Catarse

Toda a alma é imortal, porque aquilo que se move a si mesmo é imortal.


Deixe o seu comentário

“apocalipse” no Japão

O comissário europeu da Energia, Günther Oettinger, qualificou o acidente nuclear no Japão como um “apocalipse” e adiantou que as autoridades locais terão perdido o controlo da situação na central nuclear de Fukushima I, onde já houve três explosões. O espaço aéreo em redor da central foi encerrado.
“Estamos a falar de apocalipse e creio que a palavra é particularmente bem escolhida”, disse Günther Oettinger esta terça-feira perante uma comissão do Parlamento Europeu em Bruxelas. “Tudo está praticamente fora de controlo”, adiantou, citado pela AFP. “Não excluo o pior nas horas mais próximas”.

Uma terceira explosão no reactor 2 da central nuclear de Fukushima I, e um incêndio no reactor 4 fizeram esta terça-feira subir de tom a crise nuclear no Japão. As autoridades admitem agora que os níveis de radioactividade poderão afectar a saúde humana. E a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) também já reconheceu que poderá haver danos no núcleo do reactor 2.

Yukiya Amano, director-geral da AIEA, disse em conferência de imprensa que há “possivelmente danos” no núcleo do reactor 2. “Deverão ser inferiores a cinco por cento”, adiantou, para depois salientar que a situação é “preocupante” mas será diferente da catástrofe nuclear que ocorreu em Tchernobil, na Ucrânia, em 1986. O responsável da AIEA disse que precisa de informação mais actualizada e detalhada sobre o que está a acontecer no Japão.

A agência da ONU para a energia atómica já tinha emitido um comunicado a referir que as explosões nos reactores 1 e 3 não danificaram os vasos de pressão primários (primeira camada de protecção do núcleo dos reactores). “Estão ambos intactos”. No entanto, a explosão de ontem no reactor 2 “pode ter afectado a integridade do seu vaso de pressão primário”, acrescenta.

A Autoridade de Segurança Nuclear francesa já tinha alertado para a possibilidade de danos neste sistema de contenção que é o mais importante para evitar uma fuga radioactiva. Adiantou ainda que o acidente nuclear em Fukushima I atingiu um nível de gravidade 6, numa escala de um a sete. “O fenómeno assumiu uma dimensão totalmente diferente da de ontem. É claro que chegámos ao nível 6″, disse André-Claude Lacoste, citado pela AFP. Mas a Agência de Segurança Nuclear japonesa não confirma o nível de gravidade 6, fala antes de nível 4.

No perímetro de 30 quilómetros em torno da central as pessoas não podem sair de casa e foi estabelecida uma zona de exclusão aérea, mas apesar disso as autoridades japonesas informaram a ONU de que os níveis de radioactividade junto à central estão a baixar.


2 Comentários

IV Reich – polícia secreta

Autorizaram a ocupação de Portugal?

Fonte: PHI (Politische Hintergrundinformationen) de 26.2.2010, pág. 60.

Existe um EXÉRCITO SECRETO EUROPEU, que também pode ser chamado de FORÇA SECRETA POLICIAL DE INTERVENÇÃO PARA O ESMAGAMENTO DE REVOLTAS NA EUROPA.

Já se encontra dentro da União Europeia, porém apenas muito poucos sabem disso.

A força possui os mais amplos direitos, tem de momento 3.000 homens e responde pelo nome de “EURO GENDFOR (EUROPEAN GENDARMERIE FORCE)”, ou seja, TROPA DE POLÍCIA EUROPEIA. O seu comando encontra-se em Vicenza, na Itália, longe do Centro da UE.

Quem deu vida a este projecto foi a Ministra da Defesa Francesa, Alliot-Marie, com o objectivo de mais facilmente esmagar levantamentos populares, como os que têm surgido frequentemente em cidades francesas.

Esta força, já existente, pode agora ser empregue por toda a União Europeia, anulando os direitos nacionais e as soberanias dos Estados Membros!

O Tratado de Velsen (Holanda), decidiu de forma inequívoca, que vai ser um CONSELHO DE GUERRA, que vai decidir sobre a sua actuação. Este conselho compõe-se dos Ministérios de Defesa e de Segurança dos países membros da UE, inclusivamente do país onde vai ser aplicado.

Aos olhos dos observadores trata-se de uma clara manifestação de um DIREITO DE OCUPAÇÃO DA EUROPA. Porque, desde que tenha sido decidido por unidades da EURO GENDFOR a ocupação de edifícios e regiões, ficam estas debaixo da sua alçada, já não podendo sequer ser visitadas pelos organismos oficiais do país a que territorialmente pertencem. De facto, existe assim um DIREITO DE OCUPAÇÃO EUROPEU. Porém, a situação pode vir a piorar ainda mais.

A EURO GENDFOR não possui apenas os direitos policiais, mas também a competência sobre os serviços secretos, e, pode, em estreita colaboração com forças militares, restabelecer a lei e a ordem nas zonas consideradas convenientes. Em caso de necessidade, deve esta tropa possuir todos os direitos e acessos a todos os meios considerados necessários, para executar o respectivo mandato.

Graças à EURO GENDFOR encontram-se os governos europeus à vontade. Desta forma podem ordenar o abrir fogo contra as próprias populações em caso de demonstrações de massas, colocar regiões inteiras sobre quarentena militar e prender os principais cabecilhas, sem ter de chamar militares, ou polícias, da sua própria nação, visto existir o perigo destes se solidarizarem com os revoltosos.

A EURO GENDFOR, por sua vez, graças às suas excepcionais atribuições de direitos civis e militares, não pode ser responsabilizada por ninguém.

Este cenário, que parece incrível, tornou-se agora possível através da entrada em vigor do TRATADO DE LISBOA, que não é mais do que a Constituição da UE sob novo título.

http://www.grifo.com.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=292&Itemid=1

———//———

Esta noticia deixou-nos particularmente curiosos, tendo alguns dos emmbros ido investigar melhor e eis o que se descobriu acerca desta temática.

Esta força existe mesmo: http://www.eurogendfor.eu .

Reparem no que está escrito na pagina de introdução:

The European Gendarmerie Force (EGF) is an initiative of 5 EU Member States - France, Italy, The Netherlands, Portugal and Spain – aimed at improving the crisis management capability in sensitive areas. Since Wednesday, 17th December 2008, the High Level Interdepartmental Committee Meeting (CIMIN) decided to welcome the Romanian Gendarmerie to become a full member of the EGF. Therefore the EGF consists from that moment of 6 member states.“
Iniciativa de Portugal?! Porque nunca ouvimos falar disto antes?!

”EGF responds to the need to rapidly conduct all the spectrum of civil security actions, either on its own or in parallel with the military intervention, by providing a multinational and effective tool.
The EGF will facilitate the handling of crisis that require management by police forces, usually in a critical situation, also taking advantage from the experience already gained in the relevant peace-keeping missions.”

As suas funções são:

- responder à necessidade imediata de conduzir todo o espectro da acções de segurança civil.

Como?

- Sozinhos ou em cooperação cm as forças militares intervenientes.

Reparem que são uma força multinacional, o mail está correcto também nesse ponto.

Based in Vicenza in the “Generale Chinotto” barracks, the EGF HQ is now developing a comprehensive and coherent operational system, which will permit to be ready in case of prompt deployment to crisis areas.”

O quartel general (HQ) está em Vicenza,  Italia (confirma) e reforçam a prontidão das forças.

EGF goal is to provide the International Community with a valid and operational instrument for crisis management, first and foremost at disposal of EU, but also of other International Organizations, as NATO, UN and OSCE, and ad hoc coalitions.

Olhem só o objectivo:

Providenciar a Comunidade Internacional com um instrumento valido e operacional para a gestão de crises, à disposição total da EU, mas também para outras Organizações Internacionais, como a Nato, NU e a OSCE e suas coligações.

Mas ainda há mais!

Vejam quem é o Comandante da Força!

Colonel Jorge ESTEVES (Portuguese GNR)

É português?! E nunca passou nas noticias nacionais uma coisa destas?!

Segundo o site ele comanda desde 26/6/2009, cargo que deixará  em 2011.

É da GNR! Agora se percebe porque é que escolhem a GNR para ir para manutenção de paz (como Bósnia, Timor, Afeganistão, Iraque, etç.) em vez das tropas mais especializadas…. Estão a treina-los em situações reais.

O homem é de Abrantes, tem 52 anos e veio do Regimento de  Cavalaria, vejam o CV do personagem:

“As a high-ranking Officer he has been Territorial Group Commander, Head of the 3rd Territorial Brigade Operations and Information’s Office, Head of the 3rd Territorial Brigade Criminal Investigation Office, 3rd Territorial Brigade Chief of Staff and 3rd Territorial Brigade Deputy Commander (2000 – 2007). During 2006 he integrated the Working Group for the Reform of the Portuguese Internal Security System. From 2004 to 2007 he was Assistant Lecturer of Military Sociology at the Military Academy in Lisbon. From July 2007 till June 2009 he has been the European Gendarmerie Force Chief of Staff.

He attended several courses related with Crisis Management Operations among them the United Nations Police Commander Course, the Strategic Planning for European Union Police Mission Course, the European Security and Defence Policy Orientation Course, the NATO Staff Officer Force Planning Course and the NATO Partnership for Peace Staff Officer Course.”

Ora bem vamos lá analisar o que podem fazer!

A nível estratégico:

- Fazer policiamento em operações de gestão de crise, com base nas conclusões dos Conselhos de Santa Maria da Feira e de Nice:

http://www.ena.lu/conclusions_santa_maria_da_feira_european_council_1920_june_2000-02-27325%20target=
http://www.ena.lu/conclusions_nice_european_council_7_9_december_2000-02-17960

- Quem pode usar esta Força?

EU, NU, OSCE, NATO, outras e coligações.

- Quem ordena?

A Estrutura de Comando é a CIMIN (Comité InterMiistériel de haut Niveau) composta pelos representantes dos responsáveis pelos Ministérios de cada Pais, que assegura coordenação político-militar, nomeia o Comandante da Força e provisiona-lhe directivas e orientações para o emprego.

Qual a estrutura da Força?

E a nível táctico?

- A Força pode ser posta sob o comando quer tanto de autoridades militares como de civis, por forma a assegurar a segurança publica, ordem publica e o funcionamento pleno das tarefas judiciais. (Entrega de alimentos, cuidados médicos não interessa!)

- Não é uma força permanente (é só para repor a ordem… a ordem deles, é uma Força de Intervenção).

- A força é formada num máximo de 800 oficiais de policia, em menos de 30 dias. Para quem ainda não perceba como é que funciona, explicamos, existe um HQ permanente em Itália e quando necessitam formam uma força e essa é enviada para a crise, depois de fazer o que tem a fazer esta força é desmantelada.

Mas afinal o que é que eles tem a fazer?

– Missões gerais de segurança publica;
- Missões de manutenção da ordem publica- Combate ao crime;
- Investigação criminal (detecção, recolha, analise de informação);
- Processamento, protecção e assistência de indivíduos;
- Controlo de tráfego;
- Desactivação de explosivos;
- Combate ao terrorismo e crimes maiores e outros especializados;
- Armazenamento, gestão, recuperação e evacuação de equipamentos, transportes, e ajuda medica (não se deixem enganar por este último ponto, pois reparem que não existe distribuição nem de propriamente a ajuda, apenas a organizam);
- Monitorizar e aconselhar a policia  local no seu trabalho do dia-a-dia;
- Vigilância do publico;
- Policiamento das fronteiras;
- Serviços secretos;
- Protecção de pessoas e propriedades (esta até é cómica! Vamos ver quem são essas pessoas e propriedades…);
- Treino de oficiais de policia e de instrutores.

Por fim vamos aos símbolos, este é o logótipo da força em questão:

- O mote “Lex Paciferat” (A Lei trará a Paz);
- A espada como cruz invertida;
- O louro maçónico;
- A granada a rebentar (parece uma planta, mas é uma granada e as chamas a sair dela) – Pacifistas vê-se…

Sendo tudo isto tão interessante porque não passou nos média nacionais e europeus?

Retirado de Portugal Esotérico.org


4 Comentários

FIRST CHINA, HAITI AND NOW CHILE HAARP AND EARTHQUAKE


1 Comentário

A Falsa Pandemia: empresas farmacêuticas lucraram com o pânico da gripe suína, afirma o chefe da Agência de Saúde Europeia

O surto de gripe suína era uma “falsa pandemia” movida por empresas de medicamentos que fizeram bilhões de libras através do pânico em todo o mundo, alegou um importante especialista europeu em saúde.

Wolfgang Wodarg, chefe de saúde do Conselho da Europa, acusou os fabricantes de medicamentos e vacinas da gripe de influenciar a decisão da Organização Mundial de Saúde de declarar uma pandemia.

Isto levou a que as empresas farmacêuticas assegurassem “enormes lucros”, enquanto os países, incluindo o Reino Unido, “desperdiçaram” seus parcos orçamentos da saúde com milhões que estão sendo vacinados contra uma doença relativamente branda.

A resolução proposta pelo Dr. Wodarg pedindo uma investigação sobre o papel das empresas de droga foi aprovada pelo Conselho da Europa, o “senado” baseado em Estrasburgo que é responsável pelo Tribunal Europeu dos Direitos Humanos.

Um debate de urgência sobre a questão será realizado ainda este mês.
As afirmações do Dr. Wodarg emergem no mesmo momento em que o governo britânico está tentando desesperadamente se livrar de 1 bilhão de libras em vacina da gripe suína, encomendadas na época do pânico.

O Departamento de Saúde britânico alertou que poderia haver até 65.000 mortes por causa da gripe suína, criou uma linha telefónica e site especial para aconselhamento, suspendeu as regras normais para drogas anti-gripe para que pudessem ser dadas sem receita médica e aconselhou às autoridades locais para se prepararem para uma pandemia grave.

Planeadores foram orientados a prepararem os necrotérios para uma grande número de mortes e houve alertas de que o Exército poderia ser chamado para evitar tumultos enquanto a população lutasse para obter drogas.

Mas com menos de 5.000 pessoas na Inglaterra contraindo a doença até a semana passada e apenas 251 mortes no total, Dr. Wodarg definiu o surto do H1N1 como “um dos maiores escândalos médicos do século”.

Ele afirmou: “O que tivemos foi uma gripe leve – e uma falsa pandemia.”

Ele acrescentou que as sementes do pânico foram semeadas cinco anos atrás, quando se temia que o vírus mais letal da gripe aviária poderia se transformar em uma forma humana.

O “clima de pânico” levou os governos a estocar o remédio anti-gripe Tamiflu e criando “contratos adormecido” para milhões de doses de vacina.
Dr Wodarg afirmou: “Os governos fecharam contratos com produtores de vacinas onde assegurariam as encomendas com antecedência e tomariam para si quase toda a responsabilidade.
“Desta forma, os produtores de vacinas teriam a certeza de enormes lucros sem qualquer risco financeiro.
‘Então, eles só esperariam até que a OMS declarasse a “pandemia” e activassem os contratos. ”
Ele também afirma que para continuar a avançar os seus interesses, as principais fabricantes de medicamentos colocaram ’seu pessoal’ nas “engrenagens” da OMS e outras organizações influentes.

Ele acrescentou que sua influência poderia ter conduzido a OMS a suavizar a sua definição de pandemia – levando à declaração de um surto mundial em Junho passado.

Dr Wodarg disse: “A fim de promover os seus medicamentos patenteados e de vacinas contra a gripe, as empresas farmacêuticas influenciaram os cientistas e os órgãos oficiais, responsáveis pelas normas de saúde pública, para alardear os governos pelo mundo inteiro.

“Eles nos fizeram esbanjar parcos recursos de saúde para estratégias de vacina ineficientes e que milhões de pessoas saudáveis fossem expostas desnecessariamente ao risco dos efeitos colaterais desconhecidos de vacinas insuficientemente testadas.

Ele não dá os nomes de ingleses com os conflitos de interesse.

Mas no ano passado, o Daily Mail revelou que Sir Roy Anderson, um cientista que aconselha o Governo sobre a gripe suína, também possui um salário de 116.000 libras por ano no conselho da GlaxoSmithKline (GSK).
A GSK produz drogas e vacinas anti-gripe e deve ser uma das maiores beneficiárias da pandemia.O Departamento de Saúde britânico afirmou que embora a doença pareça estar em declínio, não descarta uma terceira onda, e insiste que todos as pessoas que podem receber a vacina que o façam.

P professor David Salisbury, chefe de imunização do governo britânico, disse que não havia “nenhuma razão” para as alegações do Dr Wodarg, dizendo que as pessoas com conflitos de interesse foram mantidos fora do processo decisório.

Um porta-voz da GSK declarou: “Alegações de influência indevida são equivocadas e infundadas. A OMS declarou que o vírus H1N1 preenchiam os critérios para uma pandemia. Como a OMS afirmou, regulamentos legais e inúmeras salvaguardas existem para evitar eventuais conflitos de interesse. ”

A empresa, que ainda emprega Sir Roy, disse que ele tinha declarado os seus interesses comerciais e não tinha qualquer participação em reuniões relacionadas com a compra de drogas ou vacina para o Governo ou GSK.

Fontes:

Daily Mail: The ‘false’ pandemic: Drug firms cashed in on scare over swine flu, claims Euro health chief

In    Fim dos tempos


3 Comentários

Policy Peril: Straight Talk About Global Warming

more about “Policy Peril: Straight Talk About Glo…“, posted with vodpod


Deixe o seu comentário

Climategate: O sequestro do Movimento Ecologista e sua Reconquista.

Na fonte: ClimateGate:El Secuestro del Movimiento Ecologista y su Reconquista.

Tradução Livre por arauto do futuro.

Uma mensagem para os ecologistas e ativistas dos direitos humanos. Vocês que tem observado, com crescente sentido de inquietude, as formas nas que este mundo tem sido saqueado na perseguição do “bilhete verde”. Vocês que tem observado, com crescente preocupação, as maneiras que tratamos ao planeta que habitamos e deixamos de herança.

Esta não é uma mensagem divisora, mas sim de cooperação e unidade. Esta é uma mensagem de esperança e potenciação. Porém, requer olhar a uma verdade verdadeiramente incômoda: VOSSO MOVIMENTO HÁ SIDO USURPADO PELOS MESMISSÍMOS INTERESSES CONTRA OS QUAIS ACREDITAVAS QUE ESTAVAS LUTANDO.

Olhavas com esperança e entusiasmo enquanto vossa causa, vosso movimento, vossa mensagem começava a estender-se e a ser acolhida pelos meios corporativos. A idéias pelas que havias  lutado tanto tempo para ser escutadas foram, por fim, discutidas a nível nacional e internacional.  Porém, olhavas com crescente descontentamento, enquanto a mensagem ia sendo simplificado. Primeiro se converteu em slogan, logo em marca, até ficar em nada mais que uma etiqueta adjunta aos produtos de consumo.  As idéias pelas que uma vez lutastes, agora os estava sendo revendidas, por lucro.

Olhastes com crescente inquietude enquanto a mensagem se repetia qual loro sem argumento, levado mais como outra moda em lugar de uma compreensão de algo que proviesse da convicção. Estivestes em desacordo quando os slogans, e logo a ciência, se iam rebaixando intelectualmente. Até que o dióxido de carbono se converteu no foco e causa política, Imediatamente convertendo-se o CO2, na unica causa.

Sabíeis que ol “Gurú do CO2”, Al Gore, não era cientista, mas  sim político. Sabíeis que o movimiento estava sendo tomado por uma causa que não era vossa própria, mas sim uma que contava com crenças que vocês não compartilham e para propor soluções que vocês não queriam. Até que as soluções que exigistes nem sequer eram soluções, mas sim novos impostos e novos mercados que unicamente serviam para forrar os mesmos bolsinhos de sempre. Soubestes que algo ia mal quando a confabulação do sistema de compra-venda de cotas de CO2 (Cap & Trade) foi encarregado a Kenneth Lay, o mesmo arquiteto da bolha ENRON que arrebentou três meses depois do 11 de Setembro de 2001. Ou quando vistes a Goldman Sachsauto posicionar-se para cavalgar sobre a nova bolha do comércio do CO2. Ou quando o empuxo total do movimento se converteu somente em formas de ganhar e gastar dinheiro ou em arrecadar fundos para os mais ricos, impedindo ao mesmo tempo o desenvolvimento dos países pobres.

Vosso movimento havia sido seqüestrado. Ficou claro quando lestes o livro da elite Club de Roma de 1991, “A Primeira Revolução Global”, que diz: “Ao buscar um inimigo comum, pelo qual nos possamos unir contra,  nos ocorreu a idéia de que a poluição, a ameaça do aquecimento global, a escassez de agua, a fome, miséria e coisas deste estilo, se ajustassem a nosso projeto para o governo global e uma Nova Ordem Mundial.”

Mais claro todavia quando olhastes a lista de membros do Club de Roma e aprendestes acerca da eugenia e os laços de união entre Rockefeller e o Instituto Wilheim Kaiser e a prática da cripto-eugenesia. E o definitivo foi, quando se descobriu, em sete laboratórios europeus distintos, vacinas intencionalmente contaminadas pela farmacêutica Baxter, enquanto hoje mesmo vosso Governo obriga a “grupos de risco” a vacinar-se.  Ainda assim, queríeis acreditar que havia alguma base de verdade, algo verídico e valioso neste seqüestro do movimento meio-ambiental.

Porém, a finais de Novembro se enfumaça o que restava de dúvida no escândalo “ClimateGate” de  vazamento de informação privilegiada da Unidade para a Investigação do Clima(CRU). Documentos internos e correios  eletrônicos, expondo as mentiras, manipulação e fraude pós os estudos manipulados que validaram a ciência oficial do aquecimento e o suposto iminente desastre climatológico causado pelo CO2. Agora sabemos que manipularam seus próprios modelos de clima, admitindo que os resultados estavam sendo ajustados arbitrariamente. Além do mais, se estavam ajustando os valores para estar em conformidade com os desejos dos cientistas e não com a realidade. Agora sabemos que tanto os processos como os resultados de exame de homólogos estavam sendo pervertidos para excluir àqueles exocientistas que criticavam seus achados. Agora, sabemos que aqueles cientistas corruptos expressaram suas dúvidas sobre a confiabilidade da ciência que, sem querer, publicamente afirmavam  estar trucando . Agora sabemos, em resumo, que estavam mentindo.

De momento se desconhece o que se desprenderá de tudo isto. Porém, é evidente que o desprendimento será substancial. Contudo, com esta crise, vem uma oportunidade. Uma oportunidade para RECOBRAR O MOVIMENTO QUE OS FINANCEIROS OS TENHAM ROUBADO. Todos juntos podereis exigir uma completa e independente investigação a todos os investigadores cujo trabalho estava implicado no escândalo da CRU. Podereis exigir uma re-avaliação completa de todos esses estudos e conclusões e toda política pública que tenha sido baseada nestes. Podereis exigir novas normas de transparência de cientistas cujo labor esteja financiado por fundos públicos ou cujo trabalho afete a política pública. Em outras palavras, podereisreafirmar que nenhuma causa é digna de apoio quando usa do engano para sua propagação. Ainda mais importante, podereis recuperar VOSSO  movimento meio-ambiental.

Agora, podereis voltar a concentra-vos nas questões sérias que devem ser perguntadas. Como a engenharia genética, onde organismos híbridos de desenho ambicioso estão sendo liberados na biosfera, em um gigante experimento incontrolado que ameaça ao mesmissímo genoma da vida sobre este planeta. Podereis voltar a examinar os muitos problemas meio-ambientais que tenham sido esquecidos em nome do CO2. Podereis examinar as agências reguladoras que estão controladas pelas mesmissímas corporações que supostamente tem que vigiar. Podereis centrar no uranio empobrecido, nos derrames de resíduos tóxicos, o desmatamento das florestas,   todos os demais assuntos que sabéis uma vez eram do mandato do VERDADEIRO movimento meio-ambiental. Ademais, podereis investigar, com “CIÊNCIA COM CONSCIÊNCIA”, as verdadeiras causas CÓSMICAS das alterações climáticas, que os cientistas da elite de hoje intentam esconder detrás de uma cortina de fumaça do CO2.

Ou, podereis comodamente, cair na política partidista. Podereis decidir que tudo bem mentir  sempre e quando apóiem a nossa parte. Podereis defender as atuações censuráveis de Al Gore e dos investigadores do CRU e agrupa-los em torno da bandeia verde que desde muito tempo foi capturada pelo INIMIGO. É uma simples decisão a tomar, porém, uma que devereis tomar com rapidez e virulência, antes de que tudo volte ao “negócio como sempre”.  Estamos em uma encruzilhada de caminhos na historia.  E não nos equivoquemos, que a historia será o juiz final de nossas ações.

E, a cada um lhe deixo, com uma simples pergunta:

¿Em que lado da historia, queres estar… TÚ?

P:D: Cada palavra ou frase em negrito a coloco com a intenção de que a busques na Internet por tua conta.

Noticia Relacionada: http://www.elmundo.es/elmundo/2009/12/02/ciencia/1259749433.html

Fonte: StarViewerTeam 2009 & Corbertt Report.


Deixe o seu comentário

Jesse Ventura ex-Governador do Minnesota desmonta a farsa do Aquecimento Global – ‘Conspiracy Theory’

Posted on Dezembro 18, 2009 by ovigia

Jesse Ventura ex-Governador do Minnesota tem agora uma série de reportagens de investigação que visam tentar esclarecer ou fazer alguma luz sobre alguns assuntos designados por aqueles que os querem desacreditar como Teorias da Conspiração.

Este ex-Navy SEAL, ex-lutador de Wrestling e ex-político resolveu abordar numa nova série de televisão em formato tipo reportagens de investigação, diversos temas nossos conhecidos, tendo já ido para o ar três episódios desta série que se designa por CONSPIRACY THEORY WITH JESSE VENTURA e é uma produção da trutv.com.

Entre os temas abordados nos seus três primeiros episódios encontram-se o projecto militar HAARP capaz de alterar a atmosfera e o clima bem como o pensamento de todos nós e até provocar tremores e terra entre outros, no segundo episódio tratou do tema dos atentados do 11Set2001 e no episódio de ontem o terceiro, foi sobre o AGW, Aquecimento Global supostamente de origem antropogénica, sobre o qual Alex Jones tem um interessante artigo no seu site.

Para darem olhada aos seguintes episódios vão até ao site do projecto, caso queiram fazer o seu download através de torrents, aqui estão eles, para darem uma olhada primeiro vão até ao youtube.


Deixe o seu comentário

Espiando os cidadãos, novas tecnologias via DARPA

Espiando os cidadãos, novas tecnologias via DARPA

Posted on Março 15, 2009 by ovigia

O Pentágono acaba de anunciar que se prepara através da DARPA, para lançar uma esquadra de cerca de 450 dirigíveis «ISIS» capazes de voar a 65000 pés de altitude «19812 metros» durante 10 anos e alimentados por células de hidrogénio e painéis solares.
Serão gastos 400Milhões de dólares apenas no protótipo.

A ideia não é nova, mas parece que será desta vez ainda mais abrangente e poderosa.
As deculpas para a sua implementação também não deverão ser novas, terrorismo, ataques exteriores com misseis, etc etc.
Quando se quer enganar o povo, as desculpas arranjam-se, e que as vende já está à muito controlado e no bolso, os media mainstream acríticos.

Estes equipamentos permitirão aos seus operadores em estações no terreno, o controlo e monitorização de várias centenas de kms de diâmetro através de equipamentos de vigilância, tais como câmaras de alta resolução bem como antenas de radar.

Podendo através dessa vigilância monitorizar e controlar, veículos, aviões e pessoas.

Já não chegando todos os ataques às Liberdades, Direitos e Garantias dos cidadãos dos EUA, com o constante ataque e destruição da sua constituição, como são provas o fim do Habeas Corpus, Posse Comitatus, a implementação do Patriot Act e da FISA, do projecto REX 84 que permite a espionagem/vigilância de todas as comunicações internas e externas sem necessidade de recorrer a um Juíz, chega agora mais uma arma para as mãos da cleptocracia oligarca dos EUA.

Não deve tardar a chegar à UE, especialmente através do Reino Unido.

Afinal de contas A Oligarquia está a ficar com medo – A Lei Marcial está a chegar

DARPA courted defense contractors Raytheon, Lockheed Martin and Northrop Grumman to develop the airships

Infowars.com
sept 6, 2004

The skies were filled with surveillance helicopters as well as the Fuji Blimp, that was being rented by the NYPD. We could always tell where the protests and arrests were taking place because as many as 4 helicopters and a blimp would be circling overhead.

A look at the future. Homeland Security plans to tether megablimps 32xs the size of the goodyear blimp over every major US city mounted with ground-penetrating radar looking right through your walls. This is only conditioning.

(Photo by Ted O’Brien)

[Via mediamonarchy, LA Times, Guardian, Infowars]

Powered by ScribeFire. in O Vigia


1 Comentário

Lord Monckton adresses a Greenpeace-campaigner on global warming

Lord Monckton confronting a member of greenpeace with her ignorance!

In the video reactions is a vid of a confrontation between Lord Monckton and some american global warming protesters

100 reasons why climatechange is natural
http://pontificus.com/2009/12/climate…
Global warming / climate change is a scam!!!
check the facts!!


Deixe o seu comentário

Global Warming – Doomsday Called Off

http://www.nytimes.com/2009/11/21/sci…

Blogger proves NASA wrong on climate change:
http://www.timesonline.co.uk/tol/news…

Next Decade ‘may see no warming’:
http://news.bbc.co.uk/2/hi/science/na…

World leaders need to remain alert to latest scientific thought on climate change:
http://www.physorg.com/news110001435….

Global Warming Risks Incorrect:
http://tvnz.co.nz/view/page/536641/13…

Major New Theory Proposed to Explain Global Warming:
http://tinyurl.com/243go5

Melting Glaciers DO NOT Prove GW claims:
http://tinyurl.com/2qy2hu

Global warming/Kilimanjaro:
http://www.ecoearth.info/shared/reade…

http://www.reuters.com/article/scienc…

http://global-warming.accuweather.com…

Global Warming Consensus?
http://tinyurl.com/3a7b7s

Climate Momentum Shifting: Prominent Scientists Reverse Belief in Man-made Global Warming:
http://tinyurl.com/36jyvw

NASA’s Chief Questions Need to Combat Global Warming:
http://www.abcnews.go.com/Technology/…

Scientific Smackdown:
http://tinyurl.com/26hzgt


Deixe o seu comentário

Confirmed! Global warming “hockey stick” graph a fraud – data cherry-picked to show effect that wasn’t there!

The hockey stick graph is a classic from years back, that has now been proven to be a fraud perpetrated by those pushing a liberal agenda, and using the debunked theory of man-made global warming to justify it. The graph was a centerpiece of Al Gore’s fear-mongering. The researchers that made it refused to disclose their data, even though the study was funded with taxpayer money. Now we know why. I wrote on the hoax before (The hockey stick hoax), and showed that the hockey stick graph is totally inconsistent with data gathered in Europe:The lead scientist was global warming alarmist Michael Mann, who should be stripped of any further academic duty by virtue of scientific fraud. In essence, man-made global warming is a hoax. It is not man-made, but it is Mann-made. From Planet Gore (via Climate Depot):

1: In 1998, a paper is published by Dr. Michael Mann, then at the University of Virginia, now a Penn State climatologist, and co-authors Bradley and Hughes. The paper is named: Northern Hemisphere Temperatures During the Past Millennium: Inferences, Uncertainties, and Limitations. The paper becomes known as MBH98.

The conclusion of tree ring reconstruction of climate for the past 1,000 years is that we are now in the hottest period in modern history, ever.

…Steve McIntyre, a Canadian mathematician in Toronto, suspects tree rings aren’t telling a valid story with that giant uptick at the right side of the graph, implicating the 20th century as the “hottest period in 1000 years,” which alarmists latch onto as proof of AGW. The graph is dubbed the “Hockey Stick” and becomes famous worldwide. Al Gore uses it in his movie An Inconvenient Truth in the famous “elevator scene.”

2: Steve attempts to replicate Michael Mann’s tree ring work in the paper MBH98, but is stymied by lack of data archiving. He sends dozens of letters over the years trying to get access to data but access is denied. McIntyre and Ross McKitrick, of the University of Guelph publish a paper in 2004 criticizing the work. A new website is formed in 2004 called Real Climate, by the people who put together the tree ring data and they denounce the scientific criticism:

http://www.realclimate.org/index.php/archives/2004/12/false-claims-by-mcintyre-and-mckitrick-regarding-the-mann-et-al-1998reconstruction/

3: Years go by.McIntyre is still stymied trying to get access to the original source data so that he can replicate the Mann 1998 conclusion. In 2008 Mann publishes another paper in bolstering his tree ring claim due to all of the controversy surrounding it. A Mann co-author and source of tree ring data (Professor Keith Briffa of the Hadley UK Climate Research Unit) used one of the tree ring data series (Yamal in Russia) in a paper published in the Philosophical Transactions of the Royal Society in 2008, which has a strict data archiving policy. Thanks to that policy, Steve McIntyre fought and won access to that data just last week.

4: Having the Yamal data in complete form, McIntyre replicates it, and discovers that one of Mann’s co-authors, Briffa, had cherry picked 10 tree data sets out of a much larger set of trees sampled in Yamal.

5: When all of the tree ring data from Yamal is plotted, the famous hockey stick disappears. Not only does it disappear, but goes negative. The conclusion is inescapable. The tree ring data was hand-picked to get the desired result.

Here are the relevant graphs showing the fraud:Ouch! The only questions remaining now are 1) is Mann going to be thrown out for scientific fraud, possibly the worse offense one can make in academia; and 2) will the MSM notice and report on the hoax as much as they reported on it when the hockey stick graph was introduced? Chris Horner wonders:

So now the question is, if tree rings scream and their message is one that few want to hear, does their message get heard?

Steve McIntyre has the money quote:

I hardly know where to begin in terms of commentary on this difference.

- Steve McIntyre, Climate Audit in Yamal: A “Divergence” Problem

Yeah – it’s that bad. WattsUpWithThat has a huge round-up of the controversy: Quote of the week #20 – ding dong the stick is dead. Climate Depot also has these links:

If you are a technical type, consider signing the petition to reject man-made global warming. So far, 31,478 American scientists have signed on, with more than 9,000 of those holding Ph.D.s:UPDATE: Ace of Spades adds this:

When asked for comment, Johnnie Cochran responded “If the data don’t fit, just make up some s**t”

Also, the Purple Avenger thinks it appropriate for a YouTube video of teh Sex Pistols singing Liar. I think this one is more apropos.

Bookmark and Share
Follow me on Twitter and Facebook
Posted by The blogprof at 9:30 AM
Labels:


2 Comentários

Top 15 Climate Myths

15 COMMON MISCONCEPTIONS ABOUT ANTHROPOGENIC GLOBAL WARMING AND CLIMATE CHANGE

MYTH 1: Global temperatures are rising at a rapid, unprecedented rate.

FACT: Accurate satellite, balloon and mountain top observations made over the last three decades have not shown any significant change in the long term rate of increase in global temperatures. Average ground station readings do show a mild warming of 0.6 to 0.8C over the last 100 years, which is well within the natural variations recorded in the last millennium. However, the ground station network suffers from an uneven distribution across the globe; the stations are preferentially located in growing urban and industrial areas (“heat islands”), which show substantially higher readings than adjacent rural areas (“land use effects”) i.e. local heat retention due to urban sprawl, not global warming…and it is these, ‘false high’ ground readings which are then programmed into the disreputable climate models used by your favourite enviro groups such as Greenpeace, which live up to the GIGO acronym — Garbage In, Garbage Out.

Looking at it from the long term, the planet has been gradually recovering from the Little Ice Age which ended in 1850. Our temps are in fact right where they should be. From a short term perspective, satellite measurements (which are far more accurate than land-based stations) are now showing a gradual decrease in global temperatures, and it is currently well accepted that temperatures have been slowly falling for over a decade now and cold records are being set far more often than warm records.

In summary, there has been no catastrophic warming recorded from either method whatsoever.

MYTH 2: It’s never been warmer in the past.

FACT: We are in a relatively cool period and it used to be much warmer over countless periods in the past. Even just a few hundred years ago, the Vikings used to live in parts of Greenland without snow, and vineyards flourished in the North of London! There is nothing apocalyptic about warmer temperatures, in fact it’s quite the opposite. In the UK, every mild winter saves 20,000 cold-related deaths, and scaled up over northern Europe mild winters save hundreds of thousands of lives each year. ALSO, data from ice core samples shows that in the past, temperatures have risen by ten times the current rise, and fallen again, in the space of a human lifetime. Nothing is happening “faster than normal” with today’s weather/climate change/temperature variations, etc.

MYTH 3: The “hockey stick” graph proves that the earth has experienced a steady, very gradual temperature decrease for 1000 years, then recently began a sudden increase.

FACT: The hockey stick graph seen in An Inconvenient Truth and elsewhere has been completely debunked and proven fraudulent. It has airbrushed out the significant changes in climate which have continually occurred throughout geologic time. For instance, the Medieval Warm Period, from around 1000 to1200 AD (when the Vikings farmed on Greenland) was followed by a period known as the Little Ice Age. Since the end of the 17th Century the “average global temperature” has been rising at the low steady rate mentioned above; although from 1940 – 1970 temperatures actually dropped, leading to a Global Cooling scare. And now the temperatures are dropping once again, in fact they’ve been dropping since 1998.

The “hockey stick”, a former poster boy of both the UN’s IPCC and Canada’s Environment Department, ignores historical recorded climatic swings, and is proven to be flawed and statistically unreliable as well. It has now been quietly removed from the IPCC reports and thoroughly discredited throughout the scientific world and is well regarded as one of the biggest scientific hoaxes of our time, yet you can still find it being used today by organizations such as the Sierra Club, Greenpeace, etc. The chart is a computer construct and a very faulty one at that. But what else would you expect, seeing as it was created only to help perpetrate the climate change lie.

Speaking of computer generated scams, let’s not forget the drowning polar bears in Gore’s movie and the fraudulent claim that the bears are disappearing. In fact they are actually thriving. Polar bear populations are 500% larger than they were 50 years ago. Shame on you, Al Gore, for playing on people’s emotions to drive support for your enormous $45 trillion carbon tax hoax.

MYTH 4: Human produced carbon dioxide has increased over the last 100 years, adding to the Greenhouse effect, thus warming the earth.

FACT: Carbon dioxide levels have indeed changed for various reasons, human and otherwise, just as they have throughout geologic time. Since the beginning of the industrial revolution, the CO2 content of the atmosphere has increased. The RATE of growth during this period has also increased from about 0.2% per year to the present rate of about 0.4% per year,which growth rate has now been constant for the past 25 years. However, there is no proof that CO2 is a measurable driver of global warming, let alone the tiny amount released by humankind. As measured in ice cores dated over many thousands of years, CO2 levels move up and down AFTER the temperature has done so, and thus are the RESULT OF, NOT THE CAUSE of warming.

Effectively, the man-made global warming theorists have put effect before cause — this completely debunks the entire global warming theory and shows that reducing carbon dioxide emissions is a futile King Canute exercise! Geological field work in recent sediments confirms this causal relationship. There is solid evidence that, as temperatures move up and down naturally and cyclically through solar radiation, orbital and galactic influences, the warming surface layers of the earth’s oceans expel more CO2 as a result.

MYTH 5: CO2 is the most common greenhouse gas.

FACT: Greenhouse gases form about 3% of the atmosphere by volume. They consist of varying amounts, about 96.5% is water vapour and clouds, with the remainder being trace gases like CO2, CH4, Ozone and N2O. CO2 constitutes about 0.037% of the atmosphere. And then the human portion of that 0.037% is incredibly small.

But isn’t CO2 the most important of the greenhouse gases? Nope. Not even close. Most of the greenhouse effect is due to water vapor, which is about 100 times as abundant in the atmosphere as CO2 and thus has a much larger effect.

In summary, water vapour is by far the most important and overwhelming greenhouse gas. Those attributing climate change to CO2 rarely mention these important facts.

What’s next? A steam tax when you boil a kettle for your cup of tea?

MYTH 6: Computer models verify that CO2 increases will cause significant global warming.

FACT: The computer models assume that CO2 is the primary climate driver, when in fact CO2 does not drive climate, and they do not take into account the Sun, which has the most significant effect on climate. You cannot use the output of a model to verify or prove its initial assumption – that is circular reasoning and is illogical. Computer models can be made to roughly match the 20th century temperature rise by adjusting many input parameters and using strong positive feedbacks. They do not “prove” anything. Also, computer models predicting global warming are incapable of properly including the effects of the sun, cosmic rays and the clouds. The sun is a major cause of temperature variation on the earth surface as its received radiation changes all the time, This happens largely in cyclical fashion. The number and the lengths in time of sunspots can be correlated very closely with average temperatures on earth, e.g. the Little Ice Age and the Medieval Warm Period. Varying intensity of solar heat radiation affects the surface temperature of the oceans and the currents. Warmer ocean water expels gases, some of which are CO2. Solar radiation interferes with the cosmic ray flux, thus influencing the amount ionized nuclei which control cloud cover. Again, models are in essence: GARBAGE IN = GARBAGE OUT. (Maybe they should also take note that when the Earth warms, so do other planets in our solar system. Now please explain how CO2 can cause that?!)

MYTH 7: The UN proved that man–made CO2 causes global warming.

FACT: In a 1996 report by the UN on global warming, two statements were deleted from the final draft. Here they are:
1) “None of the studies cited above has shown clear evidence that we can attribute the observed climate changes to increases in greenhouse gases.”
2) “No study to date has positively attributed all or part of the climate change to man–made causes”

Scientists draft reports for the IPCC, but the IPCC are bureaucrats appointed by governments, in fact many scientists who contribute to the reports disagree with the ’spin’ that the IPCC and media put on their findings. The latest report suggests that the next 100 years might see a temperature change of 6 Celsius yet a Lead Author for the IPCC (Dr John Christy UAH/NASA) has pointed out that the scenarios with the fastest warming rates were added to the report at a late stage, at the request of a few governments (to create urgency) — in other words the scientists were told what to do by politicians and many of them strongly disagree. This is not science. It’s political propaganda.

To the present day there is still no scientific proof that man-made CO2 has any effect on global warming or can cause “climate change”. However, there is plenty of scientific proof that the Earth has been cooling while CO2 has risen, and that increased CO2 is very beneficial to our planet.

MYTH 8: Carbon Dioxide (CO2) is a pollutant.

FACT: This is absolutely not true. Nitrogen forms 80% of our atmosphere. We could not live in 100% nitrogen either. Carbon dioxide is no more a pollutant than nitrogen is. CO2 is essential to life on earth. It is necessary for plant growth since increased CO2 intake as a result of increased atmospheric concentration causes many trees and other plants to grow more vigorously. Unfortunately, the Canadian Government has included CO2 with a number of truly toxic and noxious substances listed by the Environmental Protection Act, only as their means to politically control it. In the US, president Obama is also trying to classify CO2 as a “pollutant” for the same political reasons. It’s really quite terrifying and is a slap in the face to science.

MYTH 9: Reducing car use will cut carbon dioxide levels and save the planet!

FACT: The planet does not need saving from this mythical problem of CO2 emissions from cars, but taking this on anyway, removing every car from every road in every country overnight would NOT produce any change in the carbon dioxide level of the atmosphere, and in any case it is pointless trying to alter climate by changing carbon dioxide levels as the cause and effect is the other way round! — It is changes in the activity of the Sun that cause temperature changes on earth, with any temperature rise causing carbon dioxide to de-gas from the oceans.

MYTH 10: Global warming will cause more storms and other weather extremes.

FACT: There is no scientific or statistical evidence whatsoever that supports such claims on a global scale. Regional variations may occur, and always do. Growing insurance and infrastructure repair costs, particularly in coastal areas, are sometimes claimed to be the result of increasing frequency and severity of storms, whereas in reality they are a function of increasing population density, escalating development value, and ever more media reporting. Weather records clearly show there has been a decrease in violent and extreme weather over the past century.

Extreme weather correlates with the cycle of solar activity, not carbon dioxide emissions or political elections. The recent heavy rainfall in winter and spring is a perfect example of this — it occurred at solar maximum at a time when solar maxima are very intense — this pattern may well repeat every 11 years until about 2045. Furthermore, the hottest and coldest days on record occurred more than 60 years ago (before industry) and the wackiest most extreme weather recorded over the last 100 years, including the strongest hurricanes, and devastating droughts/floods, all occurred in the 1940′s. And guess what? They will always happen, every year, with new records set daily. Normal.

Contrary to media hysteria claiming increasing storm severities, scientists have studied this issue and come to the opposite conclusion: extreme events are becoming LESS common. Atlantic hurricanes were much more numerous from 1950 to 1975 than from 1975 to present. Hailstorms in the US are 35% less common than they were fifty years ago. Extreme rainfall in the US at the end of the 20th century is comparable to what it was at the beginning of the 20th century. Also, there is much empirical evidence to suggest that when global warming does happen from time to time, more warmth generally leads to a more stable climate with less weather extremes. Once again, the greenies got it backwards.

MYTH 11: Carbon taxes, petrol duty, and workplace parking charges are justifiable environmental taxes.

FACT: As carbon dioxide emissions from cars and factories does not have any impact on climate, these taxes are ‘just another tax’ on enterprise and mobility, and have no real green credentials. None.

MYTH 12: Global warming must be real since governments are trying to cover it up and I see protests all the time!

FACT: It’s exactly the opposite. Governments everywhere are not only active supporters of the climate change lie, they are promoters of it and massively fund it. And they’ve done an absolutely brilliant job of it by easily convincing the world’s alarmists and Earth-conscientious citizens of an impending catastrophe, thereby utilizing the protesters and subsequent immense political pressure to push through the very policies they aspire to implement on all of us. Governments have learned the power of activism ever since the days of the revolution, and they’ve managed to use it to their advantage. Extremist environmentalists have been duped into becoming a tool for the very governments they believe they’re “fighting” against. A recent example of this was the declaration by Al Gore and James Hansen which encouraged activists to consider civil disobedience to stop the construction of new coal power plants.

In defense of many environmentalists and “cause-jumpers”, quite often they simply do not know any better but are actually well intentioned.

MYTH 13: Receding glaciers, the calving of ice shelves, and the shrinking of snow on Mt. Kilimanjaro are proof of global warming.

FACT: Glaciers have been receding and growing cyclically for hundreds of years. Recent glacier melting is a consequence of coming out of the very cool period of the Little Ice Age. Ice shelves have been breaking off for centuries. Scientists know of at least 33 periods of glaciers growing and then retreating. It’s normal. Besides, glacier’s health is dependent as much on precipitation as on temperature. What you see on your television newscasts are images of the annual summer melt off, which happens every single year and is nothing to worry about.

Global warming is not melting Mt. Kilimanjaro’s alpine glacier. Temperatures at Mt. Kilimanjaro have been slightly cooling since at least the middle of the twentieth century, and those temperatures virtually never rise above freezing. Scientists have long known that deforestation at the base of the mountain is causing the mountaintop glacier to shrink, by reducing the moisture and resultant precipitation in mountain updrafts.

MYTH 14: The earth’s poles are warming; polar ice caps are breaking up and melting and the sea level rising.

FACT: The earth is variable. The western Arctic may be gotten somewhat warmer last century, due to unrelated cyclic events in the Pacific Ocean, but the Eastern Arctic and Greenland are getting colder. And now the western Arctic is cooling again. The small Palmer Peninsula of Antarctica is getting warmer, while the main Antarctic continent is actually cooling. Ice thicknesses are increasing both on Greenland and in Antarctica.

Sea level monitoring in the Pacific (Tuvalu) and Indian Oceans (Maldives) has shown no sign of any sea level rise.

MYTH 15: There are only a tiny handful of maverick scientists who dispute that man-made global warming theory is true.

FACT: There are literally tens of thousands of signatures from scientists worldwide on many petitions, ranging from the Oregon Petition Project, the Manhattan Declaration, all the way to the Leipzig Declaration which all state that there is no evidence for the man-made global warming theory nor is there any impact from mankind’s activities on climate. Many scientists are now dissenting against Al Gore and the IPCC and strongly believe that the Kyoto agreement is a total waste of time, expensive, dangerous and one of the biggest political scams ever perpetrated on the public … as H L Mencken said “The fundamental aim of practical politics is to keep the populace alarmed, and hence clamorous to be led to safety, by menacing it with an endless series of hobgoblins, all of them imaginary” … the desire to save the world usually fronts a desire to rule it. Of the scientists who support the climate change theory, many are on payrolls of government agencies and others are simply securing their funding. The consensus is clear: Man-made climate change is a hoax.

THE GREENHOUSE EFFECT

Over 95 percent of the Greenhouse Effect is the result of atmospheric water vapor in Earth’s atmosphere. But because water droplets held in suspension (clouds) make almost as good a reflector as they do a thermal insulator, there is little rise in daytime temperatures due to the Greenhouse Effect.

Any greenhouse warming, if it does occur, is limited to primarily increasing nighttime temperatures, which provides beneficial moderation of nighttime low temperatures, but no increase in daytime high temperatures.

Did you know…

Although the biggest source of greenhouse gas is our oceans, the world’s natural wetlands also produce more greenhouse gas contributions annually than all human sources combined. Furthermore, Animals and volcanoes produce so much CO2 that it completely dwarfs mankinds insignificantly tiny emissions.

To summarize what we have learned so far:

  • Climate changes are not driven by CO2.
  • Air pollution has nothing to do with CO2.
  • Human-produced CO2 is a miniscule fraction of a percentage of greenhouse gases.
  • 96.5% of all greenhouse gases emit from the oceans, naturally.
  • The small amount of CO2 produced by humans is wholly beneficial to the planet.
  • Without CO2, vegetation dies, herbivores die, you die.
  • CO2 levels used to be much higher many times in the past.
  • Higher temperatures from the sun result in CO2 levels rising long afterwards.
  • Rising CO2 is an effect of global warming, not a cause.
  • Global warming and cooling is a purely natural phenomenon.
  • The higher the CO2 levels in the atmosphere, the greener our planet becomes.
  • Forests and plant life growth has increased by approx 40% over the last 50 years, thanks to CO2.
  • Increasing CO2 yields larger food crops. This is beneficial to a growing population.
  • The Earth is not currently warming, it is in fact cooling.
  • Temperatures in the past have often been much warmer than today.
  • Even if it were to happen, a warmer Earth is far better than a colder one, for all life.
  • Many scientists believe we are on the cuss of the next little ice age.
  • When the planet warms and cools it is due to the sun. Not your car.
  • Polar ice is now at record levels and still growing.
  • Climate changes happen all the time, and have occurred much faster than anything in modern times.
  • There has been no increase in extreme weather. In fact, records show the exact opposite.

So don’t panic. You’re NOT at fault!

“It is a blatant lie put forth in the media that makes it seem there is only a fringe of scientists who don’t buy into anthropogenic global warming.” – U.S. Atmospheric Scientist Stanley B. Goldenberg of the Hurricane Research Division of NOAA.

Former President Clinton, Al Gore, Obama and others have often cited a letter signed by 2600 scientists that global warming will have catastrophic effects on humanity. Thanks to Citizens for a Sound Economy, we know now that fewer than 10 percent of these “scientists” know anything about climate. Among the signers: a plastic surgeon, two landscape architects, a hotel administrator, a gynecologist, seven sociologists, a linguist, and a practitioner of traditional Chinese medicine. We also now know that many of the few actual scientists on that panel are not asked whether they agree with the UN’s asessments, and many of them vehemently disagree and have thus asked to have their names removed from that fraudulent list. Global Warming Treaty is All Pain, No Gain — Malcom Wallop

“When a bureaucracy’s reason for existence is threatened, it typically generates new missions.” Desperately Seeking Mission: Why the State Department’s Gone Green — Peter VanDoren

With the release of Al Gore’s propaganda movie An Inconvenient Truth and with the help of the media the public has been driven into a mass hysteria based not on science but lies. The movie has been completely debunked and the junk science used by extremists is exactly that: junk.

You will learn that there is no empirical evidence that man-made CO2 is a cause of temperature increases. It is, in fact, an after effect of temperature increases. Carbon Dioxide (CO2) is not a pollutant, pollution has nothing to do with global warming, politicians who support such absurd notions are a fraud, there is no “consensus” on global warming, the Earth has been far warmer in the past than it is today, polar bears are not endangered or dying, they are thriving, droughts and hurricanes are not caused or made worse by global warming, extreme weather events are decreasing, and there is extensive evidence of the factual natural causes of global warming when it really happens from time to time, pointing squarely at increased solar activity and orbital variations.

Those who claim that skeptics are in bed with the oil companies or receive funding from questionable sources need to give their heads a shake and look at the facts. Funding and grants to PROMOTE the climate change myth are astronomical, while money for the skeptics is pocket change:

Debunkers of the global warming theory have received approx = $21M (Million).
Supporters of the global warming theory have received approx = $79B (BILLION!)

Many people want a piece of that $79 billion pie, and the figure will only get higher so long as these groups can continue to convince the populous that the end is near unless we all start paying to emit that evil CO2! Don’t you find it odd that nearly nobody ever accuses the giant Enviro groups of being in bed with the large Green Industry? Or that Al Gore has boatloads of his own cash on the line in these companies? Every environmental, political, and research group knows full well that in order to receive funding and grants they need to create urgency and panic. Money then flows in like a river, regardless of actual science. It’s a sad fact.
It is better to trust scientists than politicans. Do not let fear ruin your day. Learn the Facts.

There are several motives for the media and politicians to lie to you about global warming, aside from money and control.

~The media sells more papers, magazines, and television ratings soar when their audience is scared of some imminent catastrophe that your respective service is reporting on. Although, they can’t decide whether we’re going to burn to death, freeze to death, or drown. http://epw.senate.gov/speechitem.cfm?party=rep&id=263759

~Environmental organizations and some scientists will lie to you because their funding depends on it. If theres no crisis to work through, then they start losing funding. This is well documented.
http://meteo.lcd.lu/globalwarming/von_Storch/staged_angst/a_climate_of_staged_angst.html

~Foreign countries are lying to us (by means of the IPCC) because they wish to throw a monkey wrench into the inner workings of western economies, which are the strongest in the world. If our economy slows down, the economic standing of other countries improves because we will no longer dominate the markets.

~Development and industrialization of third world countries will be stamped out, along with hundreds of millions of lives, all under the guise of “saving the planet from climate change”. It’s absolutely sickening. So, who’s really on the “immoral” side? Us or the alarmists?

~Wanna talk about new taxes and restricted freedoms? Try carbon taxes on everything and strict regulations for everyone….all coming soon by convincing you that CO2 & greenhouse gases are somehow evil and you must pay to emit them. Too bad they can’t tax the oceans since they are the cause of 96.5% of all greenhouse emissions, naturally, eh! Also too bad they can’t go back in time and tax the dinosaurs since CO2 levels were MUCH higher back then and it must have been their fault.

The motives for deception are there. Do your part to fight alarmism!

- CO2 is NOT a pollutant!
- Educate yourself!
CLICK HERE and HERE.

Antarctica is getting colder and thicker: http://www.worldclimatereport.com/index.php/2006/12/05/sea-level-rise-not-from-antarctic-melting/ ), and we know that any fluctuating warming/cooling is due to natural occurrences, and not human activity.

MUST READ LINKS:

http://epw.senate.gov/pressitem.cfm?party=rep&id=264777
http://globalwarminghoax.wordpress.com/2008/03/
http://ff.org/centers/csspp/pdf/20061121_gore.pdf
http://www.junkscience.com/Greenhouse/
http://www.junkscience.com/challenge.htm
http://article.nationalreview.com/?q=YmFiZDAyMWFhMGIxNTgwNGIyMjVkZjQ4OGFiZjFlNjc
http://www.cei.org/pdf/5331.pdf
http://www.telegraph.co.uk/news/main.jhtml?xml=/news/2003/04/06/nclim06.xml&sSheet=/news/2003/04/06/ixhome.html
http://www.canadafreepress.com/2006/harris061206.htm
http://www.upi.com/NewsTrack/view.php?StoryID=20060810-020342-6063r
http://earthguide.ucsd.edu/virtualmuseum/climatechange2/07_1.shtml
http://en.wikipedia.org/wiki/Gaia_theory_%28science%29
http://www.businessandmedia.org/specialreports/2006/fireandice/fireandice_execsum.asp
http://epw.senate.gov/searchresults.cfm?search=Global+Warming
http://epw.senate.gov/pressitem.cfm?party=rep&id=264777

The reason for warming:
http://www.research.noaa.gov/spotlite/archive/spot_sunclimate.html
http://www.research.noaa.gov/spotlite/archive/images/sunclimate_3b.gif
http://www.sciencedaily.com/releases/2003/03/030321075236.htm
http://news.bbc.co.uk/2/hi/science/nature/56456.stm
http://news.bbc.co.uk/1/hi/sci/tech/358953.stm
http://www.telegraph.co.uk/news/main.jhtml?xml=/news/2004/07/18/wsun18.xml&sSheet=/news/2004/07/18/ixnewstop.html
http://www.dukenews.duke.edu/2005/09/sunwarm.html
http://www.telegraph.co.uk/opinion/main.jhtml?xml=/opinion/2006/04/09/do0907.xml&s
http://en.wikipedia.org/wiki/Solar_variation

If you’re still not convinced that scientists are capable of being slanted in their research, check out this article:
http://epw.senate.gov/pressitem.cfm?party=rep&id=263847

For those who believe environmentalists are innocent:
http://www.activistcash.com/organization_overview.cfm/oid/131
http://www.newsmax.com/archives/ic/2005/12/29/91422.shtml
http://epw.senate.gov/repwhitepapers/Political.pdf

For those who believe there is a consensus:
http://www.petitionproject.org/
http://www.sepp.org/policy%20declarations/LDrevised.html

To see what happened in a debate between alarmists and skeptics:
http://epw.senate.gov/public/index.cfm?FuseAction=PressRoom.Blogs&ContentRecord_id=5ac1c0d6-802a-23ad-4a8c-ee5a888dfe7e

More FACTS and MYTHS? See what Professor deFreitas has to say. Click here.

RESOURCES

KNOWLEDGE IS POWER!


14 Comentários

“Não existe aquecimento global”, diz representante da OMM na América do Sul



Por Carlos Madeiro
Especial para o UOL Ciência e Saúde

Com 40 anos de experiência em estudos do clima no planeta, o meteorologista da Universidade Federal de Alagoas Luiz Carlos Molion apresenta ao mundo o discurso inverso ao apresentado pela maioria dos climatologistas. Representante dos países da América do Sul na Comissão de Climatologia da Organização Meteorológica Mundial (OMM), Molion assegura que o homem e suas emissões na atmosfera são incapazes de causar um aquecimento global. Ele também diz que há manipulação dos dados da temperatura terrestre e garante: a Terra vai esfriar nos próximos 22 anos.

Em entrevista ao UOL, Molion foi irônico ao ser questionado sobre uma possível ida a Copenhague: “perder meu tempo?” Segundo ele, somente o Brasil, dentre os países emergentes, dá importância à conferência da ONU. O metereologista defende que a discussão deixou de ser científica para se tornar política e econômica, e que as potências mundiais estariam preocupadas em frear a evolução dos países em desenvolvimento.

UOL: Enquanto todos os países discutem formas de reduzir a emissão de gases na atmosfera para conter o aquecimento global, o senhor afirma que a Terra está esfriando. Por quê?

Luiz Carlos Molion: Essas variações não são cíclicas, mas são repetitivas. O certo é que quem comanda o clima global não é o CO2. Pelo contrário! Ele é uma resposta. Isso já foi mostrado por vários experimentos. Se não é o CO2, o que controla o clima? O sol, que é a fonte principal de energia para todo sistema climático. E há um período de 90 anos, aproximadamente, em que ele passa de atividade máxima para mínima. Registros de atividade solar, da época de Galileu, mostram que, por exemplo, o sol esteve em baixa atividade em 1820, no final do século 19 e no inicio do século 20. Agora o sol deve repetir esse pico, passando os próximos 22, 24 anos, com baixa atividade.

UOL: Isso vai diminuir a temperatura da Terra?

Molion: Vai diminuir a radiação que chega e isso vai contribuir para diminuir a temperatura global. Mas tem outro fator interno que vai reduzir o clima global: os oceanos e a grande quantidade de calor armazenada neles. Hoje em dia, existem boias que têm a capacidade de mergulhar até 2.000 metros de profundidade e se deslocar com as correntes. Elas vão registrando temperatura, salinidade, e fazem uma amostragem. Essas boias indicam que os oceanos estão perdendo calor. Como eles constituem 71% da superfície terrestre, claro que têm um papel importante no clima da Terra. O [oceano] Pacífico representa 35% da superfície, e ele tem dado mostras de que está se resfriando desde 1999, 2000. Da última vez que ele ficou frio na região tropical foi entre 1947 e 1976. Portanto, permaneceu 30 anos resfriado.

UOL: Esse resfriamento vai se repetir, então, nos próximos anos?

Molion: Naquela época houve redução de temperatura, e houve a coincidência da segunda Guerra Mundial, quando a globalização começou pra valer. Para produzir, os países tinham que consumir mais petróleo e carvão, e as emissões de carbono se intensificaram. Mas durante 30 anos houve resfriamento e se falava até em uma nova era glacial. Depois, por coincidência, na metade de 1976 o oceano ficou quente e houve um aquecimento da temperatura global. Surgiram então umas pessoas – algumas das que falavam da nova era glacial – que disseram que estava ocorrendo um aquecimento e que o homem era responsável por isso.

UOL: O senhor diz que o Pacífico esfriou, mas as temperaturas médias Terra estão maiores, segundo a maioria dos estudos apresentados.

Molion: Depende de como se mede.

UOL: Mede-se errado hoje?

Molion: Não é um problema de medir, em si, mas as estações estão sendo utilizadas, infelizmente, com um viés de que há aquecimento.

UOL: O senhor está afirmando que há direcionamento?

Molion: Há. Há umas seis semanas, hackers entraram nos computadores da East Anglia, na Inglaterra, que é um braço direto do IPCC [Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática], e eles baixaram mais de mil e-mails. Alguns deles são comprometedores. Manipularam uma série para que, ao invés de mostrar um resfriamento, mostrassem um aquecimento.

UOL: Então o senhor garante existir uma manipulação?

Molion: Se você não quiser usar um termo tão forte, digamos que eles são ajustados para mostrar um aquecimento, que não é verdadeiro.

UOL: Se há tantos dados técnicos, por que essa discussão de aquecimento global? Os governos têm conhecimento disso ou eles também são enganados?

Molion: Essa é a grande dúvida. Na verdade, o aquecimento não é mais um assunto científico, embora alguns cientistas se engajem nisso. Ele passou a ser uma plataforma política e econômica. Da maneira como vejo, reduzir as emissões é reduzir a geração da energia elétrica, que é a base do desenvolvimento em qualquer lugar do mundo. Como existem países que têm a sua matriz calcada nos combustíveis fósseis, não há como diminuir a geração de energia elétrica sem reduzir a produção.

UOL: Isso traria um reflexo maior aos países ricos ou pobres?

Molion: O efeito maior seria aos países em desenvolvimento, certamente. Os desenvolvidos já têm uma estabilidade e podem reduzir marginalmente, por exemplo, melhorando o consumo dos aparelhos elétricos. Mas o aumento populacional vai exigir maior consumo. Se minha visão estiver correta, os paises fora dos trópicos vão sofrer um resfriamento global. E vão ter que consumir mais energia para não morrer de frio. E isso atinge todos os países desenvolvidos.

UOL: O senhor, então, contesta qualquer influência do homem na mudança de temperatura da Terra?

Molion: Os fluxos naturais dos oceanos, polos, vulcões e vegetação somam 200 bilhões de emissões por ano. A incerteza que temos desse número é de 40 bilhões para cima ou para baixo. O homem coloca apenas 6 bilhões, portanto a emissões humanas representam 3%. Se nessa conferência conseguirem reduzir a emissão pela metade, o que são 3 bilhões de toneladas em meio a 200 bilhões?Não vai mudar absolutamente nada no clima.

UOL: O senhor defende, então, que o Brasil não deveria assinar esse novo protocolo?

Molion: Dos quatro do bloco do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), o Brasil é o único que aceita as coisas, que “abana o rabo” para essas questões. A Rússia não está nem aí, a China vai assinar por aparência. No Brasil, a maior parte das nossas emissões vem da queimadas, que significa a destruição das florestas. Tomara que nessa conferência saia alguma coisa boa para reduzir a destruição das florestas.

UOL: Mas a redução de emissões não traria nenhum benefício à humanidade?

Molion: A mídia coloca o CO2 como vilão, como um poluente, e não é. Ele é o gás da vida. Está provado que quando você dobra o CO2, a produção das plantas aumenta. Eu concordo que combustíveis fósseis sejam poluentes. Mas não por conta do CO2, e sim por causa dos outros constituintes, como o enxofre, por exemplo. Quando liberado, ele se combina com a umidade do ar e se transforma em gotícula de ácido sulfúrico e as pessoas inalam isso. Aí vêm os problemas pulmonares.

UOL: Se não há mecanismos capazes de medir a temperatura média da Terra, como o senhor prova que a temperatura está baixando?

Molion: A gente vê o resfriamento com invernos mais frios, geadas mais fortes, tardias e antecipadas. Veja o que aconteceu este ano no Canadá. Eles plantaram em abril, como sempre, e em 10 de junho houve uma geada severa que matou tudo e eles tiveram que replantar. Mas era fim da primavera, inicio de verão, e deveria ser quente. O Brasil sofre a mesma coisa. Em 1947, última vez que passamos por uma situação dessas, a frequência de geadas foi tão grande que acabou com a plantação de café no Paraná.

UOL: E quanto ao derretimento das geleiras?

Molion: Essa afirmação é fantasiosa. Na realidade, o que derrete é o gelo flutuante. E ele não aumenta o nível do mar.

UOL: Mas o mar não está avançando?

Molion: Não está. Há uma foto feita por desbravadores da Austrália em 1841 de uma marca onde estava o nível do mar, e hoje ela está no mesmo nível. Existem os lugares onde o mar avança e outros onde ele retrocede, mas não tem relação com a temperatura global.

UOL: O senhor viu algum avanço com o Protoclo de Kyoto?

Molion: Nenhum. Entre 2002 e 2008, se propunham a reduzir em 5,2% as emissões e até agora as emissões continuam aumentando. Na Europa não houve redução nenhuma. Virou discursos de políticos que querem ser amigos do ambiente e ao mesmo tempo fazer crer que países subdesenvolvidos ou emergentes vão contribuir com um aquecimento. Considero como uma atitude neocolonialista.

UOL: O que a convenção de Copenhague poderia discutir de útil para o meio ambiente?

Molion: Certamente não seriam as emissões. Carbono não controla o clima. O que poderia ser discutido seria: melhorar as condições de prever os eventos, como grandes tempestades, furacões, secas; e buscar produzir adaptações do ser humano a isso, como produções de plantas que se adaptassem ao sertão nordestino, como menor necessidade de água. E com isso, reduzir as desigualdades sociais do mundo.

UOL: O senhor se sente uma voz solitária nesse discurso contra o aquecimento global?

Molion: Aqui no Brasil há algumas, e é crescente o número de pessoas contra o aquecimento global. O que posso dizer é que sou pioneiro. Um problema é que quem não é a favor do aquecimento global sofre retaliações, têm seus projetos reprovados e seus artigos não são aceitos para publicação. E eles [governos] estão prejudicando a Nação, a sociedade, e não a minha pessoa.

fonte: UOl


Deixe o seu comentário

The Great Global Warming Swindle

This 2007 documentary blows the whistle on what may be the biggest swindle in modern history. Proponents of man-made global warming (led by Al Gore) warn that climate change is the greatest threat ever to mankind, and if we do not change our ways and reduce CO2 emissions, polar ice caps will melt, coastal areas will flood and hurricanes like Katrina will become common.

With nearly Gestapo like tactics, we are commanded not to question the edicts of the IPCC – Intergovernmental Panel on Climate Change. There is absolutely no room for doubt because there is a “scientific consensus.” Anyone who questions the data or conclusion is an enemy of the state and humanity.

This film interviews some of the world’s leading scientists, climatologists and former environmentalists, who challenge and contradict these claims.

By Martin Durken WAG TV 2007
NiceneCouncil.com


Deixe o seu comentário

64 pessoas morreram no Japão depois de terem sido vacinados contra gripe dos porcos.

Um total de 64 pessoas  morreram no Japão até ao mês de dezembro, entre  8o pessoas  após terem recebido o “tiro” da vacina dos suínos, de acordo com um relatório no jornal Mainichi. Um menino  morreu imediatamente depois de receber a vacina. Um outro homem foi encontrado inoperante na sua casa  quatro dias depois de ter recebido a vacina  dos suínos. Queixou-se do  estômago e vomitou  e morreu mais tarde em repouso junto dos seus familiares. O médico  indicou que sua morte não estêve ligada com a vacina H1N1  e que o efeito é  lateral , era somente um mal de estômago.

Tem havido muitos relatórios das mortes relacionadas a Tamiflu no Japão, incluindo  jovens que caemmortos nos seus  apartamentos após terem tomado Tamiflu, apresentando acções violentas , irracionais e alucinações.


1 Comentário

Quem financia a Greenpeace?

Greenpeace financiado pela elite mafiosa eugenista corporativa

Créditos de: A Tribuna

Pesquisando algo mais sobre a conspiração climática, o ”Climategate” encontrei essa interessante informação que o mínimo nos faz pensar sobre o que é realmente nobre e o que é obscuro em nossa ilusória realidade ditada pelas mídias corporativas mundiais. A lista abaixo contém os nomes dos patrocinadores do movimento ambiental Greenpeace.
A presença de doadores como a familia Rockefeller entre os nomes da lista nos faz pensar o que realmente tem de sério e correto nessa ONG.

Segue abaixo a lista:

Funding From Foundations. Corporations Total Donated

Turner Foundation $1,390,000 [1996 – 2001]
Rockefeller Brothers Fund $1,080,000 [1997 – 2005]
John D. & Catherine T. MacArthur Foundation $841,365 [1997 – 2002]
V. Kann Rasmussen Foundation $456,000 [2002 – 2003]
David & Lucile Packard Foundation $450,000 [2000 – 2000]
Blue Moon Fund $370,000 [1998 – 2002]
Trust for Mutual Understanding $316,000 [1995 – 2004]
Marisla Foundation $250,000 [2001 – 2004]
Charles Stewart Mott Foundation $249,000 [1999 – 2002]
Wallace Global Fund $245,000 [1999 – 2002]
Wilburforce Foundation $226,900 [2000 – 2005]
Scherman Foundation $200,000 [2001 – 2005]
Lannan Foundation $200,000 [1995 – 1996]
Joyce Foundation $200,000 [1993 – 1997]
Nathan Cummings Foundation $152,000 [1990 – 2003]
Columbia Foundation $150,000 [2000 – 2001]
Rex Foundation $116,796 [1984 – 1995]
Firedoll Foundation $115,000 [2000 – 2005]
Panaphil Foundation $115,000 [1998 – 2005]
Rockefeller Family Fund $115,000 [2002 – 2005]
Winslow Foundation $115,000 [2000 – 2006]
Ploughshares Foundation $104,000 [1998 – 2005]
Brainerd Foundation $100,000 [2000 – 2001]
Harold K. Hochschild Foundation $100,000 [1995 – 2001]
Westwind Foundation $87,250 [2001 – 2003]
Capital Group Companies Charitable Foundation $86,000 [1999 – 2006]
John Merck Fund $80,000 [2000 – 2002]
Catharine Hawkins Foundation $77,000 [2000 – 2006]
Holborn Foundation $75,000 [1999 – 2006]
Public Welfare Foundation $75,000 [1994 – 1994]
Clarence E. Heller Charitable Foundation $75,000 [2000 – 2000]
Compton Foundation $72,500 [2000 – 2004]
Pond Foundation $72,000 [2000 – 2002]
Prentice Foundation $69,500 [2000 – 2005]
CGMK Foundation $65,000 [2001 – 2006]
Lynn R. & Karl E. Prickett Fund $64,832 [1999 – 2004]
L.C. & Margaret Walker Foundation $63,846 [2001 – 2004]
Brownington Foundation $62,000 [1999 – 2004]
Beldon Fund $60,000 [1995 – 2000]
Makray Family Foundation $59,000 [2000 – 2006]
New York Community Trust $55,950 [1997 – 2001]
Ruth Covo Family Foundation $53,000 [1998 – 2005]
Mertz Gilmore Foundation $50,000 [1998 – 1998]
Nightingale Code Foundation $44,832 [2000 – 2000]
Monterey Fund $41,400 [1998 – 2005]
Bauman Family Foundation $40,000 [2003 – 2003]
David L. Klein, Jr. Foundation $40,000 [1999 – 2000]
Butler Family Fund $40,000 [2006 – 2006]
Adam Richter Charitable Trust $36,000 [1998 – 2004]
Benjamin J. Rosenthal Foundation $35,000 [1998 – 2004]
Fidelity Charitable Gift Fund $35,000 [2004 – 2004]
Messengers of Healing Winds Foundation $32,500 [1998 – 2004]
California Community Foundation $31,690 [2000 – 2005]
Max & Anna Levinson Foundation $31,000 [2000 – 2006]

A lista pode ser encontrada nesse link: http://www.alerta.inf.br/Geral/1486.html

In Fim dos Tempos


Deixe o seu comentário

Lord Monckton: Global Warming big scientific fad

The United Nations Climate change conference has opened in the Danish capital Copenhagen. RT’s Laura Emmet has talked to one man who’ll be there – who’s also one of the most outspoken critics of global warming theory.


Deixe o seu comentário

Comprar e vender direitos para poluir o ambiente tornou-se banal


07.12.2009
Lurdes Ferreira

Um parque eólico na China pode estar ligado às metas de emissões de dióxido de carbono em Portugal? Sim. O sistema internacional do comércio de carbono, impulsionado pelo Protocolo de Quioto e que é parte fundamental das contas para a Cimeira de Copenhaga, tem tanto de global como de complexo, sobretudo em termos de regulação.

O organismo das Nações Unidas responsável pela gestão dos créditos de carbono acaba de suspender, à beira do arranque da conferência, a aprovação de novos parques eólicos para a China, financiados com o dinheiro dos países ricos, que procuram compensar as suas emissões de CO2, através do mecanismo de desenvolvimento limpo, um instrumento previsto no Protocolo de Quioto para investimentos nos países em desenvolvimento.

Os chineses têm sido os grandes beneficiários deste instrumento, com investimentos que se estimam superiores a mil milhões de dólares. Quanto a Portugal, subscreveu em 2007, através do Fundo Português de Carbono, uma participação de 15 milhões de dólares no Asia Pacific Carbon Fund, do Banco Asiático de Desenvolvimento, vocacionado para este tipo de projectos.

A decisão ora tomada pelas Nações Unidas surge num oportuno momento de pressão negocial. As autoridades de Pequim são acusadas de reduzirem intencionalmente os subsídios estatais, de modo a que estes projectos sejam financiados pela comunidade internacional.

É devido a casos como este que não se calam as vozes dos que pensam que o problema climático se transformou num negócio de compra e venda de direitos de emissões. James Hansen, o cientista a quem se atribui o mérito de ter posto o mundo preocupado com as alterações climáticas, criticava há alguns dis o modelo de direitos de poluir praticado nos últimos anos. “Temos os países desenvolvidos que querem continuar a manter mais ou menos o seu negócio e os países em desenvolvimento que querem dinheiro, conseguindo-o através das compensações [vendidas nos mercados de carbono]“, dizia este especialista, que gostaria de ver taxas de carbono sobre o consumo de combustível no lugar de um mercado de licenças.

Transacções duplicam

Até que ponto o mercado ajuda a reduzir as emissões ou serve apenas para gerar e fazer girar dinheiro? Ricardo Moita, presidente executivo da Ecoprogresso, a consultora portuguesa especializada em alterações climáticas e gestão de carbono, está mais próximo do actual modelo. “É uma questão de racionalidade financeira. Não há uma redução directa das emissões, mas, se a gestão do processo for bem feita, baixamos o risco e, ao baixá-lo, libertamos mais dinheiro para a economia, que pode ser convertido em investimento em tecnologias limpas.”

O último relatório anual do Banco Mundial sobre o mercado de carbono indica que este transaccionou 86 mil milhões de euros em 2008, para um total de 4800 milhões de toneladas de CO2, o que equivale a cerca de 150 vezes o tecto anual de emissões previstas entre 2008 e 2012 para o conjunto das empresas portuguesas integradas no Comércio Europeu de Licenças de Emissões (CELE). Foi praticamente o dobro de um ano antes, tanto em valor como em volume.

Neste bolo cabem os mercados regionais de licenças (UE, EUA e Austrália), com domínio evidente do europeu, que pesa mais de 72 por cento do total. Também cabem os negócios feitos ao abrigo dos instrumentos de mercado de Quioto visando os países em desenvolvimento e de transição para a economia de mercado (Leste europeu) e cabe ainda uma fatia residual do mercado voluntário de empresas e particulares.

Apesar desta expansão global, o relatório sublinha a existência de problemas que já não são novos, a começar pela dependência do mercado em relação ao factor (risco) político, que se tem traduzido numa volatilidade dos preços, sobretudo nos projectos de compensação com os países em desenvolvimento. Os analistas não duvidam de que a incerteza quanto à política para o pós-2012 tem sido negativa para a evolução dos preços. Seguem-se as dificuldades regulatórias no circuito administrativo, com atrasos no registo, aprovação e verificação de projectos, o que resultou em quebras substanciais entre 30 por cento em volume a 50 por cento em valor. Ainda na fase inicial, foi a falta de dados fiáveis que levou ao colapso dos preços, em 2006, quando o mercado se deparou com licenças em excesso.

Ricardo Moita admite que o mercado “tem muitas volatilidades” típicas dos mercados de matérias-primas, como o petróleo e o gás natural e no qual o carbono se inclui, mas espera que tenda para uma maior profissionalização, responsabilização e regulação no futuro. O caminho tem sido de correcção e aperfeiçoamento nos últimos anos, defende, e a entrada gradual do sistema de leilões, em detrimento das licenças gratuitas, deverá ser um factor de eficiência, uma expectativa que é partilhada por muitos especialistas.


Deixe o seu comentário

URGENTE: DIGA AO NOSSO MINISTRO O QUE OS PORTUGUESES QUEREM!

Exmo Sr Ministro do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional, Eng Francisco Nunes Correia,

Na União Europeia (UE) há decisões cruciais sobre o cultivo de plantas transgénicas (GM) que estão a ser tomadas até ao Verão. Estas decisões trazem implicações profundas para a nossa alimentação, saúde e ambiente.
A Comissão Europeia propôs que a Áustria, França, Grécia e Hungria fossem obrigadas a cancelar as moratórias que têm em vigor contra o cultivo do milho MON 810 da Monsanto, a única variedade GM autorizada até agora para cultivo em toda a UE.

A votação relativa à Àustria e à Hungria já teve lugar a 2 de Março de 2009, e a proposta da Comissão foi sonoramente rejeitada. Porque o Sr Ministro soube ouvir a vontade dos portugueses e também votou contra a Comissão e a favor do direito dos Estados Membros a proibir os transgénicos, merece sinceros parabéns. Espera-se a mesma atitude firme aquando da votação sobre a França e a Grécia.

A Comissão Europeia também pretende a aprovação do cultivo de mais duas variedades de milho transgénico (o Bt11 da Syngenta e o 1507 da Pioneer). Isto seria a primeira aprovação de transgénicos para cultivo na UE desde 1998.

No entanto, e considerando que,há cada vez mais provas científicas que demonstram o carácter instável e as consequências negativas inesperadas dos transgénicos para a saúde e o ambiente;

  • as variedades Bt11 e 1507 que estão a votação são altamente controversas – existe demasiada ignorância e incerteza científica relativamente à sua real segurança para a saúde e o ambiente mas, por outro lado, sabe-se que produzem uma toxina Bt com impacto directo em organismos não-alvo (como certos insectos benéficos) e ainda que têm resistência a um herbicida que vai em breve ser retirado do mercado, de acordo com regras da própria UE;
  • a experiência já acumulada e os casos concretos já registados mostram que o cultivo de transgénicos põe em causa a agricultura convencional e biológica e – em Portugal em particular – a legislação em vigor efectivamente conduz a que o poluidor nunca pague pela poluição causada, nem reponha a situação pré-poluição;
  • a posição dos europeus em geral – e dos portugueses em particular – relativamente aos transgénicos é esmagadoramente céptica, ainda mais quando se verifica que o anunciado “direito à escolha” não passa de uma miragem, quer para consumidores quer para agricultores;
  • em Dezembro de 2007 todos os 27 Estados Membros unanimemente exigiram uma revisão geral do actual sistema de aprovações, nomeadamente no que toca à avaliação de risco (que neste momento atravessa grande crise de credibilidade) e à necessidade de considerar as implicações sócio-económicas e as características agro-ecológicas específicas de cada região;
  • as actuais propostas da Comissão Europeia para aprovar mais duas variedades para cultivo e impedir os Estados Membros de suspender as autorizações nos seus territórios se colocam claramente a contra corrente desse mandato político e democrático;

Venho por este meio pedir com o maior empenho que vote resolutamente contra as propostas da Comissão Europeia. Solicito também que o Sr Ministro anuncie publicamente e desde já a sua posição sobre estas votações decisivas.

Respeitosamente,

Petição contra os OGM – Transgénicos , aqui.


1 Comentário

A CIA está a segui-lo no Facebook?

A Casa Barnca quer contratar um arquivista especializado em redes sociais

Fotogaleria

A Casa Barnca quer contratar um arquivista especializado em redes sociais

// <![CDATA[// // <![CDATA[//

// <![CDATA[//

O governo dos Estados Unidos pode estar a violar a privacidade das pessoas inscritas em redes sociais, como o Facebook e ao Twitter. A acusação é da Electronic Frontier Foundation (EFF), uma organização sem fins lucrativos fundada com o objectivo de defender as liberdades dos indivíduos na era digital.

A EFF já abriu um processo contra o Departamento de Defesa, a CIA, o Departamento de Segurança Interna, o Departamento de Justiça, o Departamento do Tesouro e o gabinete do director dos serviços de Informação.

O objectivo é obter “informação relativa à utilização do governo de sites de redes sociais na investigação e recolha de dados objectivos”.

A organização quer utilizar a informação “para ajudar a informar o Congresso e o público sobre o efeito desses abusos sobre os direitos dos cidadãos à privacidade”.

A decisão de mover o processo foi tomada depois de os pedidos iniciais de informação e documentos terem sido recusados.

Um dos casos citados na denúncia é o de um homem que viu a sua casa revistada pelo FBI depois de ter postado no Twitter os movimentos da polícia durante uma cimeira G-20.

Anteriormente, a Casa Branca já tinha admituido que procurava contratar um arquivista especializado em redes sociais e o FBI constituiu uma firma especialista em monitorizar actividades das redes sociais.


Deixe o seu comentário

Departamento de Agricultura dos Estados Unidos classifica PETA como ameaça terrorista

Por Raquel Soldera (da Redação)

Segundo vários comunicados da imprensa publicados nesta quinta-feira (3) em diferentes meios de comunicação dos Estados Unidos, parece que as campanhas da PETA (People for the Ethical Treatment of Animals) estão incomodando os agricultores.

PETA em manifestação. (Imagem: Yui Mok/PA Wire/AnimaNaturalis)

PETA em manifestação. (Imagem: Yui Mok/PA Wire/AnimaNaturalis)

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos decidiu incluir a organização em sua lista de grupos terroristas, e enviou aos agricultores uma circular para que informem ao governo americano caso sofram algum tipo de ataque ou ameaça.

A medida parece exorbitante, já que as manifestações da PETA são sempre pacíficas, apesar de serem chamativas na maior parte das vezes. Mas sem nenhuma violência.

Segundo anunciam várias páginas da internet, os agricultores podem relatar à agência do governo se tiveram algum tipo de experiência desagradável com vários grupos de defesa dos animais. Colocam a PETA na mesma categoria de organizações como a Frente de Libertação da Terra (ELF) e a Frente de Libertação Animal (ALF), grupos que são perseguidos pelo FBI por suas atividades.

O governo americano diz que a maior ameaça de terrorismo dentro dos Estados Unidos vem de grupos ecologistas. No entanto, a PETA baseia suas campanhas na não violência, precisamente para criticar a violência contra os animais.

Jonathan Torralba, diretor da AnimaNaturalis, associação de defesa aos animais espanhola, comenta sobre o ocorrido:

“O objetivo neste caso é claro. Transformam uma palavra que está na moda e provoca medo, como o terrorismo, para proteger os interesses comerciais de empresas que lucram com a exploração dos animais. Essa medida não tem nada a ver com a segurança pública e a preocupação com o bem-estar da sociedade. Ao contrário, busca proteger os benefícios econômicos de poucos às custas de manter o resto da população desinformada e passiva. É uma medida totalitarista e repressora que somente busca silenciar ações.

A PETA, assim como as demais ONGs, é uma associação pacífica, informativa e financiada por voluntários. Equipará-la a pessoas que colocam bombas demonstra quão desesperados se encontram certos lobbies agora que a mensagem de respeito aos animais e a verdade do seu sofrimento em muitos âmbitos está ecoando na sociedade. Esta realidade está nas ruas, e já não podem mais escondê-la”.

Com informações de AnimaNaturalis

In ANDA


Deixe o seu comentário

Entrevista do “pai” dos alertas para as alterações climáticas ao “The Guardian” J. Hansen: “É preferível que a cimeira de Copenhaga falhe”

Considera ser o desafio moral do século: a luta contra as alterações climáticas. James Hansen, um dos mais eminentes estudiosos do clima, o homem que alertou para os perigos das alterações climáticas muitos anos antes de Al Gore abrir os olhos ao mundo com o seu documentário “Uma Verdade Inconveniente”, falou ao “The Guardian” nas vésperas da cimeira de Copenhaga. E o que tem a dizer não é agradável. Hansen diz que é preferível que a cimeira redunde em fracasso, dado que o ponto de partida é profundamente defeituoso. Mais valia começar tudo do zero, argumenta.

“Preferia que não acontecesse [um acordo em Copenhaga], se as pessoas aceitarem a cimeira como sendo a ‘via certa’, em vez de a ‘via do desastre’”, indicou Hansen, que dirige o Instituto Goddard para os Estudos Espaciais, da NASA, em Nova Iorque.

O cientista que convenceu o mundo a prestar atenção ao perigo crescente do aquecimento global é muito claro quando diz ao “The Guardian” que seria melhor para o Planeta e para as futuras gerações que a cimeira de Copenhaga acabasse num desastre. James Hansen considera que qualquer acordo que venha a emergir das negociações será tão profundamente defeituoso que mais valia começar tudo de novo a partir do zero.

“Toda a abordagem é tão profundamente errada que é melhor reavaliar a situação. Se isto for uma coisa ao estilo Quioto, então as pessoas irão demorar anos a tentar determinar o que é que aquilo quer dizer exactamente”, criticou Hansen.

Hansen começou a apresentar-se diante do Congresso americano em 1989, alertando para as consequências do aquecimento global, e fez mais do que qualquer outro cientista na educação dos políticos norte-americanos acerca das mudanças climáticas e das suas consequências.

Apesar de se considerar um relutante orador, diz que foi forçado a entrar na esfera pública depois de as catástrofes naturais se terem começado a multiplicar.

Esta entrevista ao “The Guardian” acontece numa altura em que se registaram alguns progressos na cimeira de Copenhaga, com a Índia a anunciar um limite à emissão de CO2 para a atmosfera. Os quatro maiores produtores de gases com efeito de estufa – EUA, China, UE e Índia – já se comprometeram com limites para as emissões, mas ainda há muito a fazer e muitos obstáculos a serem ultrapassados.

Hansen opõe-se veementemente aos esquemas de compra e venda de emissões de CO2 para a atmosfera entre nações. Compara este sistema às indulgências vendidas pelo Clero na Idade Média, quando os fiéis compravam a redenção das suas almas dando dinheiro aos padres. Neste caso os países ricos dão dinheiro aos países pobres em troca de emissões de carbono.

Hansen é igualmente muito crítico das actuações de Barack Obama e de Al Gore, afirmando que estes líderes mundiais falharam aquele que é considerado hoje o desafio moral da nossa era. Porque o problema do corte das emissões de CO2 para a atmosfera não se pode ajustar aos interesses políticos e económicos internacionais. “Neste tipo de assuntos não pode haver compromissos”, avalia. “Não temos um líder que seja capaz de entender o que se passa e que diga o que realmente importa dizer. Em vez disso, estamos todos a tentar continuar com os negócios de sempre”.

Apesar de tudo, Hansen permanece optimista: “Podemos já nos ter comprometido com um aumento do nível do mar em pelo menos um metro – ou mais – mas isso não quer dizer que desistamos. Porque se desistirmos, em vez de um poderemos ter de lidar com dezenas de metros. Por isso acho contraproducente as pessoas dizerem que atingimos um ponto de não retorno e que é demasiado tarde. Nesse caso, em que é que estamos a pensar: vamos abandonar o Planeta? Devemos minimizar os estragos”, vaticinou.