license.

“I think the redraft, while improved, remains troubling due to its vagueness,” said Larry Clinton, president of the Internet Security Alliance, which counts representatives of Verizon, Verisign, Nortel, and Carnegie Mellon University on its board. “It is unclear what authority Sen. Rockefeller thinks is necessary over the private sector. Unless this is clarified, we cannot properly analyze, let alone support the bill.”

Representatives of other large Internet and telecommunications companies expressed concerns about the bill in a teleconference with Rockefeller’s aides this week, but were not immediately available for interviews on Thursday.

A spokesman for Rockefeller also declined to comment on the record Thursday, saying that many people were unavailable because of the summer recess. A Senate source familiar with the bill compared the president’s power to take control of portions of the Internet to what President Bush did when grounding all aircraft on Sept. 11, 2001. The source said that one primary concern was the electrical grid, and what would happen if it were attacked from a broadband connection.

Full story here.

Prison Planet

A Censura está de volta!

censura1PT notificada para acabar com sites que promovem pirataria de música e filmes
A Inspecção-Geral das Actividades Culturais (IGAC) notificou quarta-feira a empresa de telecomunicações PT para remover e impossibilitar o acesso a sites que disponibilizam ilegalmente filmes, músicas e matéria editorial na internet, confirmou hoje fonte daquele organismo

Em comunicado, o Movimento Cívico Antipirataria na Internet, MAPiNET, refere que em causa estão 28 sites cujo acesso a PT ficou obrigada a remover e a impossibilitar o acesso.

A ANACOM e o Ministério Público foram também notificados da decisão da IGAC, adoptada ao abrigo da Lei do Comércio Electrónico, em vigor desde 2004, após queixas apresentadas pelo MAPiNET.

Constituído em Novembro de 2008, o MAPiNET integra representantes de autores, artistas, produtores de música, de vídeo e de cinema, editores de livros e de publicações periódicas e também por retalhistas e agentes das indústrias criativas.

Lusa/SOL

Big Brother da União Europeia

Uma agência europeia reunirá todos os ficheiros de polícia, justiça e asilo, segundo uma proposta apresentada pela Comissão Europeia
O Big Brother está em gestação. É de facto uma Big Sister, pois trata-se de uma agência personalizada fundada pela União Europeia. Orwell não nos tinha prevenido que o risco totalitário viria de Bruxelas.
Texto publicado pelo professor Gilles J. Gugliemi no seu site .

Eis o que comporta a proposta de regulamento do Parlamento Europeu e do Conselho apresentada pela Comissão Europeia a 24 de Junho de 2009, que tem como objectivo criar uma agência responsável pela gestão operacional dos sistemas de informação SIS2, VIS e Eurodac.

A Comissão Europeia apresenta uma proposta de regulamento do Parlamento Europeu e do Conselho de 24 de Junho de 2009, que tem como objecto criar uma agência que será responsável pela gestão operacional dos sistemas de informação de grande escala aplicando o Título IV do Tratado das Comunidades Europeias e, potencialmente, «de outros sistemas de informação no domínio da liberdade, da segurança e da justiça».

Baseia-se no artigo 66 do Tratado da CE1

1. Os três instrumentos de registo na Europa

O registo dos indivíduos pela União Europeia por motivos de segurança, de justiça ou de fluxos migratórios assenta de momento em três sistemas distintos. Já tínhamos escrito aqui sobre a criação dos vistos e dos aperfeiçoamentos do Eurodac, mas é preciso recordar a existência do SIS (I depois II).

Na base da convenção de aplicação do acordo de Schengen de 14 de Junho de 19852, o sistema de informação Schengen (SIS) foi criado para preservar a ordem pública e a segurança pública, incluindo a segurança dos Estados. O sistema de informação Schengen de segunda geração (SIS II)3 foi consideravelmente ampliado pois tem como objecto «assegurar um nível elevado de segurança na espaço de liberdade, de segurança e de justiça da União Europeia, incluindo a preservação da segurança pública e da ordem pública e a salvaguarda da segurança nos territórios dos Estados membros, assim como aplicar disposições do título IV da terceira parte do tratado CE relativos à livre circulação das pessoas nos territórios dos Estados membros, com a ajuda das informações transmitidas por este sistema».

O EURODAC, sistema de informação à escala da Comunidade (isto é, um conjunto de tratamento e de ficheiros respeitantes a todos os Estados membros) foi criado para facilitar a aplicação da convenção de Dublin4, destinada a estabelecer um mecanismo de determinação da responsabilidade do exame dos pedidos de asilo apresentados num dos Estados membros da União. Esta convenção foi substituída por um instrumento legislativo comunitário, o regulamento de Dublin5.

Enfim, o sistema de informação sobre os vistos (VIS)6 deve permitir às autoridades dos Estados membros «trocar informações sobre os vistos, com o objectivo de simplificar os procedimentos de pedido de visto, prevenir o “visa shopping”, facilitar a luta contra a fraude, facilitar os controlos nos pontos de passagem das fronteiras externas e no território dos Estados membros, ajudar à identificação das pessoas provenientes de países terceiros, facilitar a aplicação do regulamento de Dublin e contribuir para a prevenção das ameaças à segurança interna de um dos Estados membros».

A lógica apontaria para que a EUROPOL gerisse o SIS, enquanto que a Comissão geria o VIS e o EURODAC. Esta opção foi sugerida durante as negociações para a transformação da Europol actual num acto comunitário. Pelo contrário, foi a criação de uma nova agência de regulação centralizadora e de vocação universal que foi aprovada.

2. Tudo concentrado na mesma instituição

Uma das maiores ambiguidades da proposta de regulamento é confundir a natureza da agência que, de gestão acaba por ser em seguida “de regulação”.

«A agência de regulação será criada enquanto organismo comunitário dotado de personalidade jurídica. As primeiras tarefas a confiar à agência são de natureza operacional, o que abrange a gestão global dos sistemas de informação assim como o funcionamento destes sistemas. Ela tornar-se-á assim um ‘centro de excelência’ dotado de pessoal de execução especializado. Um organismo especializado permitirá além disso atingir níveis de eficácia e de reactividade mais elevados, incluindo na perspectiva do desenvolvimento e da gestão operacional de outros sistemas potenciais no domínio da liberdade, da segurança e da justiça.»

A agência será além disso encarregue de todas as tarefas ligadas à infraestrutura de comunicação. A este respeito, a Comissão anuncia implicitamente a publicação do regulamento resultante da proposta de Regulamento do Parlamento Europeu e do Conselho apresentado pela Comissão a 3 de Dezembro de 2008, COM(2008) 825 final

Enfim, a agência poderá também potencialmente ser encarregue de desenvolver e de gerir «outros sistemas de informação em grande escala no espaço de liberdade, de segurança e de justiça» (com a condição que sejam adoptados instrumentos legislativos que criem estes sistemas e confiram à agência as competências correspondentes.

Nada é dito, evidentemente, sobre a articulação, e mesmo a interconexão dos ficheiros em questão. Mas qual é o conteúdo de uma gestão operacional, se não for para agir nos ficheiros, estruturá-los, melhorar a sua «eficácia e reactividade»?

Autorizar os Estados a partilhar ficheiros de polícia, de justiça e de circulação das pessoas tinha já graves consequências para as liberdades. Sem mesmo concluir definitivamente sobre a sua natureza de regulação, criar uma agência que domina completamente a gestão operacional dos seus ficheiros é um passo decisivo e simbólico que nunca deveria ser dado sem um debate democrático alargado.

Gilles J. Gugliemi, professor na universidade Panthéon-Assas (Paris-2)

Tradução de Carlos Santos

1 Que prevê a adopção das medidas apropriadas que visem encorajar e reforçar a cooperação administrativa entre os serviços competentes das administrações dos Estados membros nos domínios dos vistos, do asilo, da imigração e das outras políticas ligadas à livre circulação da pessoas, assim como entre os serviços e a Comissão.

2 publicada em 2000: JO L 239 de 22/09/2000, p. 19

3 estabelecido pelo regulamento (CE) nº 1987/2006 do Parlamento Europeu e do Conselho de 20 de Dezembro de 2006 e pela decisão 2007/533/JAI do Conselho de 12 de Junho de 2007 sobre o estabelecimento, o funcionamento e a utilização do sistema de informação Schengen de segunda geração (SIS II)

4 JO C 254 de 19.8.1997, p. 1.

5 Regulamento (CE) nº 343/2003 do Conselho de 18 de Fevereiro de 2003 que estabelece os critérios e mecanismos de determinação do Estado membro responsável pelo exame de um pedido de asilo apresentado num dos Estados membros por uma pessoa de um país terceiro, JO L 50 de 25/02/2003, p. 1

6 Criado pelo regulamento (CE) nº 767/2008 do Parlamento Europeu e do Conselho de 9 de Julho do Parlamento Europeu e do Conselho de 9 de Julho de 2008 relativo ao sistema de informação sobre os vistos (VIS) e a troca de dados entre os Estados membros sobre os vistos de curta duração (regulamento VIS).

Fonte: Esquerda.net

Siemens e Nokia ajudam Irão a censurar a Internet

22-Jun-2009

Censura na NetUma joint-venture entre a alemã Siemens e a finlandesa Nokia ajudou o regime iraniano a instalar um dos mais sofisticados mecanismos de censura da Internet do mundo, permitindo examinar de forma maciça o conteúdo dos pacotes de dados circulando na rede, sejam eles e-mails, fotos, vídeos ou até chamadas telefónicas pela rede. A notícia é avançada pelo Wall Street Journal.

O “centro de monitorização” instalado pelo governo iraniano na companhia telefónica estatal utiliza uma tecnologia chamada “inspecção profunda de pacotes” que permite não só o bloqueio de comunicações, como também a recolha de informação sobre quem enviou os dados, que podem ser até alterados para objectivos de desinformação.

Ben Roome, porta-voz da joint-venture, a Nokia Siemens Networks, confirmou a informação ao Wall Street Journal. O centro de monitorização foi instalado no segundo semestre de 2008.

A tecnologia consiste em inserir equipamento num fluxo online de dados, de e-mails e chamadas de net-phones a imagens e mensagens em redes sociais. Cada pacote de dados é desconstruído, examinado por palavras-chave e reconstruído em milissegundos. No caso do Irão, isto é feito num único ponto por onde passam todos os dados. “Não sabíamos que podia fazer tanta coisa”, disse um engenheiro de redes em Teerão, citado pelo jornal. “Agora sabemos que eles têm ferramentas poderosas que lhes permitem fazer um rastreamento muito complexo na rede”.

O uso destas ferramentas permitiria explicar por que o governo iraniano tem mantido a Internet a funcionar – ao contrário do sistema de SMS dos telemóveis, por exemplo, que foi bloqueado -, mas também por que o acesso ficou tão lento. Calcula-se que haja 23 milhões de cibernautas no Irão.

Organizações de direitos humanos criticaram a venda de equipamentos deste tipo ao Irão e a outros regimes considerados repressivos, por serem usados para reprimir dissidentes.

Ouvido pelo Wall Street Journal, o porta-voz da Nokia Siemens Networks disse que a empresa “decide sobre se faz ou não negócios num país. Acreditamos que fornecer às pessoas, onde quer que estejam, a possibilidade de comunicar, é preferível a deixá-las sem a escolha de serem ouvidas.”

O problema é que essa escolha pode custar muito caro aos iranianos vítimas de uma tecnologia europeia.

MAPiNET a Gestapo da Internet

MAPiNET quer cortar Internet aos piratas em Portugal

Apesar de não ter passado no Parlamento Europeu, o Movimento Cívico Anti-pirataria na Internet – MAPiNET quer que Portugal adopte legislação que permita cortar o acesso Internet a “piratas”, ou seja, quem descarrega conteúdos ilegal. A ideia é baseada na legislação francesa que foi aprovada na segunda feira.

O movimento explicou esta tarde os seus objectivos em conferência de imprensa, defendendo a aplicação de uma “solução de resposta gradual à pirataria na internet”, que acredita pôr em causa a subsistência dos criadores e das indústrias culturais.

“Se isto continuar, os próprios consumidores serão altamente lesados a nível da oferta cultural que terão daqui a alguns anos porque todos os agentes que vivem da propriedade e dos conteúdos culturais vão desistir”, explica Tó Zé Brito, assessor da Sociedade Portuguesa de Autores que também participa nesta conferência.

A solução defendida pelo MAPiNET passa pela aplicação à legislação portuguesa de normas que permitam a uma autoridade administrativa cortar o acesso à Internet caso os utilizadores persistam no download de conteúdos ilegais e ignorem os dois avisos prévios de alerta.

Recorde-se que no Parlamento Europeu a questão que levantou maior polémica, e acabou por impedir a aprovação da legislação, estava relacionada com o envolvimento ou não de uma autoridade judicial na decisão de cortar o acesso Internet. Os responsáveis do MAPiNET dizem agora que isto significa que o Parlamento Europeu não exclui a possibilidade de aprovar a nível europeu uma solução similar à francesa.

Em comunicado o movimento contesta também as recentes declarações do Ministro da Cultura. Segundo citação do Jornal de Notícias, António Pinto Ribeiro recusa a ideia de que Portugal venha a poder adoptar uma solução contra a pirataria, que não envolva “uma decisão judicial”.

O MAPiNET acrescenta ainda que “José António Pinto Ribeiro proferiu declarações surpreendentes, dizendo que fazer downloads de música e filmes na internet é como apanhar uma nota de banco caída no chão afirmando ser contra qualquer solução deste tipo, por considerar censório o seu teor”.

Comentário:

Estes senhores querem cortar a internet como se fossem os Dnos  , os proprietários dela.

Só uma peueníssima parte do custo de venda do produto chega aos bolsos dos artistas. A maior parte do lucro reverte a favor das grandes empresas.

A internet é um espaço livre, de partilha de ideias e conteúdos e não um espaço restritivo. Afinal qual a diferenças entre a sugestão destes senhores e a censura feita na China e noutros países ? nenhuma. O poder do dinheiro sobrepõe-se à liberdade e à democracia.

Alex Jones: A Mentira de Obama (The Obama Deception) 11

NO INFRINGEMENT OF COPYRIGHT IS INTENDED

obama-brainThe Obama Deception – A Mentira de Obama é o mais novo documentário do produtor Alex Jones onde destrói por completo o mito de que Barack Obama esteja trabalhando no melhor dos interesses do povo americano.

O fenómeno de Obama é uma mentira maquinada cuidadosamente para liderar a NOva Ordem Mundial. Obama foi apresentado como o salvador em uma tentativa de enganar o povo americano com o fim de aceitar a escravidão mundial.

Já não se trata de esquerda ou direita, de comunismo ou sistema de liberdades, do que realmente se trata até agora de forma encoberta é de um Governo Mundial.

Este documentário cobre: Para quem Obama trabalha, as mentiras que disse e sua verdadeira agenda. Se você quer saber dos factos e passar por cima de toda essa ladainha messiânica, este filme é para você.

http://www.prisionplanet.com
http://www.infowars.com

Publicado por deusmihifortis

As (inesperadas) vantagens do absentismo parlamentar

Num golpe de teatro absolutamente imprevisto, a Assembleia Nacional francesa chumbou a proposta de lei que permitia aos industriais da música e do cinema denunciar “todos aqueles que fizessem download de conteúdos ilegalmente e, num segundo momento, em caso de reincidência, suspender o seu acesso à Internet, entre dois e 12 meses, ainda que a pessoa sancionada devesse continuar a pagar o acesso à rede durante o período de inibição”. A lei em causa, e que Sarkozy considerou em tempos constituir um “decisivo momento para o futuro de uma Internet civilizada”, propunha ainda que os cidadãos penalizados não pudessem contratar um novo fornecedor de internet e elaborava uma lista negra das pessoas sancionadas – que persistia, mesmo depois destas cumprirem as penas previstas na lei.

Bastaram 21 deputados, numa sessão que não contou com mais de 26 presenças (!), para derrotar uma das leis mais simbólicas, e atentamente seguidas, de Sarkozy. Hollywood e as maiores editoras mundiais apostavam tudo na expansão a outros países de uma lei que sobrepunha os problemas causados pela partilha de ficheiros na net à liberdade de informação e privacidade dos dados dos cidadãos, concedendo um poder judicial à industria de conteúdos e aos fornecedores de serviço. Por cá, a indústria musical faz a propaganda que pode para defender um modelo semelhante ao agora rejeitado em França, contando com o inesperado apoio da ZON, que se mostrou disponível para estudar o tema. Como se fosse possível, resolver tecnicamente e judicialmente a troca de ficheiro e ter a ilusão que um operador de serviços sabe o que é, ou não, um conteúdo legal.

Confiar na ZON para vasculhar a informação que circula na net? A mesma ZON, que ainda há pouco pertencia ao grupo Portugal Telecom, empresa que  tornou claro, no caso do Envelope 9, que não sabia filtrar um ficheiro Excel e enviou para o MP o registo das chamadas telefónicas das principais figuras do Estado? Não é preciso muito esforço para perceber que uma solução destas acabaria, mais cedo que tarde, por resultar no indiscriminado corte de acesso aos clientes. Cumpridores ou não. E, sem querer, lá vamos nós outra vez descambar na inversão do ónus da prova.

A industria musical tem problemas com a partilha digital de ficheiros? Claro que sim. Mas, quem sabe, se gastassem menos dinheiro em advogados a tentar meter putos na cadeia e apostassem em novas formas de rentabilizar digitalmente um modelo de negócio esgotado talvez não estivessem como estão.

Leitura complementar:

Caro Tó Zé Brito, Jonasnuts.

A indústria mais estúpida do mundo, Zero de Conduta.

Por Pedro Sales In Arrastão

História de blogue e reposteiros

Em Paris, na quinta-feira, foi a votos uma lei sobre a pirataria na Internet. O Governo querendo uma lei repressiva, a oposição opondo-se. Cada lado no seu lugar previsível. Li no jornal Le Monde o resultado da votação (o Governo perdeu) e bocejei. Mas eis que alguém me alerta: o assunto vale mais.

O anfiteatro do parlamento francês, em véspera de feriado, era um lugar despovoado: 16 deputados do Governo, 8 da oposição. Antes do voto, notou-se frenesim nos deputados oposicionistas, teclando SMS. Desconfiados, os governamentais inspeccionam o edifício (“até às casas de banho fomos”). Nada. Avança-se para a votação: 15 a favor. E quem vota contra? Aí, saltam de trás dos reposteiros vermelhos (sim, sim!), mais de uma dezena de socialistas que se juntam aos braços levantados: 21! A lei não passa. E quem me contou esta história fantástica de truques antigos, mas sobre a Internet e com SMS à mistura? O blogue “Duas ou Três Coisas”, de Francisco Seixas da Costa. Olha, o meu embaixador em Paris a contar-me mais do que o jornal Le Monde… Quem gosta do que faz encontra sempre forma de ser interessante.

Ferreira Fernandes  D.N.

Zeitgeist Addendum (Legendado) 12/12

Publicado por lucask8nunes

Site Oficial do documentario:
http://www.zeitgeistmovie.com/

Site Oficial do Projeto Venus:
http://www.thevenusproject.com/

Site do Zeitgeist Moviment:
http://thezeitgeistmovement.com/

A Revolução é Agora

Zeitgeist Addendum (Legendado) 3-4/12

α

Ω

Publicado por lucask8nunes

Site Oficial do documentario:
http://www.zeitgeistmovie.com/

Site Oficial do Projeto Venus:
http://www.thevenusproject.com/

Site do Zeitgeist Moviment:
http://thezeitgeistmovement.com/

A Revolução é Agora

Esoteric Agenda 11/12 /13- LEGENDADO

ADVERTÊNCIA

Este documentário contém informações muito polémicas sobre toda a nossa realidade, tudo que você acreditou até agora. se você acha que não está preparado para descobrir os segredos da Matrix, recomendamos que não assista a esse vídeo.

Existe uma Agenda Esotérica atrás de cada faceta de nossa vida que até então acreditávamos estar desconexa.
Há uma facção da elite conduzindo a política social, economia, a política, as corporações, algumas ongs, e inclusiva as organizaçoes contra o stablishment.
esse vídeo expoe essa agenda…

Enfim, um documentário IMPRESCINDÍVEL para aqueles que buscam a verdade.

Publicado por deusmihifortis

Esoteric Agenda 5/6 – LEGENDADO

ADVERTÊNCIA

Este documentário contém informações muito polémicas sobre toda a nossa realidade, tudo que você acreditou até agora. se você acha que não está preparado para descobrir os segredos da Matrix, recomendamos que não assista a esse vídeo.

Existe uma Agenda Esotérica atrás de cada faceta de nossa vida que até então acreditávamos estar desconexa.
Há uma facção da elite conduzindo a política social, economia, a política, as corporações, algumas ongs, e inclusiva as organizaçoes contra o stablishment.
esse vídeo expoe essa agenda…

Enfim, um documentário IMPRESCINDÍVEL para aqueles que buscam a verdade.

Publicado por deusmihifortis

Esoteric Agenda 3/4 – LEGENDADO

ADVERTÊNCIA

Este documentário contém informações muito polémicas sobre toda a nossa realidade, tudo que você acreditou até agora. se você acha que não está preparado para descobrir os segredos da Matrix, recomendamos que não assista a esse vídeo.

Existe uma Agenda Esotérica atrás de cada faceta de nossa vida que até então acreditávamos estar desconexa.
Há uma facção da elite conduzindo a política social, economia, a política, as corporações, algumas ongs, e inclusiva as organizaçoes contra o stablishment.
esse vídeo expoe essa agenda…

Enfim, um documentário IMPRESCINDÍVEL para aqueles que buscam a verdade.

Publicado por deusmihifortis

Is the internet going down? Undersea sub-cables have just broken…

London Times

Saturday, Dec 20, 2008

Flashback: Unexplainable Cutting Of Internet Cables Points To Sabotage

Flashback: UN agency: Internet Cables Possibly Sabotaged

Breaking news: something’s happening to the internet, right now. We’re just not quite sure what.

Interoute, the internet networks company, reports that three of the four internet sub-cables that run from Asia to North America have been damaged.

These carry more than 75 per cent of traffic between the Middle East, Europe and America. It’s hard to gather what this actually means – is it that the internet is down or (more likely) significantly slower than usual between the Middle East and America? (If you’re reading this, let’s face it, the internet has not shut down altogether)

But, according to the company, there is a domino effect taking place. Interoute says it is:

hearing that offices have lost their entire private network connectivity. As a result, users are unable to do their daily job over the internet and are turning to their mobile phones to communicate across the globe. This is having a knock on effect on the domestic voice networks, which are getting a surge of calls needing to be routed internationally. These calls need to be routed onto international gateways that pass voice traffic in longer directions around the world to avoid the cable breaks – causing more quality issues and risk more call failures, in turn causing more calls to be placed and increasing the pressure on local voice networks.

What (I think) this means is that companies’ private internet services have gone down. So, if they can get access, they have had to go on the public internet and mobile phones, like the rest of us average joes, to get their work done. That results in more strain on mobile phone networks, which means more phone calls go down and the internet becomes slower.

In Prision Planet

ALERTA: Fim da Internet em 2012

Publicado por deusmihifortis

Actue! Junte-se a luta! divulgue essa mensagem a quantas pessoas puder, compartilhe ela com seus amigos através do share aí abaixo

Não podemos ficar sem CS, sem Naruto, sem LIBERDADE DE EXPRESSÃO, DATTEBAYO! Não podemos deixar que a internet seja controlada e para aceder-mos a sites, teremos de pagar.


site oficial:
http://www.ipower.ning.com