A Queda da República (Fall of the Rep*blic) 9-15

Anúncios

Zeitgeist Addendum (Legendado) 7-8/12

Publicado por lucask8nunes

Site Oficial do documentario:
http://www.zeitgeistmovie.com/

Site Oficial do Projeto Venus:
http://www.thevenusproject.com/

Site do Zeitgeist Moviment:
http://thezeitgeistmovement.com/

A Revolução é Agora

Amazónia está à Venda!!!

O Brasil prevê leiloar em hasta pública quatro milhões de hectares de florestas amazónicas em 2009, para que sejam administradas de modo “sustentável” por empresas privadas, como parte de um plano que pretende preservar da destruição áreas públicas.

O chamado Plano de Concessões de 2009 prevê, além disso, gerar 700 milhões de reais para a chamada economia florestal sustentável e arrecadar 120 milhões de reais para organismos públicos de protecção, revelou o Ministério do Meio Ambiente.

Estas metas integram o Plano para 2009 do Serviço Florestal, cujos detalhes definitivos foram divulgados hoje, depois das suas linhas gerais terem sido submetidas a consultas públicas nas últimas semanas, em sete cidades amazónicas e em que participaram 320 pessoas.

O Plano inclui a exploração de áreas de preservação florestal nos Estados de Roraima, Amazonas, Pará, Acre e Rondónia.

A área foi definida a partir do registo nacional de florestas públicas, que soma 210 milhões de hectares, dos quais 198 milhões de hectares se encontram em áreas federais.

Desse total, foram excluídas as terras dos indígenas, as áreas de protecção integral e as de uso comunitário, o que levou a um total de 42,8 milhões de hectares legalmente aptos para concessões.

Desse total, chegou-se a 12 milhões de hectares depois de analisar quais teriam “potencial de exploração florestal sustentável”, onde haveria condições para obter licenças ambientais e, principalmente, que estivessem em áreas prioritárias para projectos de conservação e desenvolvimento social, segundo o governo.

A cifra final representa seis por cento do total de florestas públicas federais e a meta do serviço Florestal é a de que, em finais de 2009, já estejam quatro milhões de hectares em processo de concessão.

«A ideia é diminuir a ilegalidade do sector madeireiro e oferecer ao mercado alternativas para a produção sustentável», afirmou o director do Serviço Florestal Brasileiro, Tasso Azevedo. –

In Portugal Diário

A recente compra de uma vasta região na Amazónia por um empresário sueco levantou questões recorrentes na pauta dos brasileiros: estamos preparados para proteger a nossa floresta? O que impede que outros empresários estrangeiros “tomem posse” de cada vez mais áreas verdes de nosso país? Embora o alarde do “colonialismo verde”, ou seja, a aquisição de territórios da Amazónia para protecção da região, tenha sido lançado na grande imprensa como tendência para os próximos anos, especialistas afirmam que isto está longe de ser uma realidade.

LEYA MAIS AQUI

A  Amazónia é uma das mais belas regiões do Mundo e é também conhecida como o “pulmão verde da Terra”. A Amazónia abriga 33% das florestas tropicais do planeta e cerca de 30% das espécies conhecidas de flora e fauna sendo considerada o maior reservatório global de biodiversidade. A área total vítima de desflorestação corresponde a 350 mil quilómetros quadrados.Ano após ano vai perdendo áreas brutais, numa competição com a pecuária, a agricultura e a extracção ilegal.

Com esse processo, diversas espécies, muitas delas nem sequer identificadas pelo homem, desapareceram da Amazónia. Sobretudo a partir de 1988, desencadeou-se uma discussão internacional a respeito do papel da Amazónia no equilíbrio da biosfera e das consequências da devastação que, segundo os especialistas, pode inclusivamente alterar o clima da Terra.

A destruição da floresta amazónica no Brasil, que vinha desacelerando nos últimos três anos, está de novo a aumentar. Cerca de 7000 quilómetros quadrados -quase uma vez e meia a área do Algarve-terão sido arrasados entre Agosto e Dezembro de 2007.