A metáfora e o tango – BAPTISTA-BASTOS

Tango

Não dei a mão ao Governo: dei a mão ao País”, disse Pedro Passos Coelho. É uma metáfora sorridente, destinada a justificar o conúbio deste PSD com o PS que por aí penosamente se move. A metáfora é uma forma de encantamento, e a dissimulação do que se não deseja abertamente dizer. Ao pretender salvar a pátria, deprimida e confusa, com um tropo linguístico, Passos coloca Sócrates num lugar errante e subalterno. Por seu turno, este, em Espanha, enche aquele de elogios, utilizando, também, uma metáfora, a do tango, para afirmar, ante uma plateia estupefacta, ter, agora, com quem dançar. Uma cena deprimente.

Sócrates já esvaziara de direcção e de sentido a sua política e a sua presunção. Mentiras, omissões, deambulações absurdas, uma certa pusilanimidade decisória tinham-lhe apagado o estilo e embaciado o retrato. Falou-se em arrogância o que, de facto, era falta de convicção, ausência de livros, ambiguidade ideológica. Está a descer rapidamente a rampa. Não sinto o mais escasso contentamento com dizer isto; pelo contrário.

Pedro Passos Coelho apercebeu-se da debilidade. E, igualmente, da oportunidade surgida das indecisões do adversário e do evidente mal-estar no PS. Até o cauteloso e matreiro Seguro, que sempre preferira expressar-se com frases evasivas e castos comentários, começou a protestar, no objectivo essencial de tomar lugar no proscénio. O PS anda numa deriva interminável e só agora o cândido moço desperta, com sobressalto. António José Seguro não passa, realmente, do rasto das coisas.

Quanto a Passos Coelho, ele sabe que não embarcou numa aventura perigosa. Se Sócrates cair, ele não se estatela porque desempenhou o bondoso papel de preferir a pátria ao partido. Acaso Sócrates sair vencedor destes imbróglios e surja aos olhos dos paisanos como a Fénix renascida, Passos Coelho desfrutará do lugar daquele que procedeu a grandes magnitudes e a decentíssimos comportamentos políticos.

José Sócrates talvez ainda se não tenha apercebido, ou apercebeu- -se e gosta da vaidade lisonjeada, de que está rodeado de sabujos, uma gente degradante, para quem o exercício de pensar é uma embaraçosa maçada. Basta assistir aos preopinantes que o defendem para aquilatarmos da natureza dos seus caracteres e da substância do que dizem. O caso da protelação do apoio a Manuel Alegre é uma pequena vingança de pequenos medíocres, sem aprumo nem grandeza, que chegam a espadeirar-se no insulto rasteiro.

O Governo é um descalabro, e o PS um partido enfermo pelo poder. Há uma corrosão acentuada na sociedade portuguesa. A impostura adquiriu carta de alforria: ninguém é culpado, ninguém é responsabilizado. Quem nos acode?

Anúncios

Alex Jones: A Mentira de Obama (The Obama Deception) 11

NO INFRINGEMENT OF COPYRIGHT IS INTENDED

obama-brainThe Obama Deception – A Mentira de Obama é o mais novo documentário do produtor Alex Jones onde destrói por completo o mito de que Barack Obama esteja trabalhando no melhor dos interesses do povo americano.

O fenómeno de Obama é uma mentira maquinada cuidadosamente para liderar a NOva Ordem Mundial. Obama foi apresentado como o salvador em uma tentativa de enganar o povo americano com o fim de aceitar a escravidão mundial.

Já não se trata de esquerda ou direita, de comunismo ou sistema de liberdades, do que realmente se trata até agora de forma encoberta é de um Governo Mundial.

Este documentário cobre: Para quem Obama trabalha, as mentiras que disse e sua verdadeira agenda. Se você quer saber dos factos e passar por cima de toda essa ladainha messiânica, este filme é para você.

http://www.prisionplanet.com
http://www.infowars.com

Publicado por deusmihifortis

Alex Jones: A Mentira de Obama (The Obama Deception) 5

A Mentira de Obama (The Obama Deception) 6

NO INFRINGEMENT OF COPYRIGHT IS INTENDED

The Obama Deception – A Mentira de Obama é o mais novo documentário do produtor Alex Jones onde destrói por completo o mito de que Barack Obama esteja trabalhando no melhor dos interesses do povo americano.

O fenómeno de Obama é uma mentira maquinada cuidadosamente para liderar a NOva Ordem Mundial. Obama foi apresentado como o salvador em uma tentativa de enganar o povo americano com o fim de aceitar a escravidão mundial.

Já não se trata de esquerda ou direita, de comunismo ou sistema de liberdades, do que realmente se trata até agora de forma encoberta é de um Governo Mundial.

Este documentário cobre: Para quem Obama trabalha, as mentiras que disse e sua verdadeira agenda. Se você quer saber dos factos e passar por cima de toda essa ladainha messiânica, este filme é para você.

http://www.prisionplanet.com
http://www.infowars.com

Publicado por deusmihifortis

Carlos A. Quintana:Niños índigo: un peligroso fraude

Los Niños Índigo, Niños de Luz o Niños de Gracia es una de las tantas ramificaciones de la corriente pseudocientífica ‘New Age’ que se presenta como una alternativa para vivir en un mundo mejor. Sin embargo, en torno a la filosofía de los Niños Índigo trasciende un peligroso mensaje mesiánico contra la medicina, promueve la existencia de seres extraterrestres y sostiene una nueva forma de racismo.

La idea de los ‘Niños Índigo’ fue inventada en 1982 por la parapsicóloga Nancy Ann Tappe, que se presenta como terapeuta o espiritualista. En su libro Entendiendo su vida a través del Color propuso una clasificación de las personas según el color del ‘aura’ (un concepto esotérico), una actualización ‘New Age’ del perverso e igualmente refutado sistema de razas humanas que tanto daño hizo a la Humanidad. Este fraude creció en importancia a partir de un libro Los Niños Índigo de Lee Carroll y su esposa Jan Tober que, en textos posteriores, hicieron mayor énfasis en que se comunican telepáticamente con una entidad extraterrestre que les enseña acerca de estos nuevos seres.

¿Qué es un Niño Índigo?
Las numerosas definiciones de Niños Índigo, además de ser diferentes entre sí, son subjetivas o están fundadas sobre caracteres esotéricos o sin referentes materiales en la realidad. Sólo Nacy Tappe se atrevió a plantear una definición clara: ella usó el color del aura. El problema de esta definición es que no se puede caracterizar a una entidad de la realidad, como sería una nueva clase o raza humana, con un concepto pseudocientífico como el aura.

Como ejemplo de las definiciones vagas y generales se puede citar la propuesta original de Carroll y Tober en Los Niños Índigo:

“1. Vienen al mundo con un sentimiento de realeza (y con frecuencia actúan de esa manera). 2. Tienen un sentimiento de ‘merecer estar aquí’ y se sorprenden cuando otros no comparten esta idea. 3. La propia valía no es un asunto de gran importancia. Con frecuencia ellos les dicen a los padres ‘quiénes son ellos’. 4. Tienen dificultad con la autoridad absoluta (autoridad sin explicación o alternativa). 5. Hay cosas que sencillamente no pueden hacer; por ejemplo, les cuesta mucho trabajo esperar en una fila.  6. Se frustran con los sistemas que se basan en la costumbre y que no requieren un pensamiento creativo. 7. Con frecuencia ven mejores maneras de hacer las cosas, tanto en la casa como en la escuela, lo cual los hace parecer inconformes con cualquier sistema. 8. Parecen antisociales a menos que estén con los de su propia clase. Si no hay otros con una conciencia similar alrededor de ellos, con frecuencia se vuelven introvertidos, sintiendo que ningún otro ser humano los entiende. La escuela les resulta con frecuencia extremadamente difícil para socializar. 9. Estos niños no responderán a la disciplina ‘de culpa’ (‘Espera a que llegue tu papá a casa y vea lo que has hecho’). 10. No les da pena dejar saber cuáles son sus necesidades.”

Otras definiciones, o enumeraciones de rasgos, de los Niños Índigo son de este estilo, y se reiteran en usar la idea de Carroll y Tober que dice:

“Un Niño Índigo es aquel que muestra una nueva e inusual serie de atributos psicológicos así como un patrón de comportamiento generalmente no documentado con anterioridad”.

Aunque estos autores presentan esto como si fuera una definición, en realidad no pasa de un anuncio: no aclaran expresamente cuáles son los ‘atributos psicológicos’ nuevos e inusuales, ni cual es el ‘patrón de comportamiento’ indocumentado. Con este tipo de definiciones cualquiera podrá hacer encajar a su hijo dentro de los Niños Índigo.

El biólogo mexicano Edgardo Sepúlveda buscó en bases de datos informatizadas de medicina (“PubMed”) que contienen información de todos los artículos publicados en las revistas más importantes del mundo desde hace 30 años. El resultado fue nulo: no existe un solo estudio sobre la existencia de Niños Índigo o de algún fenómeno similar que le pueda ser referido aunque sea por una aproximación grosera. Es decir los profesionales que todos los días tratan a decenas de niños desconocen una manifestación tan destacada como la que nos relatan Tappe, Carroll y Tober desde hace más de 20 años.

En síntesis: los Niños Índigo no existen como una categoría objetiva de la diversidad humana, no se los puede definir ni diferenciar inequívocamente de otras personas ya sea desde un aspecto cultural o biológico y en el ámbito científico especializado nunca se detectó esta supuesta nueva categoría humana.

Niños Índigo y Racismo
Con la diversificación de autores, libros, conferencias y páginas de internet las experiencias aumentaron en volumen y profundizaron esta fantasía, incluyendo sus aspectos más dañinos en el plano social. Por ejemplo, la autora venezolana Isabel Stelling en su artículo Una nueva raza esta emergiendo (Partes 1 a 4) abunda en afirmaciones como:

“Estos niños extraordinarios o súper-niños, llamados los Niños de la Vibración Cristal o los Niños del Milenio y que conforman una nueva raza en el planeta, fueron denominados Niños Índigo…”.
“… los Niños Índigo forman parte de una nueva raza que podríamos llamar ‘La Raza de los Superhombres’, seres superdotados y superinteligentes pero además revestidos con altos grados de espiritualidad, honestidad e integridad, características que traen impresas en su ADN…”.
“Todos estos niños son, aparentemente, producto de la mutación genética, y se determinó que la estructura de su ADN es diferente al resto de los seres humanos. Tienen 4 ácidos nucleicos combinados en grupos de tres a tres que producen 24 codones, 4 codones más que el hombre corriente.”

Esto último es otro absurdo ya que si su ADN es distinto al humano los Niños Índigo no serían humanos ni podrían nacer de seres humanos. Además, la autora desconoce lo básico de la estructura del ADN y del código genético ya que las combinaciones de los codones son 64 en lugar de 20, mientras que los ácidos nucleicos son dos y no cuatro.

Todos los autores que afirman que los Niños Índigo ‘son diferentes’ jamás presentaron una sola evidencia más allá de su anuncio, inclusive algunos pocos que citan “investigaciones en la Universidad de California” en informes que nunca aparecen.

¿Vienen del Espacio Exterior?
Isabel Stelling en Kryon y los Niños Índigo sintetiza la faceta extraterrestre de la historia:

“Gran parte de la información acerca de los Niños Índigo fue transmitida telepáticamente o canalizada por una entidad, nunca encarnada en la Tierra, que se llama Kryon.”

El colmo del absurdo, y que hace pensar si esto no se trata de una gran broma, se evidencia cuando Stelling, y otros, nos cuentan que todas las comunicaciones telepáticas comienzan diciendo “Yo Soy Kryon, del Servicio Magnético”. En Los Niños Índigo N.A. Tappe afirma: “Algunos ya han pasado por la tercera dimensión y hay otros, me parece, que vienen de otro planeta. Son los índigo interplanetarios, por eso los llamo interdimensionales.”

Niños Índigo y Salud
Es común leer que “su superioridad genética les confiere un sistema inmunológico más fuerte de modo que no se enfermarían nunca”. Sin embargo los pediatras no han detectado una disminución en las consultas médicas ni en las enfermedades de los niños, aun cuando en 1998 N. Tappe expresó que “El 90% de los niños de 10 años de edad son índigo”. Semejante cantidad de niños inmunes debería ser evidente.

La supuesta salud incorruptible de estos niños puede poner en riesgo a los niños con una patología bien conocida y largamente estudiada: Trastorno por Déficit de Atención con Hiperactividad (TDAH). La creencia que un niño es índigo puede traer aparejado dejar de lado el tratamiento médico de un desorden neurobiológico, lo que puede ocasionar consecuencias graves. Este es el factor por el cual muchos padres encuentran una excusa, hasta cierto punto comprensible, al negar que su hijo tenga un problema de salud que, para muchos, significa que tiene una ‘enfermedad mental’. Las patologías neurológicas suelen tener una alta carga emocional en la familia, lo que puede interferir con la capacidad de tomar decisiones correctas. Así, es preferible creer que nuestro hijo es un ser especial, ‘muy avanzado para su edad’ y ‘superior’ que aceptar que son parte del 5 al 10% que sufren de TDAH. Sin embargo, desde el año 1950 el TDAH tiene tratamientos con buenos resultados. Pero las revelaciones celestiales de Kryon y su oportuna publicación coinciden con una campaña en Estados Unidos contra el uso de medicamentos, promovida por terapeutas no médicos, angeólogos, naturistas ‘New Age’, parapsicólogos y otros mercaderes sin escrúpulos.

Las afirmaciones que involucran un supuesto diagnóstico del Niño Índigo como extraordinario tienen dos fallas principales
Falacia del pensamiento circular:
1- Los niños índigo existen y son extraordinarios.
2- Mi hijo es extraordinario porque tiene X, por lo tanto
3- Los niños índigo existen.

El segundo cuestionamiento es la propiedad de X, que cuenta con dos vertientes:

1- X es paranormal: telekinesis, clarividencia, sanación, hablar con los muertos, contactarse con extraterrestres, etc. Este valor de X suma dos aspectos que deben ser demostrados: que esas habilidades existan y que ese niño las tenga. Jamás se presenten pruebas objetivas de ninguna.
2- X es normal, pero poco frecuente.

En este caso se alegan cualidades como aprender más rápido de lo normal, leer con precocidad, presentar actitudes de adulto, en general ‘ser más inteligente’. Todas estas cualidades son reales pero llaman la atención porque se presentan tempranamente, los niños que las portan ‘están más adelantados’. Lo que pocos evalúan es que están más adelantados que ‘el promedio’ por lo tanto, aunque raros, son predecibles y, por ello, SON NORMALES en el contexto de una población, y no requieren de un tratamiento pseudocientífico ni una etiqueta ‘índigo’.

Debe quedar bien establecido que Niño Índigo NO ES SINÓNIMO de TDAH, ni de niños con capacidades extraordinarias (precoces o niños genios). Los Niños Índigo son una impostura, el TDAH es un trastorno neurológico y los niños ‘genios’ son parte de la diversidad normal de una población.

Niños Índigo y Educación
El ‘Proyecto Índigo Internacional’ se autodefine como “un Movimiento Internacional, sin fines de lucro, creado y orientado para brindar asistencia, información, formación docente y educativa a padres, maestros, psicólogos, pediatras, entre otros, de niños con Déficit Atencional y/o Hiperactividad. Conocidos internacionalmente, hoy, como Niños Índigo”.  Esta es la avanzada internacional que pretende penetrar en el sistema educativo ya que sus principales acciones son cursos y talleres para padres y docentes.

En estos ámbitos se advierte una estrategia transformada que consiste en dar una versión de los Niños Índigo adaptada al grado de ‘credulidad’ presumible en el público. Las referencias esotéricas o ‘New Age’ son más sutiles, no se recurre al libreto extraterrestre, pero se mantiene la premisa de la existencia de niños diferentes y de características superlativas. Esta adaptabilidad es alarmante, ya que se trata de una metodología para conquistar voluntades y demuestra que hay dos relatos: uno para convencidos, con todos los condimentos, y otro para público general. En el propio ‘Proyecto Índigo Internacional’ ya se vislumbra este engaño cuando se usan como sinónimos ‘Niño Índigo’ y ‘niños con Déficit de Atención con Hiperactividad’. Una corriente ‘New Age’ promociona el sistema educativo de Rudolf Steiner, líder de la secta esotérica ‘Antroposofía’, como el adecuado para los Niños Índigo.

ler APDA

Fonte: Las Tres y Un Cuarto

Zeitgeist Addendum (Legendado) 12/12

Publicado por lucask8nunes

Site Oficial do documentario:
http://www.zeitgeistmovie.com/

Site Oficial do Projeto Venus:
http://www.thevenusproject.com/

Site do Zeitgeist Moviment:
http://thezeitgeistmovement.com/

A Revolução é Agora

Zeitgeist Addendum (Legendado) 9-10/12


Publicado por lucask8nunes

Site Oficial do documentario:
http://www.zeitgeistmovie.com/

Site Oficial do Projeto Venus:
http://www.thevenusproject.com/

Site do Zeitgeist Moviment:
http://thezeitgeistmovement.com/

A Revolução é Agora

Crisis? What Crisis?


Crise? Qual crise?

A Crise

“O Mundo não está em “crise”. Somos nós, países industrializados ocidentais, na Europa e nos EUA, que estamos em “crise”, não é o mundo. Bem pelo contrário, o mundo está bem e recomenda-se.”
Publico José Pacheco Pereira

Para o Pacheco Pereira o Mundo está bem. Não sei o que pensará um habitante do Darfur desta afirmação. O petróleo não para de subir assim como os cereais, fonte básica da alimentação dos países pobres, morrem por dia de fome, falta de água, doenças, miséria milhões de pessoas, mas o mundo recomenda-se. Nós, ocidentais, os que fazem jantares de 24 pratos para discutir a fome no mundo, é que estamos em crise. Estamos em crise civilizacional, diz ele. Estamos em crise porque o Pacheco compara o que se passa por cá, com países como a China, Índia, Angola, países onde o crescimento económico é uma realidade e há gente a deixar de ser tão miserável como era. Devemos nós tomar esses países por modelo, esquecer que falamos de países sem leis laborais, com trabalho escravo, com trabalho infantil, muitos deles férreas ditaduras? Será que afinal o discurso, que tanto criticou, em que o Manuel Pinho oferecia aos chineses mão-de-obra barata em Portugal, é a solução que devemos seguir? Será que o mal está nos princípios de Democracia Ocidental? Será que o mal está em ainda restarem alguns resquícios de um estado social e de valores humanistas? Deveremos nós aceitar a lei do chicote em nome da crise?

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

O Colonizador da terra dos Aborigenes

Aborigene

Aborigenes

Vou publicar este mail exactamente como o recebi:

«Discurso do 1º Ministro Australiano à comunidade muçulmana. Por cá seria um escândalo… mas eu estou de acordo!

Discurso do 1º Ministro Australiano à comunidade Muçulmana
Aos Muçulmanos que querem viver de acordo com a lei do Sharia Islâmico foi-lhes dito muito recentemente para deixarem a Austrália, no âmbito das medidas de segurança tomadas para continuar a fazer face aos eventuais ataques terroristas.
Aparentemente, o Primeiro-ministro John Howard chocou alguns muçulmanos australianos declarando que apoiava agências-espiães encarregadas de supervisionar as mesquitas da nação. Citação:

OS IMIGRANTES NÃO-AUSTRALIANOS, DEVEM ADAPTAR-SE. É pegar ou largar! Estou cansado de saber que esta nação se inquieta ao ofendermos certos indivíduos ou a sua cultura. Desde os ataques terroristas em Bali, assistimos a uma subida de patriotismo na maioria dos Australianos. A nossa cultura está desenvolvida desde há mais de dois séculos de lutas, de habilidade e de vitórias de milhões de homens e mulheres que procuraram a liberdade.
A nossa língua oficial é o Inglês; não é o Espanhol, o Libanês, o Árabe, o Chinês, o Japonês, ou qualquer outra língua. Por conseguinte, se desejam fazer parte da nossa sociedade, aprendam a nossa língua
A maior parte do Australianos crê em Deus. Não se trata de uma obrigação cristã, de influência da direita ou pressão política, mas é um facto, porque homens e mulheres fundaram esta nação sobre princípios cristãos, e isso é ensinado oficialmente. É perfeitamente adequado afixá-lo sobre os muros das nossas escolas. Se Deus vos ofende, sugiro-vos então que encarem outra
parte do mundo como o vosso país de acolhimento, porque Deus faz parte da nossa cultura.
Nós aceitaremos as vossas crenças sem fazer perguntas. Tudo o que vos pedimos é que aceitem as nossas e vivam em harmonia e em paz connosco.
ESTE É O NOSSO PAÍS, A NOSSA TERRA, E O NOSSO ESTILO DE VIDA’. E oferecemo-vos a oportunidade de aproveitar tudo isto. Mas se vocês têm muitas razões de queixa, se estão fartos da nossa bandeira, do nosso compromisso, das nossas crenças cristãs, ou do nosso estilo de vida, incentivo-os fortemente a tirarem partido de uma outra grande liberdade australiana: O DIREITO de PARTIR. Se não são felizes aqui, então PARTAM. Não vos forçamos a vir para aqui. Vocês pediram para vir para cá. Então, aceitem o país que vos aceitou.

Talvez se fizéssemos circular isto entre nós, entre todos os cidadãos do mundo, encontraríamos o meio de falar e espalhar as mesmas verdades. A comissão Bouchard-Taylor deveria inspirar-se nesta declaração antes de qualquer outra.)

Reencaminhe, se concordar.

Mundo de merda este, governados por racistas destes. Esse palhaço acha-se pertencente a uma raça superior. Acha que a opinião de alguém que não é da sua raça, (será que também têm um dia da raça na Austrália?), não tem qualquer valor nem importância. Se tem alguma reclamação, rua, vai-te embora. Provavelmente era o que os aborigenas que lá viviam deviam ter feito quando esta raça lá chegou para roubar e levar a palavra e a salvação do Cristã.
Mas, no meio de tudo isto, o mais triste é andar um mail por aí a defender estas bestialidades.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

Crise dos Combustíveis – Especiais SIC


Imagem: SIC OnlineCrise dos Combustíveis (cabecacombustivel.jpeg)

17-06-2008 13:20 Agricultores em protesto Polícia impede entrada de tractores no centro de Setúbal

17-06-2008 11:14 Subida do preço dos combustíveis Agricultores em marcha lenta entre Poceirão e Setúbal

17-06-2008 09:22 Protesto agricultores Marcha lenta do Poceirão até Setúbal

17-06-2008 07:19 Aumento dos preços dos combustíveis Automobilistas unem-se em buzinão nacional

16-06-2008 13:36 Camionistas franceses em protesto Marchas lentas contra aumento dos combustíveis

16-06-2008 11:09 Camionistas espanhóis em protesto Guarda Civil retém centenas de viaturas em todo o país

15-06-2008 16:52 Bloqueio de camionistas Silvino Lopes liderou revolta de milhares

14-06-2008 23:04 Contra o aumento dos combustíveis Reboques do Sul voltam à estrada mas com novos preços

14-06-2008 15:11 Empresários de reboques em protesto Marcha lenta da Marateca a Messines

13-06-2008 14:07 Protestos contra o aumento de combustíveis Agricultores e taxistas prometem contestação ao Governo

Fonte: SIC OnlineCrise dos Combustíveis
Nota: o site tem – obviamente – muito mais informação [até tem links para vídeos!!!!!!! ;-)]

A canção do Tratado de Lisboa

Vasco Santana

 Canção de Lisboa

Ouvi agora a notícia que faz 50 anos da morte do Vasco Santana. Pensei em assinalar aqui a data e, talvez por causa dos Santos Populares ou pelo nome Lisboa, lembrei-me logo da “Canção de Lisboa”. Destes não não gosto, nem da voz nem da canção.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

Já lhe tínhamos partido um salto alto da Vaidade…

Já lhe tínhamos partido um salto alto da Vaidade com a “Licenciatura”. A Irlanda partiu-lhe o outro. Já vai descalça, a Vigarista de Vilar de Maçada

Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas

“É fundamental para a minha carreira política”

O primeiro-ministro, José Sócrates, admitiu que o êxito do Tratado de Lisboa, hoje a ser referendado na Irlanda, “é fundamental” para o Governo e para a sua carreira política.

Reveja AQUI e acompanhe em directo AQUI

Postagem 600: Seja amigo de quem sofre. Mande-lhe um email de condolências pelo importante rombo na “Carreira Política pessoal (!)”…

Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas

Escreva-lhe: pm@pm.gov.pt

No entanto:

Espanha, Itália, Inglaterra e Suécia ainda não ratificaram o tratado
13.06.2008 – 18h18 Jorge Marmelo

O Tratado de Lisboa já foi ratificado por 18 dos 27 países que compõem a UE, mas, entre aqueles cujo processo ainda não está concluído, contam-se alguns importantes estados europeus: Espanha, Inglaterra, Suécia, Itália, Bélgica, Holanda, Chipre e República Checa continuam à espera que os respectivos parlamentos se pronunciem, tendo o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, defendido a continuação do processo de ratificação, a despeito do “não” irlandês, hoje consumado.

In “Público

Nova Constituição? Nova Raça Hitleriana


Está a levantar justificada celeuma o lapso freudiano de Cavaco Silva, ao chamar «Dia da Raça» ao 10 de Junho, como nos tempos da outra senhora.

Bem… Não se abespinhem tanto.
Quando se elege para Presidente da República um político que justificou o facto de nunca ter levantado um dedo ou uma palavra contra o fascismo por «ter que trabalhar» (“a minha política é o trabalho”), coisas destas podem acontecer.

Mas vi aqui uma coisa que poderia ser a solução para este tipo de problemas.
Em 1926, um historiador brasileiro propôs uma Constituição com um artigo único:

«Todo brasileiro fica obrigado a ter vergonha na cara.»

Bastaria substituir “brasileiro” por “português”.
E daí, talvez não. Parece que este pessoal do poder não é muito de cumprir leis.

Líder da UGT participou mesmo em reuniões do PS para “explicar” Código do Trabalho

 A mentira



Vieira da Silva e Proença de Carvalho explicaram aos socialistas do Porto as virtudes das propostas do governo

29-Mai-2008
No momento mais agressivo do debate quinzenal no parlamento, Sócrates acusou Louçã de “mentir” aos deputados. Mas a notícia do Público desmente o primeiro- ministro e confirma as palavras do bloquista: João Proença participou de facto em reuniões do PS destinadas a convencer os militantes socialistas das virtudes das alterações do Governo ao Código de Trabalho.
Uma das reuniões, no Porto, teve até a presença do ministro Vieira da Silva e do secretário de Estado Fernando Medina, os governantes com quem Proença negoceia à mesa da concertação social.

Dizia o diário “Público” do passado dia 10 de Maio: “Com a reforma laboral na agenda, dirigentes nacionais do PS, incluindo o próprio secretário-geral […] estão a percorrer o país para discutir com os militantes e simpatizantes do partido a proposta do Governo de altaração do Código do Trabalho. O primeiro round foi dado há quinze dias em Vila Franca de Xira. […] Ontem foi a vez do Porto. Os militantes da maior distrital do PS tinham à noite à sua espera Vieira da Silva, o secretário de Estado do Trabalho, Fernando Medina, e o secretário-geral da UGT, João Proença.”

Ao recordar esta viagem do líder sindical ao Porto para defender as propostas do governo, Louçã despertou a ira de José Sócrates, que o acusou de “mentiroso e cobarde”, palavras que provocaram muitos aplausos por parte da maioria da bancada do PS. Os deputados socialistas tentaram depois abafar a resposta de Louçã, que comprometeu-se a disponibilizar a todas as bancadas as notícias publicadas sobre o assunto na imprensa.

Os deputados socialistas, professores, querem passar de imediato a professores titulares

PARA QUEM AINDA NÃO SABIA OU JÁ NÃO SE LEMBRE

  • Em duas entradas que colocámos em Abril, uma delas com o título “Eu bem preveni que o ponto 8 ia dar que falar”, referimos aberração e a injustiça da criação de duas categorias de professores e alertámos para o facto de os “senhores do poder” saberem tricotar em seu proveito.

Por e-mail, voltámos a receber esta mensagem, cujo conteúdo desemboca no mesmo e relembra o que, então, se disse. Este facto é elucidativo de que só aos poucos os professores se vão consciencializando da verdadeira dimensão do descalabro absurdo e da afronta descarada dos nossos (pseudo)representantes:

– Que VERGONHA !Mais uma deste governo Socialista:

Os deputados socialistas, professores, querem passar de imediato a professores titulares, sem darem aulas e sem serem avaliados e tudo isto com o beneplácio do Sr. José Pinto de Sousa [primeiro-ministro]. Os deputados do PS estão contra nós, mas querem ser titulares sem pôr os pés na escola.

Que VERGONHA !

Retirado da Ordem Trabalhos hoje ME / Plataforma:

Ponto 8.

Acesso à categoria de Professor Titular para os Professores em exercício de funções ou actividades de interesse público, designadamente, enquanto Deputados à Assembleia da República e ao Parlamento Europeu, Autarcas, Dirigentes da Administração Pública, Dirigentes de Associações Sindicais e Profissionais.”


Agora é que não percebo nada!

Mas agora já se pode ‘atingir o topo’… mesmo estando ‘fora’ da escola? Todas as mudanças que o ME quis fazer não foi para acabar com ‘isso’? Não ia ser titular apenas quem provasse, ‘no terreno’, a sua excelência?

Dizem uma coisa, fazem outra… a toda a hora!

Depois de se terem ‘esquecido’ dos que antes estiveram nessas funções, no primeiro concurso…: mais um concurso extraordinário?

Ou só conta daqui para a frente? E os «tristes» que ficaram para trás? Tem que ser o tribunal a dar-lhes razão?

O novo 4º escalão será, provavelmente, para os ‘Professores-titulares-avaliadores’.
Deste modo, cria um ‘estatuto’ diferente para quem é avaliador e foge às incompatibilidades de avaliador e avaliado concorrerem às mesmas cotas.

Quantos chegaram a titular por haver uma vaga na escola e não ter mais ninguém a concorrer? No entanto, escolas houve em que colegas com quase o dobro dos pontos não acederam a professor titular porque não havia vaga, e com isto só quero dizer e afirmar da injustiça desta peça, monstruosamente montada e maquiavelicamente posta em prática que é a dos professores titulares.

Esta proposta do PM é inaceitável.

Espero que professores e sindicatos estejam bem conscientes desta proposta que é verdadeiramente ofensiva, para não dizer outra coisa!


Tenhamos dignidade e não nos deixemos vender.
Esta é das respostas mais repugnantes jamais feitas por um governo. Oferecem tachos a sindicalistas, boys e girls das direcções gerais dos vários ministérios, há uma tentativa de oferecer aos professores avaliadores um ‘acesso’ ao 4º escalão de titular.

Chegamos ao limite da indecência e a resposta só pode ser uma: revisão do ECD, anulação da divisão da carreira e combate total a esta avaliação.

DEVEMOS OBRIGAR OS SINDICATOS A REJEITAR LIMINARMENTE ESTAS PROPOSTAS!

In "Movimento M. U. Professores"