Rússia pode abandonar a OMS se provar a corrupção entre a Indústria Farmacêutica e a OMS

O deputado da Duma Russa, Igor Barinov, apelou para a Rússia se retirar da OMS se uma investigação sobre o alegado acordo entre a OMS e as empresas farmacêuticas sobre o escândalo da gripe suína provar ser exacto, de acordo com relatos sa imprensa europeia.

Igor Barinov, Membro da Comissão do Parlamento do Estado (Duma) nas acusações de corrupção, disse que era preciso haver uma investigação para apurar se os especialistas de aconselhamento  receberam dinheiro da indústria farmacêutica e se isso influenciou a OMS a declarar uma pandemia de nível 6 de emergência pela primeira vez em 40 anos, apesar do fato de que a gripe não ser letal, nem se espalhar rapidamente.

Jornalistas dinamarqueses que forneceram “informações” concluiram que a gripe pode ser o maior caso de corrupção da nossa era, após analisarem as ligações entre os especialistas da OMS e as empresas farmacêuticas.

A OMS recomendou a compra do controverso Tamilfu suíço Roche, a despeito de evidência que a droga causa efeitos colaterais graves.   O ministério ucraniano para a saúde comprarou grandes estoques em excessivo de Tamiflu.

Nós certamente devemos levar a cabo uma investigação minuciosa antes de tomar qualquer decisão “,declarou  Barinov na sexta-feira aos jornalistas.

“Se a informação for confirmada, vamos ter de colocar a questão de saber se faz sentido para a Rússia pertencer a OMS, e suspender a nossa participação . se necessário “.

Rússia gastou mais de 4 bilhões de rublos até agora com gripe suína.

Barinov sugeriu que o chefe de investigação da OMS, o representante russo na organização, o membro do comitê executivo da OMS, Vladimir Starodoubov.

“Ninguém põe em causa os serviços prestados no século 20 pela OMS na luta contra a malária, a sida, mas hoje deve-se perguntar se essa organização não é atingida  pelo vírus da corrupção, e até que ponto estas recomendações são fundadas, até que ponto podemos nós confiar  “, disse Barinov.

O director do Programa Nacional de Vigilância Sanitária do Instituto russo Guennadi Onichtchenko disse na reunião com o Procurador-Geral da Federação da Rússia para a legislação na área farmacêutica que a luta contra a gripe suína no mundo tem as características de uma parcela.

Há também evidências de que foi fundamental na difusão da Aids.

Google Translate(28 November 2009)

http://translate.google.com/translate?hl=en&langpair=en|pt&u=http://www.theflucase.com/index.php?option=com_content&view=article&id=2100:russia-could-withdraw-from-who-over-swine-flu-corruption&catid=41:highlighted-news&Itemid=105&lang=en

http://snipurl.com/tglv5

Anúncios

Moscow fears Georgian provocations as Russian forces withdraw. Mikhail o Mentiroso

Russian military forces are returning to their starting positions in the Georgian-South Ossetian conflict zone – despite Russian military concerns over provocations from the Georgian side. The withdrawal is part of a six-point plan drawn-up by Russia and France and follows a weekend conversation between President Dmitry Medvedev and French leader Nicolas Sarkozy.

Meanwhile, the Deputy Chief of the Russian General Staff, Anatoly Nogovitsyn, has said Georgian units are attempting to increase their combat readiness and have intensified ‘subversive’ operations against Russian servicemen.

In Russia Today

GORI, Georgia – Russian tanks and troops roamed freely around Gori on Monday and made forays toward the Georgian capital, keeping control of the highway that slices through Georgia’s midsection despite Russia’s announcement that a withdrawal had begun.

The movements of Russian forces around the key city of Gori raised questions about whether Russia was fulfilling its side of the cease-fire intended to end the short but intense fighting that reignited Cold War tensions.

The deputy chief of the Russian general staff, Col.-Gen. Anatoly Nogovitsyn, told a briefing in that “today, according to the peace plan, the withdrawal of Russian peacekeepers and reinforcements has begun” and said forces were leaving Gori.

But Russian military vehicles roared along roads in and around Gori on Monday and Russian troops were restricting access to the city, where shops were shut and people milled around on the central square with its statue of the Soviet dictator and native son Josef Stalin.

“The city is a cold place now. People are fearful,” said Nona Khizanishvili, 44, who fled Gori a week ago for an outlying village and returned Monday, trying to reach her son in Tbilisi.

Yahoo! News

Krajina, Not Kosovo

Ossetia as botched Balkans replay

by Nebojsa Malic

Six days ago, as most of the world was watching the opening ceremonies of the Olympics in Beijing, Georgian troops attacked the self-proclaimed Republic of South Ossetia. Russia quickly intervened, ousting Georgian forces from the region and attacking Georgian military bases. Despite the training and weapons supplied by the U.S. and Israel, the Georgian military quickly collapsed. President Mikheil Saakashvili, installed in power in 2003 by a CIA-sponsored “Rose Revolution,” pleaded for help from his patrons, painting himself and his country as victims of “Russian aggression.” Aside from empty words of encouragement and hypocritical condemnation of Russian “excessive force,” the Empire had no help to give.

Nota: Independentemente do facto da Rússia ainda não ter totalmente desocupado a Geórgia, gostaria de perguntar – e sem querer fazer comparações- a quem já não se lembra ou se esqueceu, quando é que as forças dos USA, DA União Europeia incluindo Portugal e de outros Países desocupam o Afeganistão e o IRAQUE?!

Não acham que já era tempo? Ou não conseguiram os objectivos a que se propunham?  Encontraram as famosas armas de destruição massiva? Ou o objectivo principal era controlar e obter para a Oligarquia os campos petrolíferos, e a partir do Iraque atacar o Irão?

Nova Ordem Mundial: Um Governo Mundial, Um estado Mundial, Uma única Lei, Mundial, um único exército. e o restante da população mundial: Escravos.

A Partida dos russos: Forças da Geórgia retomam controlo de Gori

Forças da Geórgia retomaram o controlo da cidade de Gori, centro do país, perto da república separatista da Ossétia do Sul, depois da partida das tropas russas, anunciou hoje o ministério do Interior georgiano

Russian army hand Gori to Georgian police

Um jornalista da agência France Presse (AFP), que entrou hoje em Gori numa coluna de cerca de 20 veículos da polícia que transportavam elementos do exército, afirma ter visto um blindado e soldados russos num posto de controlo, à entrada da cidade.

«Os russos começaram a retirar as suas tropas. A polícia e as forças especiais georgianas estão a retomar o controlo» de Gori, afirmou à AFP o porta-voz do ministério do Interior, Chota Outiachvili.

Comentário:

Este vídeo documenta quem verdadeiramente seduziu o Presidente da Geórgia a começar o ataque. Ouçam bem.

Por outro lado, outro vídeo, onde o Americano Joe Mestas, acusa as tropas da Geórgia de começarem o ataque, de bombardearem caves onde se encontravam as pessoas escondidas, do corte de água ter sido feito um mês antes do ataque pela Geórgia e da ajuda Americana neste Ataque. Compara O presidente da Geórgia a um ditador e se Bush o está a ajudar é porque  é igual a Saddam. Classifica-os como assassinos e como criminosos de Guerra pelo genocídio na Ossétia.

Entretanto as tropas Russas vão lentamente retirando dos locais ocupados e passam os pontos de segurança à polícia Georgiana, pelo que a saída das tropas Russas irá demorar mais algum tempo

LEYA Público

Atenção para este artigo, muito interessante, En el país de los ciegos…

Entretanto parece que foram encontrados os planos Georgianos para a invasão da Abecássia e da Ossétia do Sul.

null

Russian troops have discovered what they believe are plans for an invasion of Abkhazia in a captured Georgian command post vehicle. On Wednesday, Abkhazian armed forces succeeded in pushing Georgian troops out of the Upper Kodori Gorge in anticipation of such an attack.

For the past few days the spotlight has been on Georgia’s other breakaway republic, South Ossetia.

Vodpod videos no longer available.


Dedicado a Mikhail Saakashvili…verte o teu sangue

Le déserteur
Paroles: Boris Vian. Musique: Boris Vian & Harold Berg 1954


Monsieur le Président/Je vous fais une lettre/Que vous lirez peut-être/Si vous avez le temps/Je viens de recevoir/Mes papiers militaires/Pour partir à la guerre/Avant mercredi soir/Monsieur le Président/Je ne veux pas la faire/Je ne suis pas sur terre/Pour tuer des pauvres gens/C’est pas pour vous fâcher/Il faut que je vous dise/Ma décision est prise/Je m’en vais déserter

Depuis que je suis né/J’ai vu mourir mon père/J’ai vu partir mes frères/Et pleurer mes enfants/Ma mère a tant souffert/Elle est dedans sa tombe/Et se moque des bombes/Et se moque des vers/Quand j’étais prisonnier/On m’a volé ma femme/On m’a volé mon âme/Et tout mon cher passé/Demain de bon matin/Je fermerai ma porte/Au nez des années mortes/J’irai sur les chemins

Je mendierai ma vie/Sur les routes de France/De Bretagne en Provence/Et je dirai aux gens:/Refusez d’obéir/Refusez de la faire/N’allez pas à la guerre/Refusez de partir/

S’il faut donner son sang/Allez donner le vôtre/Vous êtes bon apôtre/Monsieur le Président/Si vous me poursuivez/Prévenez vos gendarmes/Que je n’aurai pas d’armes/Et qu’ils pourront tirer

Tradução:

Boris Vian (1920-1959)

Boris Vian (1920-1959)

Ó Senhor Presidente
Esta carta eu vos mando
Que o senhor lerá quando
Tiver tempo excedente
Eu acabo de abrir
Minha convocação
Ir à guerra em missão
Já na quarta partir
Ó Senhor Presidente
Eu não irei cumprir
Eu não quero servir
A matar pobre gente
Não vos quero irritar
Não vos falo por mal
É palavra final
Eu irei desertar

Desde meu nascimento
Já vi meu pai morrer
Meu irmão se perder
Meu filho em sofrimento
Mamãe tanto sofreu
E hoje está em sua tumba
Gargalhando da bomba
Do verme que a comeu
Ao ser aprisionado
Minha mulher levaram
Minha alma roubaram
E meu caro passado
Acordando amanhã
Eu vou fechar as portas
Para essa vida morta
E ganhar a manhã

E então mendigarei
Nas estradas da França
Da Bretanha à Provença
E às pessoas direi
Para não vos seguir
E pôr tudo por terra
Dizer não a esta guerra
Recusar-se a partir
Quereis sangue de gente
Seja o vosso sangrado
Que sois tão devotado
Ó Senhor Presidente
Se fores me buscar
Previna seus soldados
Que jamais ando armado
E que podem atirar.

(tradução do francês de Robertson Frizero Barros)